4 de dezembro de 2017

[Resenha] Corpo - Audrey Carlan

Olá chicos!
Algum órfão de A garota do calendário por ai? Admito que não tive uma experiência muito boa com a primeira série publicada aqui no Brasil dessa autora e que por isso tive muito receio em dar mais uma chance aos livros dela, mas como me recuso a desistir fácil do que quer que seja, cá estou eu para falar de mais uma série de Audrey Carlan. Trinity teve seu último livro publicado no exterior este ano, a série conta com cinco livros, onde os três primeiros focam na história de uma única protagonista, portando devem ser lidos na ordem de publicação, e os dois últimos que contam a história de suas irmãs de alma (falarei mais a respeito logo mais). Mesmo existindo a possibilidade de ler os últimos livro de forma independente recomendo que todos sejam lidos na ordem, pois a série segue uma cronologia e trás informações importantes que se completam a cada novo volume.

Corpo (Body)
Coleção: Trinity #01
Autor (a): Audrey Carlan @AudreyCarlan
Publicação: Verus *Cortesia
ISBN: 9999097354176 | Skoob
Gênero: Erótico +18
Ano: 2017
Páginas: 364
Minha avaliação: 3/5★
"Eu te amo. Eu te quero. Eu nunca vou te deixar." Gillian Callahan entra em pânico só de ouvir esse tipo de frase. Por anos ela viveu uma relação abusiva com seu ex-namorado violento. Agora ela está livre e segura, trabalhando para uma fundação de apoio a mulheres vítimas de violência - a mesma que a resgatou e salvou sua vida. Gillian não quer saber de homem nenhum. Até conhecer Chase Davis, o presidente da fundação. O bilionário é tão sexy e sedutor que Gillian fica sem chão. Chase sempre consegue o que quer - e ele quer Gillian. Agora ela terá de enfrentar a batalha entre o desejo e o medo. Gillian vai conseguir confiar em Chase? Ela está segura com ele? E quão perigoso pode ser um passado sombrio... não só o dela, mas o do homem que ela aprendeu a amar?
Quando soube que mais uma série da Audrey seria lançada no Brasil me vi dividida entre o medo de ter que enfrentar uma nova decepção e a ansiedade de descobrir o que essa nova história poderia me proporcionar. Decidi que daria uma chance, não me sentiria em paz em desistir sem nem mesmo tentar, então li e me frustrei mas não apenas isso. Dessa vez não é tão simples, não consegui amar e muito menos odiar esta trama, posso adiantar que fiquei em meio a um fogo cruzado, porque a temática sem sombra de dúvidas é relevante, a trama possui uma base sólida para ser desenvolvida, a narrativa segue fluída, mas a forma que a autora escolheu para nos apresentar a situação me soou meio que desconexa. Eu tenho sérios problemas de aceitar a visão de "sexualidade feminina" da autora, talvez este seja meu maior problema com suas histórias, não estou aqui criticando o direito das mulheres serem sexualmente ativas, terem múltiplos parceiros, sentirem-se excitadas ao estar com um homem atraente, nem nada do tipo. Me refiro a algo bem mais específico, como a irracionalidade da situação, não duvido que existam casos por ai, mas mesmo assim continuo achando excessivo e até mesmo exagerado o fato de uma mulher se submeter a situações desconfortáveis para dizer o mínimo, única e simplesmente porque está muito atraída pelo cara (ah! se eu não estivesse tão excitada não aceitaria esse tratamento grosseiro, invasivo e opressor, mas como ele é muito lindo vou fingir que nada está acontecendo). Por essas e por outras que para mim Corpo foi uma leitura ambígua.

2 de dezembro de 2017

[Resenha] Brumas do tempo - Karen Marie Moning

Hey peoples!
Vamos começar o mês com o pé direito? A primeira leitura de dezembro me deixou mergulhada em uma bolha de felicidade plena. Você já sabe que amo histórias protagonizadas por guerreiros Highlanders, não sabe? Claro que sim, aposto que já está até "careca de saber". Pois bem, tenha em mente que dentre os livros que abordam o tema, este foi o melhor que li esse ano, o que serviu para lavar a vergonha e a decepção que haviam me atingido após a leitura de Fúria domada, mas isso é uma outra história. Se você ama tramas compostas por guerreiros escoceses apaixonantes e mocinhas desafiadoras, seja bem vindo ao paraíso. Brumas do tempo é o primeiro livro da série Highlanders, composta por OITO livros, isto mesmo que você leu, não quatro, nem cinco mas oito livros (bendita Karen Marie Moning), TODOS já publicados no exterior. Esta é uma série bem antiguinha lá fora, o primeiro livro foi publicado originalmente a uns dezoito anos atrás e o último a mais de dez anos (nem acredito que demorou tanto pra chegar aqui, antes tarde do que nunca, né?). Enfim, vamos logo a resenha que estou ansiosa para compartilhar minha euforia.

Brumas do tempo (Beyond the Highland Mist)
Coleção: Highlanders #01
Autor (a): Karen Marie Moning @KarenMMoning
Publicação: Verus *Cortesia
ISBN: 9788576866145 | Skoob
Gênero: Romance +18
Ano: 2017
Páginas: 308
Minha avaliação: 5/5★
Um sedutor lorde escocês... Ele é conhecido no reino como Falcão, o lendário predador nos campos de batalha e na cama. Nenhuma mulher resiste ao seu toque, mas nenhuma jamais conseguiu mexer com o coração dele — até uma fada vingativa tirar Adrienne da Seattle dos dias de hoje e transportá-la para a Escócia medieval. Presa em um século que não é o seu, ousada demais, franca demais, Adrienne representa um desafio irresistível para esse conquistador do século XVI. Forçada a se casar com Falcão, Adrienne jura manter distância do marido — mas o poder de sedução dele vai destruir lentamente a determinação dela. Uma prisioneira no tempo... Adrienne tem o “não” na ponta da língua para o notório lorde escocês, mas Falcão jura fazê-la sussurrar seu nome com desejo, implorando que ele a incendeie de paixão. Nem mesmo as barreiras do tempo e do espaço o impediriam de conquistar o amor dela. Apesar das incertezas sobre seguir seu coração apaixonado, a hesitação de Adrienne não é páreo para a determinação de Falcão de mantê-la a seu lado.
Um livro que vai além das expectativas é um livro que sempre será lembrado. Eu quis ler esta história desde o instante que soube do seu lançamento, o motivo único e exclusivo é a temática abordada, o lance dos guerreiros highlanders ("pirikilt", lembram?), apesar de não ter me deixado convencer completamente pela sinopse, estava ansiosa para visitar a Escócia dos séculos passados pela visão da Moning, e olha que nunca havia lido nada dessa mulher. Eu poderia estar caminhando para um desastre sem tamanho mas me recusei a recuar, eu acreditei que esta história seria épica e ela foi além, me arrebatou completamente e não me largou nem mesmo depois de finalizada. Ah! Quantos sorrisos bobos e suspiros sonhadores no meio da madrugada, quanta vontade de me esconder em um canto solitário da casa para poder devorá-lo sem ser interrompida durante o dia. Sabe aquela sede por mais e mais que te atinge irrevogavelmente quando você está completamente preso em um mundo fictício arrebatador? Pois bem esta fui eu durante as doze horas que passei na companhia de Falcão e Adrienne em Dalkeith, porque eu estive lá, duvida?

20 de novembro de 2017

Papo de blogueira: Como me tornar parceiro de editoras?

Um novo ano está chegando e com ele novas possibilidades e oportunidades surgirão. No meio literário, - pelo menos no que se refere a "blogs, booktubers, bookgrans" e etc.- esta é uma época importante para aqueles que almejam entrar ou permanecer no mundo das parcerias, isso porque é nesse período que um grande número de editoras abrem inscrições para processos seletivos, visando conhecer novos trabalhos e encontrar novos parceiros que as acompanharão pelo próximo ano (as vezes apenas metade disto). E foi pensando nisso que resolvi vir aqui conversar com vocês a respeito das tão sonhadas parcerias. Antes de tudo quero deixar claro que não sou nenhuma expert no assunto e como tudo que faço aqui no blog, estou usando como base para esta postagem apenas os conhecimentos que adquiri com a vivência diária que tenho tido nos últimos quase cinco anos por aqui. Sendo assim, se aconchegue e venha conhecer algumas dicas a serem consideradas antes da participação de um processo seletivo.

18 de novembro de 2017

[Resenha] Ao seu encontro - Abbi Glines

Olá personas!
Vamos conhecer mais um livro da série mais longa que li na vida? Rosemary Beach conta com treze livros publicados e embora existam histórias independentes recomenda-se que a leitura siga a ordem de publicação pois as tramas estão interligadas entre si, além de existirem passagens de tempo importantes que podem ser melhor compreendidas se lidas dessa forma. Existe aqui no blog uma espécie de índice que dispõe de forma organizada as informações a cerca da série, qualquer dúvida é só dar uma olhadinha no link acima ou procurar na coluna Séries literárias. Este volume da seguimento a história de Mase e Reese que teve inicio em A sua espera. O próximo livro será protagonizado por Capitão um personagem que já havia aparecido anteriormente e que ganhou destaque considerável nesta trama, inclusive protagonizou uma das cenas mais estarrecedoras que já li em toda a série. Sem mais delongas, vamos logo ao que interessa!  

Ao seu encontro (When You're Back)
Coleção: Rosemary Beach #11
Autor (a): Abbi Glines @AbbiGlines
Publicação: Arqueiro
ISBN: 9788580416541 | Skoob
Gênero: Romance +18
Ano: 2017
Páginas: 224
Minha avaliação: 3/5★
Há apenas alguns meses, um encontro inesperado numa casa em Rosemary Beach se transformou num romance de conto de fadas. Agora Reese está prestes a ir morar com Mase na fazenda dele, no Texas. Com o apoio e o amor da família do namorado e a recente descoberta de que ela mesma tem uma família com a qual contar, Reese pode enfim superar os horrores do passado e se concentrar no futuro promissor que a aguarda. No entanto, no que depender de Aida, isso não vai acontecer. A beldade loura e Mase foram criados como primos, mas logo fica claro para Reese que o amor da jovem por ele está muito longe do que se deveria ter por um parente. Ao mesmo tempo que Reese tenta entender a relação dos dois e não se sentir ameaçada, entra em cena Capitão, um estranho que parece estar, convenientemente, em todos os lugares que ela frequenta. Bonito, sensual, misterioso e dono de uma franqueza desconcertante, ele não tem medo de dizer o que pensa de Mase - nem como se sente a respeito de Reese. Enquanto a competição pelo coração de Mase e de Reese esquenta cada vez mais, algumas perguntas em relação ao passado dela começam a ser enfim respondidas, revelando verdades chocantes que vão mudar para sempre a vida do casal.
Iniciei a leitura dessa série a quase quatro anos atrás e de lá pra cá minha forma de ver o mundo mudou consideravelmente, e isso claramente afetou a percepção que tenho de algumas situações. Lembro de logo no inicio ter estado completamente deslumbrada por tudo que se apresentava nas histórias da Abbi Glines, e muitas vezes não entendia o porque dessa série ter tantas críticas negativas, eu amava cada história incondicionalmente, poucos eram os defeitos que eu conseguia encontrar, isso quando os encontrava, não sei se por imaturidade ou apenas porque não desejava enxergar nada que maculasse a imagem perfeita de uma série incrível que eu havia criado em minha mente. Admito que, ainda não consigo olhar para esses livros de forma completamente imparcial e juro que não tenho certeza se realmente amadureci meus gostos e forma de encarar o mundo ou se apenas me tornei implicante. Espero sinceramente que seja a primeira opção, porque embora ainda ame essa série, hoje consigo perceber algumas características que anos atrás me passavam despercebidas, portanto aconcheguem-se e venham conhecer mais uma história de Rosemary Beach, só que dessa vez pretendo ser mais abrangente em minhas considerações, embora ainda sucinta. Espero que gostem.

16 de novembro de 2017

Séries Literárias: Corte de espinhos e rosas de Sarah J. Maas

Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar um féerico transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas , a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... Ou Tamlin e seu povo estarão condenados.

14 de novembro de 2017

[Resenha] Quase um romance - Megan Maxwell

Olá personas!
Que tal falarmos de mais um livro da Megan Maxwell, dessa vez não tem nada de Kilt por aqui, okay? Mas não fiquem tristes porque mesmo não sendo um guerreiro escocês "maravilindo", Paul é um personagem adorável que conquista facilmente. Este livro foi o primeiro romance ou "quase romance" escrito pela escritora alemã e trás muito das características de escrita que conhecemos em suas publicações mais atuais, quem acompanha as obras da Megan poderá facilmente perceber após a leitura deste livro que ela evoluiu consideravelmente a sua escrita, o que além de maravilhoso, influenciou diretamente na minha paixão pelas obras dela, pois como costumo dizer o que torna as história dessa mulher fáceis e atraentes de se ler, é a narrativa fluída e completa que ela possui atualmente. Então se este é o seu primeiro contato com um livro da autora, se permita conhecer algum outro título, porque esse embora tenha uma boa proposta, deixa bastante a desejar no que diz respeito a narrativa. Bom, já chega né? Podem seguir para a resenha!

Quase um romance (Casi una novela)
Autor (a): Megan Maxwell @MeganMaxwell
Publicação: Suma de Letras *Cortesia
ISBN: 9788556510242 | Skoob
Gênero: Romance
Ano: 2016
Páginas: 332
Minha avaliação: 3/5★
Desde a perda dos pais e o fim de um relacionamento complicado, Rebecca tem levado uma vida solitária. No entanto, quando esbarra em Pizza – uma cachorrinha abandonada que parece precisar tanto de afeto quanto ela –, a jovem pressente que sua vida está prestes a mudar. Paul Stone é campeão de Moto GP, e pai de Lorena, uma menina encantadora que ele cria sozinho. Administrar a carreira e a família não é um trabalho fácil, ainda mais quando as mulheres em seu redor parecem interessadas apenas no piloto famoso, e não no homem real. Quando os dois se esbarram – com uma ajudinha de Pizza e Lorena –, Paul tem certeza de que encontrou o que vinha procurando há muito tempo. Já Rebecca não está assim tão disposta a abrir espaço em sua vida para uma nova relação, mas como resistir à amizade, aos sorrisos e aos olhares de Paul?
A maioria dos autores que acompanho possuem estilos de escrita bem definidos, por exemplo, quando pensamos em Júlia Quinn logo lembramos das maravilhosas histórias de época pelas quais ela é responsável, o mesmo ocorre com Sidney Sheldon com romances policiais, Stephen King com terror e por ai vai. Algo que chama muito a minha atenção na escrita da Megan é o fato de suas histórias abrangerem diversas categorias do gênero romântico (época, histórico, erótico, contemporâneo...), e a meu ver isso trás uma diversidade interessante para a coleção que carrega seu nome, e embora nunca tenha acontecido nada parecido comigo antes, estou adorando poder conhecer os vários estilos de um gênero contados pela mesma autora. Obviamente algumas características de escrita se mantém, e por isso não importa o tempo em que a história se passe, as mocinhas da Maxwell são sempre muito teimosas, o que não chega a ser um defeito mas certamente é a origem de grande parte dos problemas desencadeados durante suas histórias, e já adianto que com Rebecca não é diferente.

10 de novembro de 2017

[Resenha] Fúria domada - Megan Maxwell

Olá cariños!
Eis que hoje trago para vocês a resenha de um dos livros mais desejados por mim esse ano. Fúria domada é o segundo livro da coleção Guerreiras, que já possui quatro títulos publicados no exterior (dois aqui no Brasil), a série que trás como protagonistas mulheres fortes que se impõem e enfrentam cara a cara os guerreiros escoceses mais temidos e respeitados das terras altas, tem feito um sucesso estrondoso entre os fãs da escritora alemã Megan Maxwell. Embora as histórias estejam interligadas, os livros são independentes e podem ser lidos fora da ordem de publicação, no entanto eu recomento que a sigam, pois existem passagens de tempo de um livro para o outro e todos os personagens se conhecem e convivem entre si. Dito isso, chega de papo e vamos ao que interessa.

Fúria domada (Desde donde se domine la llanura)
Série: Guerreiras #02
Autor (a): Megan Maxwell @MeganMaxwell
Publicação: Planeta de livros Brasil
ISBN: 9788542211948 | Skoob
Gênero: Romance +16
Ano: 2017
Páginas: 368
Minha avaliação: 3/5★
Gillian é conhecida entre os membros de seu clã como a Desafiadora por seu caráter indomável sua principal qualidade e também sua grande maldição. Apaixonou-se por Niall na infância e viveu com ele uma bela história de amor, interrompida quando o rapaz partiu para lutar junto ao rei da Escócia sem dizer adeus. Gillian jurou que nunca o perdoaria. Tão teimoso e orgulhoso quanto sua amada, Niall está de volta, mas não é mais o mesmo homem, disposto a qualquer coisa para reconquistá-la. Agora que se reencontraram, nenhum dos dois quer dar o braço a torcer. Mas a paixão do passado os domina novamente. Até quando eles serão capazes de resistir?
Estou ansiando por esse livro desde que finalizei a leitura de Desejo concedido, primeiro livro da série. Quem leu minha resenha sabe o quanto amei esse primeiro contato com a escrita da Maxwell e como me apaixonei por seus personagens, além disso não é novidade para os que acompanham minhas publicações, que eu sou completamente fissurada em história que contenham guerreiros escoceses (da licença "pirikilt" passando aqui) e quando tais enredos vêm protagonizados por mulheres determinadas e tão guerreiras quanto seus companheiros ai meus amores não tem quem me segure. Como disse anteriormente as histórias dos livros estão conectadas, então obviamente eu já conhecia os protagonistas desse volume, mesmo os breves momentos em que apareceram na trama anterior foram suficientes para me dar uma ideia do que esperar, e tomando como base os fragmentos de informações que consegui reunir criei e alimentei por quase um ano uma expectativa surreal e como sempre acontece toda vez que faço isso, dei com a cara na porta. Ver o oposto de  tudo que esperei ser narrado diante dos meus olhos me proporcionou o maior papel de trouxa da humanidade.

8 de novembro de 2017

[Resenha] A pequena livraria dos corações solitários - Annie Darling

Hey amores!
Vamos a mais uma resenha? Esse mês quero colocar o maior número possível de leituras em dias, um novo ano está a caminho e com ele novas metas surgirão, sendo assim é chegado o momento de pôr ordem na casa, não é mesmo? Então vamos falar um pouquinho de A pequena livraria dos corações solitários, ufa! Não economizaram palavras nesse título, hein? Continuando, APLDCS é o primeiro livro da série A livraria dos corações solitários (haha, estou rindo mais é com respeito), que trará como protagonistas os funcionários da livraria em questão (cada funcionário um livro) e contará seus encontros e desencontros com o amor. Logo de cara é possível notar que a premissa é demasiado simples, mas indo um pouquinho além, ali logo abaixo da superfície está o grande diferencial dessa série e ele está bem implícito na personalidade dos personagens centrais. Curiosos? Então chega mais que eu vou apresentá-los a Posy, uma das personagens mais frustrantes que li na vida.

A pequena livraria dos corações solitários (The Little Bookshop of Lonely Hearts)
Coleção: A livraria dos corações solitários #01
Autor (a): Annie Darling
Publicação: Verus *Cortesia
ISBN: 9788576865889 | Skoob
Gênero: Romance
Ano: 2017
Páginas: 308
Avaliação: 2/5★
Era uma vez uma pequena livraria em Londres, onde Posy Morland passou a vida perdida entre as páginas de seus romances favoritos. Assim, quando Lavinia, a excêntrica dona da Bookends, morre e deixa a loja para Posy, ela se vê obrigada a colocar os livros de lado e encarar o mundo real. Porque Posy não herdou apenas um negócio quase falido, mas também a atenção indesejada do neto de Lavinia, Sebastian, conhecido como o homem mais grosseiro de Londres. Posy tem um plano astucioso e seis meses para transformar a Bookends na livraria dos seus sonhos — isso se Sebastian deixá-la em paz para trabalhar. Enquanto Posy e os amigos lutam para salvar sua amada livraria, ela se envolve em uma batalha com Sebastian, com quem começou a ter fantasias um tanto ardentes. Resta saber se, como as heroínas de seus romances favoritos, Posy vai conseguir o seu “felizes para sempre”. 
O inicio de uma nova leitura, está sempre permeado de muita expectativa. Não importa o quanto tentemos nos policiar e dosar a empolgação, de uma forma ou de outra torcemos para que esse novo mundo literário nos encante de tal forma que se torne impossível parar de ler, e que ao virar a última página aqueles personagens que conhecemos nos acompanhe durante algum tempo. Todo esse processo é previamente alimentado por uma capa deslumbrante e uma premissa, digamos no mínimo encantadora e quando por fim conhecemos a história e nos deparamos com um universo completamente diferente do imaginado é hora de dosar a empolgação e absorver o que verdadeiramente a autora deseja passar. E esta claramente sou eu lendo A pequena livraria dos corações solitários, recebi esse livro a algum tempo e por estar completamente apaixonada por essa capa que me deixou babando arco-iris e encantada pela possibilidade de me esbaldar em um romance água com açúcar, me lancei sem receios ou pudores das páginas desse livro assim que pude tê-lo em mãos, mas como dizem por ai "quanto mais alto se sobe, maior é a queda", então eu cai de cabeça no chão porque definitivamente a narrativa de Annie Darling quebrou minhas pernas e enterrou minhas esperanças.