12 de setembro de 2018

[Resenha] Mil palavras - Jennifer Brown

Hello peoples!
Em tempos de setembro amarelo (campanha que visa a prevenção do suicídio) tive acesso a alguns títulos que abordam cyberbullyingrevenge porn, sexting, entre outras situações que podem fragilizar enormemente suas vítimas e levá-las ao limite. Então estou aproveitando a oportunidade que me foi concedida e decidi abrir espaço para este assunto aqui no blog. Quem me conhece sabe que sou extremamente distraída com datas e campanhas e quando me dou conta já perdi a chance de participar do que quer que seja. Sendo assim não garanto nenhum grande evento, mas prometo tentar reunir um número considerável de informações e compartilhá-las aqui e em nossas redes sociais. Mil palavras é o mais recente lançamento de Jennifer Brown, autora de A lista negra e Amor amargo, que costuma abordar problemáticas relevantes, como reflexo da própria adolescência e com o intuito de inspirar jovens que passaram ou estão passando pela mesma situação de seus personagens. Dito isto, vamos a resenha.

Mil palavras (Thousand Words)
Autor (a): Jennifer Brown @JenBrownBooks
Publicação: Gutenberg *Cortesia
ISBN: 9788582354711 | Skoob
Gênero: Romance
Ano: 2018
Páginas: 208
Minha avaliação: 4/5★
Amazon | Saraiva | Submarino
O namorado de Ashleigh, Kaleb, está prestes a partir para a faculdade e a jovem está preocupada que ele se esqueça dela. Então, em uma famosa festa de final do verão, as amigas de Ashleigh sugerem que ela mande uma foto nua para ele. Antes que possa mudar de ideia, Ashleigh vai para o banheiro, tira uma foto de corpo inteiro em frente ao espelho, e aperta a tecla “enviar”. Mas o término do relacionamento do casal é ruim e, para se vingar, Kaleb encaminha a foto para sua equipe de beisebol. Em pouco tempo, a foto viraliza, atraindo a atenção do conselho da escola, da polícia e da mídia local. A pena ordenada a Ashleigh pelo tribunal é prestar serviço comunitário, e é onde ela conhece Mack, um jovem que oferece uma nova chance de amizade, e é o único que recebeu a foto e não olhou.
Uma das coisas que mais gosto na literatura é a possibilidade de ter acesso a várias vertentes de um mesmo assunto. Inclusive não faz muito tempo que estava defendendo veementemente essa ideia, afinal pessoas diferentes reagem de formas diferentes em situações iguais/parecidas, não dá pra ficar esperando e torcendo por aquela "receitinha de bolo", e depois ficar reclamando que tudo é mais do mesmo, e quando ter acesso a algo que sai do padrão, ficar incomodado e achando que a história não seguiu os caminhos que deveria. Acreditem, exite muito disso por ai. O fato é que no mundo real nem tudo são doces e flores, as pessoas não são totalmente boas ou más, os protagonistas não acertam em todas a decisões e nem sempre é possível viver felizes para sempre. Então porque somos tão relutantes em aceitar isso na literatura? Jennifer Brown nos apresenta um roteiro incomum, que diverge do esperado pela maioria mas certamente representa alguém em algum lugar nesse mundão de meu Deus.

2 de setembro de 2018

[Resenha] Tudo aquilo que nos separa - Rosie Walsh

Olá pessoas!
Recentemente recebi uma prova antecipada de Tudo aquilo que nos separa de Rosie Walsh, e antes de embarcar de vez na leitura dei uma pesquisada a respeito, não sei se esse é o caso, mas ao que parece este pode ser mais um daqueles livros ou ame ou odeie, isso porque a trama nada comum pode te deixar completamente viciado na história ou te entediar logo nas primeiras páginas, sem falar da intensidade de alguns sentimentos que na ausência de empatia podem soar sem nexo. Minha experiência foi maravilhosa, isso porque eu me propus a entender antes de julgar, o que ajuda muito. Vai por mim. Então antes de seguir lendo minha resenha, ou de pensar em iniciar essa leitura peço que vocês reflitam sobre o amor a primeira vista, mas não estou falando de "ah! Que pessoa legal, quero conhecer melhor.", me refiro ao amor no sentido mais amplo da palavra, quando você bate o olho naquela pessoa e simplesmente sabe, naquele momento que não se explica de forma racional mas se sente em cada célula do corpo, no amor que da sentido e pelo qual se quer lutar. Se você acredita na existência de algo dessa magnitude então você fará uma leitura maravilhosa, caso contrário, talvez não acredite nessa história também. O livro já está em pré-venda e o lançamento está previsto para 10/09.

Tudo aquilo que nos separa (Ghosted)
Autor (a): Rosie Walsh @rwalsh
Publicação: Record *Cortesia
ISBN: 9788501113771 | Skoob
Gênero: Romance
Ano: 2018
Páginas: 336
Minha avaliação: 5/5★
Sete dias perfeitos e então ele desapareceu. Imagine a seguinte situação: você conhece um homem, vocês passam sete dias maravilhosos juntos, e você fica apaixonada. E o que é melhor: o sentimento é recíproco. Você nunca teve tanta certeza de algo na vida. Então, quando ele parte numa viagem de férias agendada há muito tempo e promete te ligar para o aeroporto, você não tem nenhum motivo para duvidar disso. Mas ele não liga. Seus amigos dizem que você deve desencanar, que deve esquecer o cara, mas você sabe que eles estão errados. Eles não sabem de nada. Algo de ruim deve ter acontecido, deve haver um motivo sério para explicar o silêncio dele. O que você faz quando finalmente descobre que tem razão? Que existe um motivo ― e que esse motivo é a única coisa que vocês não compartilharam um com o outro? A verdade.
Quando recebi a Caixa VIB contendo uma prova antecipada de Tudo aquilo que nos separa, não fazia ideia do que esperar, embora alguns indícios apontassem para uma trama no mínimo comovente, não imaginei que esta leitura me levaria ao ápice da aflição, me arrasaria e depois juntaria meus caquinhos. A intensidade dessa história é moldada a dilemas dolorosos e a decisões abrangentes. A escrita linear da Walsh nos leva por um caminho sem grandes acontecimentos ou reviravoltas que se mantém com um mistério torturante. A combinação de romance e suspense é algo novo pra mim, ainda não havia tido a oportunidade de experimentar uma mistura tão intrínseca desses dois gêneros, isso porque a apresentação de ambos é irrestrita nessa narrativa, não sendo possível pender para um ou para o outro. Foi muito fácil me deixar abraçar pelos dramas desses personagens, a autora passa uma verdade que de tão desconcertante poderia facilmente ser real. Um enredo pé no chão, que convence, sensibiliza e conquista na mesma medida. Um livro arrebatador.

18 de agosto de 2018

Adaptação literária: Para todos os garotos que já amei

Hello peoples!
Já está disponível na netflix o filme Para todos os garotos que já amei, adaptação da obra homônima de Jenny Han. Um dos filmes mais esperados do ano chega causando furor e conquista novos fãs para a história de Lara Jean que já é um sucesso no meio literário. Quem me conhece sabe como sou apaixonada pela leveza que compõe tramas adolescentes como esta, então mesmo não tendo lido os livros ainda, estava ansiosa por esta estréia, e preciso dizer que não poderia ter ficado mais satisfeita. Estou muito rendida por este, longa! Sabe aqueles clichês fofinhos com sabor de adolescência que te faz recordar, suspirar e se apaixonar por experiências que sequer viveu? Então, é exatamente assim que vejo esse filme. 

16 de agosto de 2018

[Resenha] Gritos no silêncio - Angela Marsons

Olá personas!
Hoje falarei sobre "Othriller policial. Comentei aqui alguns dias atrás que estou retomando a leitura de livros do gênero e quem viu o post sabe bem que não comecei exatamente como gostaria, mas a vida é feita de descobertas, então cá estou eu com um achado precioso que quero muito compartilhar com vocês, já de antemão quero dizer apenas uma coisa aos apaixonados por histórias do tipo, leiam esse livro. Vocês não vão se arrepender, isso eu garanto. Gritos no silêncio é o primeiro livro da série Detetive Kim Stone, de Angela Marsons. A coleção já conta com oito livros pulicados no exterior. Cada livro trás um caso diferente e cada caso parece de alguma forma estar ligado ou trazer algo importante do passado, seja das vítimas, dos criminosos ou da própria detetive. Interessante, né? Agora sigam lendo e conheçam um suspense que irá mexer com a sua cabeça.

Gritos no silêncio (Silent Scream)
Coleção: Detetive Kim Stone #01
Autor (a): Angela Marsons @WriteAngie
Publicação: Gutenberg *Cortesia
ISBN: 9788582355213 | Skoob
Gênero: Suspense
Ano: 2018
Páginas: 320
Minha avaliação:5/5★
Os segredos mais obscuros não podem ficar enterrados para sempre… Na escuridão da noite, cinco figuras se revezam para cavar uma sepultura, um pequeno buraco em que enterram os restos de uma vida inocente. Ninguém diz nada, e um pacto de sangue os une… Anos mais tarde, Teresa Wyatt é brutalmente assassinada na banheira da sua casa, e, depois disso, mais mortes violentas começam a acontecer. Todas as vítimas têm algo em comum, e a detetive que encabeça o caso, Kim Stone, logo percebe que a chave para deter o assassino que está semeando o pânico na cidade é resolver um crime do passado. Só o que ela sabe é que alguém esconde um segredo e está disposto a fazer qualquer coisa para que nada seja revelado.
Essa é a primeira vez em muito tempo que tenho o privilégio de estar no lugar certo, na hora certa. Mas do que você está falando sua louca? Calma que eu explico. Já contei pra vocês o quanto amo suspenses policiais, né? Pois! Quem curte livros do tipo, sabe que existem diversas séries protagonizadas por detetives específicos, dentre eles destaco o inspetor Harry Hole de Jo Nesbo, Myron Bolitar de Harlan Coben e a detetive Erika Foster de Robert Bryndza, a questão é que sempre chego atrasada e só tomo conhecimento de tais livros após a publicação de alguns (vários) títulos. Nesses casos é comum não existir qualquer ligação direta entre as investigações que costumam ser concluídas em seu próprio título, ou seja a cada novo livro, um caso diferente, mas contudo, entretanto, todavia, não tenho muita facilidade de pegar o bonde andando, uma vez que os detetives em questão são o único fator comum entre as histórias de coleções como estas, eu tenho a necessidade de seguir a ordem de publicação, caso contrário perde-se detalhes da vida, pessoal e profissional desses agentes, o que não chega a interferir na leitura, mas afeta drasticamente meu TOC. Então sim, eu fiquei em êxtase por ter sido apresentada a detetive Kim Stone desde o começo, e que começo meus caros.

14 de agosto de 2018

Caixa Vib: Tudo aquilo que nos separa - Rosie Walsh

Olá pessoas!
Já faz um tempinho que não venho aqui para bater um papinho descontraído com vocês. Ultimamente tenho focado em colocar as leituras e resenhas em dias e acebei não me dedicando tanto a outros quesitos do universo literário que é tão amplo. Isso tem me incomodado um pouco, porque o Nosso Mundo Literário ganhou esse nome justamente porque eu sempre desejei falar sobre tudo que estivesse ligado a literatura, então tenham só mais um pouquinho de paciência comigo enquanto eu tento organizar isso direitinho, okay? Então reabrindo a temporada de assuntos diversos, resolvi falar sobre a Caixa VIB que chegou aqui em casa esse mês.  Esta é a quinta caixa que recebo desde o final do ano passado e a experiência tem se tornado mais incrível a cada nova edição. Não sabe ainda do que eu estou falando? Então segue lendo que explico tudo direitinho no post. E se você já conhece o projeto, vem conhecer os detalhes da caixinha de agosto.

12 de agosto de 2018

[Resenha] Uma estranha em casa - Shari Lapena

Hello peoples!
Eu costumava devorar romances policiais como se não houvesse amanhã. Sou apaixonada pela sensação da adrenalina correndo nas veias que alguns mistérios bem construídos são capazes de proporcionar e por isso sempre que podia, lá estava eu agarrada com um livro do gênero. Não sei bem quando meu afastamento de tais histórias teve incio e nem contei por quanto tempo durou. O fato é que este ano senti saudades e decidi voltar as tramas misteriosas, e já tem alguns meses que venho tentando uma leitura do tipo, no entanto, não conseguia encontrar nada que me prendesse, até Uma estranha em casa. Confesso que questionei a qualidade desse livro depois de ler algumas críticas negativas, mesmo assim me apeguei aos elogios que tinha lido e resolvi lhe dar o benefício da dúvida. Querem saber como foi minha experiência? Então segue lendo que vou contar tudinho.

Uma estranha em casa (A Stranger in the House)
Autor (a): Shari Lapena @sharilapena
Publicação: Record *Cortesia
ISBN: 9788501113603 | Skoob
Gênero: Suspense
Ano: 2018
Páginas: 266
Minha avaliação: 3/5★
Karen Krupp acorda no hospital, sem ter a menor ideia de como foi parar nele. Tom, seu marido, diz que a porta estava destrancada quando ele entrou em casa, as luzes acesas, e que a esposa provavelmente saiu às pressas quando estava preparando o jantar, pelo que ele viu na cozinha. Karen perdeu o controle do carro enquanto dirigia a toda a velocidade e bateu de frente num poste. O mais estranho: o acidente aconteceu num dos bairros mais perigosos da cidade. A polícia suspeita de que Karen esteja envolvida em algo obscuro, mas Tom tem certeza de que não. Ele está casado com ela há dois anos, conhece muito bem a mulher. Será mesmo? Vai perguntar tudo a Karen quando chegar ao hospital, depois de dizer que a ama e que está feliz por ela ter sobrevivido, é claro. Mas Tom não obtém resposta nenhuma... porque ela não se lembra de absolutamente nada.
Eu valorizo enormemente obras capazes de envolver e convencer. Não importa quanto tempo leve, o importante é perceber as peças se encaixando naturalmente, é recompensador. Um suspense bem elaborado, pode nos tornar cativos mas não apenas isso, nos faz crer na ideia central e buscar pela solução do mistério em questão. A Shari, soube introduzir a trama e me fez querer entender melhor o que estava se passando, mas lá pelas tantas, quando comecei a perceber uma série de incoerências que ao contrário do esperado não fariam sentido algum no futuro, acebei me desapontando. Não tinha muitas expectativas ao iniciar a leitura mas por um breve momento consegui acreditar que seria uma história digna de elogios rasgados, infelizmente o potencial da obra foi negligenciado o que nos deu uma trama boa, que poderia ter sido muito melhor. Ficaram em suspenso uma série de elementos que se bem desenvolvidos poderiam ter composto "A" história. Mesmo assim esta não foi uma experiência perdida, consegui gostar de alguns aspectos e me surpreender com algumas abordagens.

10 de agosto de 2018

[Resenha] A louca dos gatos - Sarah Andersen

Olá personas!
Não sei se vocês notaram mas esse ano as HQ's estão meio escassas por aqui. Estou tentando diversificar o conteúdo da melhor forma possível e mesmo assim algumas coisas acabam me escapando, mas não se preocupem porque hoje estou trazendo essa gracinha para compensa-los pela ausência prologada dessas histórias tão queridas. Além disso, eu já estava super, hiper, mega interessada nas coleções da Sarah Andersen, o que torna essa iniciativa ainda mais especial. A louca dos gatos é o terceiro volume da coleção Sarah's Scribbles da cartunista, fenômeno de público nas redes sociais, Sarah Andersen. Acredito que hoje em dia não exista uma única pessoa que seja ativa na internet que não tenha visto alguma coisa da Sarah, o que me leva a crer que você sabe bem do que eu estou falando. Caso eu esteja enganada, não tem problema, é só seguir lendo para descobrir mais sobre a rainha do sarcasmo.

A louca dos gatos (Herding Cats)
Coleção: Sarah's Scribbles #03
Autor (a): Sarah Andersen @SarahCAndersen
Publicação: Seguinte *Cortesia
ISBN: 9788555340567 | Skoob
Gênero: HQ
Ano: 2018
Páginas: 112
Minha avaliação: 4/5★
A terceira coletânea da cartunista Sarah Andersen traz novas tiras que retratam os desafios de ser um jovem adulto num mundo cada vez mais instável. Os quadrinhos de Sarah Andersen são para todos que precisam lidar com níveis de ansiedade cada vez mais alarmantes, que sentem que o mundo está à beira do colapso e que se esforçam para sair ao menos um centimetrozinho da zona de conforto. Ou seja, é basicamente um manual de sobrevivência para os dias de hoje. Além de suas tirinhas sagazes e encantadoras, a autora, que já reuniu mais de 2 milhões de fãs no Facebook, traz também ensaios ilustrados com dicas para os artistas aspirantes aprenderem a lidar com críticas, ignorarem os trolls na internet e não desistirem de mostrar seu trabalho.
Já faz um tempo que acompanho de forma despretensiosa as tirinhas da Sarah nas redes sociais, e embora não conheça seu trabalho profundamente sempre tive uma boa impressão de tudo que vi. Admito que logo de cara estranhei os traços da artista, a garota desgrenhada, de olhos gigantes e "movimentos" exagerados, não me atraiu muito no inicio, mas as tiradas divertidas, o humor ácido e direto me fizeram dar uma segunda olhada e quanto mais eu lia mais me reconhecia nas abordagens da Andersen. Foi tão fácil me enxergar na leitora compulsiva, que prefere gastar com livros a qualquer outra coisa, ou na garota cujo cérebro não sabe como diferenciar um personagem fictício de uma pessoa real e os ama da mesma forma, e quem nunca confirmou que todos os botões do fogão estavam desligados, mas ao sair de casa foi pego pela paranoia de que poderiam estar ligados? Essas são apenas algumas dentre as tantas situações retratadas com as quais me identifiquei, então quando soube da existência de livros que reuniam várias dessas tirinhas, foi natural querer saber mais a respeito. 

8 de agosto de 2018

[Resenha] Bruto e apaixonado - Janice Diniz

Olá pessoas!
Quem já conhece a "rainha dos cowboys" brasileiros? Se não conhecem chegou a hora de conhecer e quem já acompanha, vem conversar comigo sobre esse querido. Não sei por onde andei durante todos esses anos que ainda não havia lido nada dessa autora, mesmo suas obras abordando um universo que curto bastante, mas ao que parece finalmente consegui sair da caverna que estava habitando e acabei de ter meu primeiro contato com a escrita da Janice Diniz e já adianto que não poderia ter ficado mais satisfeita com a experiência. Uma das coisas que mais gosto nessa minha vida de leitora é encontrar obras nacionais cativantes como esta, da um orgulho "danado sô", e Janice sabe bem como conquistar o leitor, então cá estou eu me rendendo a uma de suas obras. Bruto e apaixonado é o primeiro livro da série Irmãos Lancaster de Janice Diniz, autora best-seller da amazon. Sem mais delongas, vamos a resenha!

Bruto e apaixonado
Coleção: Irmãos Lancaster #01
Autor (a): Janice Diniz @janice_diniz
Publicação: Harlequin *Cortesia
ISBN: 9788595082885 | Skoob
Gênero: Romance +18
Ano: 2018
Páginas: 256
Minha avaliação: 4/5★
Mário Lancaster e Natália Esteves parecem não ter nada a ver um com o outro: ele é um ex-peão de rodeio e ela, uma empresária sofisticada de uma metrópole. Ela deve demitir funcionários da maior fábrica local, e ele é o responsável por convencê-la a mudar de ideia. Eles estão em lados opostos, mas a química entre os dois é impossível de ignorar. Bruto e apaixonado é o primeiro volume da série Irmãos Lancaster e uma história irresistível de amor, superação, sedução e, claro, caubóis atraentes e possessivos.
Não me lembro de já ter lido alguma outra história de Cowboys antes desta, mas desde que me entendo por gente sou encantada por esse universo. O que é meio contraditório uma vez que não sou lá muito fã de vaquejadas e coisas do tipo, pra falar a verdade tenho pavor desses eventos. O que me fascina de verdade é o clima interiorano, a simplicidade da vida no campo, a lida nas fazendas, os animais... E esse livro trás muito da rotina intimista das cidades pequenas. Além disso, Janice quebra alguns esteriótipos, e nos faz ver o coração "bão" por trás da brutalidade inicial do ex-peão e a força que rege a garota subestimada. Além disso, os conflitos familiares acrescentam uma dramaticidade interessante a trama, e embora alguns detalhes fiquem em suspenso, é possível se divertir e entreter com os dilemas de Mário e Natália.