26 de outubro de 2019

[Indicação] Sob a Luz da Escuridão - Ana Beatriz Brandão

Oiê queridos, tudo bem com vocês?
Para quem não me conhece meu nome é Marcelo Henrique, sou administrador do perfil literário no Instagram chamado Folha de Pólen. Essa é minha primeira postagem como Colaborador no Blog e primeiramente quero agradecer a Delmara por ter me proporcionar essa chance de contribuir para com esse blog incrível. Como primeiro contato com o blog irei indicar um livro nacional na qual eu adorei ter realizado a leitura. A obra se chama Sob a Luz da Escuridão, da autora Ana Beatriz Brandão e publicado pelo Grupo Editorial Record através do Selo Verus Editora.

18 de outubro de 2019

[Resenha] Sons da Fala - Octavia E. Butler

Olá pessoal!
Recentemente a Morro Branco Editora lançou em seu site oficial o Projeto Cápsula, que trata-se de uma plataforma de incentivo a novos leitores e escritores, onde serão publicados mensalmente textos curtos, de autores clássicos e estreantes, para leitura online (mobile e desktop). O projeto visa disseminar a leitura de forma acessível para o maior número de pessoas possível, e marcando seu lançamento, foi disponibilizado gratuitamente o conto Sons da Fala, da rainha da Ficção Científica Octavia E. Butler. O texto originalmente pulicado na Revista de Ficção Científica de Asimov em 1983, garantiu a Butler seu primeiro Prêmio Hugo de Melhor Conto. Uma oportunidade e tanto para aqueles que como eu estavam ansiosos para ler algo desta mulher. 

Sons da fala (Speech Sounds)
Autor (a): Octavia E. Butler
Publicação: Morro Branco
ISBN: 9788592795771 | Skoob
Gênero: Ficção Científica
Ano: 2019
Páginas: 33
Minha avaliação: 5/5★
Leia gratuitamente
"A doença, se é que era uma doença, tinha arrancado os vivos uns dos outros. Enquanto varria o país, as pessoas mal tiveram tempo de pôr a culpa nos soviéticos (embora eles estivessem silenciando junto ao resto do mundo), em um novo vírus, um novo poluente, radiação, justiça divina... A doença foi certeira no modo como derrubou as pessoas (...). A linguagem sempre era perdida ou severamente debilitada. Nunca era recuperada."
Valerie Rye é uma sobrevivente numa civilização colapsada. Após uma pandemia misteriosa, Rye perdeu seu marido e filhos, bem como sua capacidade de ler e escrever, e a liberdade de falar. Um fenômeno inexplicado que afeta irreversivelmente a aptidão de comunicar-se através da fala e/ou da escrita assolou a humanidade e aqueles que conseguiram conservar mesmo que um resquício destas habilidades, correm um risco ainda maior que os demais, isso porque ao menor sinal de sociabilidade, aqueles que a perdeu por completo são dominados por um sentimento incontrolável de ódio e inveja que os leva a um enfrentamento violento cujo resultado é quase sempre fatal. Sendo assim, para Valerie restou o silencio, mesmo quando ela ainda pode falar. Nesse cenário o isolamento deixa de ser uma opção e torna-se mais um dentre os inúmeros carrascos com o qual Rye precisa lidar.