18 de outubro de 2019

[Resenha] Sons da Fala - Octavia E. Butler

Olá pessoal!
Recentemente a Morro Branco Editora lançou em seu site oficial o Projeto Cápsula, que trata-se de uma plataforma de incentivo a novos leitores e escritores, onde serão publicados mensalmente textos curtos, de autores clássicos e estreantes, para leitura online (mobile e desktop). O projeto visa disseminar a leitura de forma acessível para o maior número de pessoas possível, e marcando seu lançamento, foi disponibilizado gratuitamente o conto Sons da Fala, da rainha da Ficção Científica Octavia E. Butler. O texto originalmente pulicado na Revista de Ficção Científica de Asimov em 1983, garantiu a Butler seu primeiro Prêmio Hugo de Melhor Conto. Uma oportunidade e tanto para aqueles que como eu estavam ansiosos para ler algo desta mulher. 

Sons da fala (Speech Sounds)
Autor (a): Octavia E. Butler
Publicação: Morro Branco
ISBN: 9788592795771 | Skoob
Gênero: Ficção Científica
Ano: 2019
Páginas: 33
Minha avaliação: 5/5★
Leia gratuitamente
"A doença, se é que era uma doença, tinha arrancado os vivos uns dos outros. Enquanto varria o país, as pessoas mal tiveram tempo de pôr a culpa nos soviéticos (embora eles estivessem silenciando junto ao resto do mundo), em um novo vírus, um novo poluente, radiação, justiça divina... A doença foi certeira no modo como derrubou as pessoas (...). A linguagem sempre era perdida ou severamente debilitada. Nunca era recuperada."
Valerie Rye é uma sobrevivente numa civilização colapsada. Após uma pandemia misteriosa, Rye perdeu seu marido e filhos, bem como sua capacidade de ler e escrever, e a liberdade de falar. Um fenômeno inexplicado que afeta irreversivelmente a aptidão de comunicar-se através da fala e/ou da escrita assolou a humanidade e aqueles que conseguiram conservar mesmo que um resquício destas habilidades, correm um risco ainda maior que os demais, isso porque ao menor sinal de sociabilidade, aqueles que a perdeu por completo são dominados por um sentimento incontrolável de ódio e inveja que os leva a um enfrentamento violento cujo resultado é quase sempre fatal. Sendo assim, para Valerie restou o silencio, mesmo quando ela ainda pode falar. Nesse cenário o isolamento deixa de ser uma opção e torna-se mais um dentre os inúmeros carrascos com o qual Rye precisa lidar.

Cansada do imenso vazio que se tornou sua vida, Valerie se agarra a um fio de esperança e embarca numa viagem perigosa em busca de familiares que, contra todas as probabilidades, ela se obriga a acreditar que possam ter sobrevivido a pandemia. Contudo, um conflito inevitável a coloca diante de um desconhecido, Obsidian, surge como um vislumbre de ordem em meio ao caos, e depois de um longo tempo vivendo nas sombras ele lhe fará enxergar um fragmento de luz.

Em meu primeiro contato com a escrita da Octavia E. Butler, eu não poderia ter ficado mais satisfeita. Não é de agora que venho alimentando um interesse crescente por suas obras, sendo assim, eu não pensei duas vezes antes de aproveitar a oportunidade de ler este conto, e posso falar? Foi uma experiência maravilhosa. Não é segredo pra ninguém que ficção científica é um gênero fora da minha zona de conforto, mas as abordagens da Butler sem sombra de dúvidas valem a tentativa. De forma magistral, a autora desenvolve um mundo onde a maioria da população não consegue falar, ler ou escrever, e mesmo a pequena parcela capaz de tais feitos não pode usufruir disso livremente, pois tais habilidades despertam o pior daqueles que não são capazes de fazer o mesmo. Um mundo onde a inveja e o ódio dominam, e a civilidade é um bem praticamente extinto. Pessoas se anulam tentando manter-se vivas para uma existência vazia e solitária. 

Sons da Fala, é maravilhoso. O caos narrado por Rye, é interessante na mesma medida que desolador, conhecer a história desta mulher, mesmo que superficialmente, nos permite entender o porque dela estar tão desesperada pelo mínimo de contato humano. Outro ponto que me chamou muito a atenção, é a forma que os sobreviventes encontraram para se comunicar. É possível perceber que a linguagem de sinais utilizada pela maioria não apresenta um padrão, cada um se expressa da melhor forma que pode e com o auxilio de sons e expressões tentam se fazer entender, embora nem sempre consigam obter sucesso nessa empreitada.  Em poucas páginas somos apresentados a um universo complexo e a personagens tão carismáticos que tomam para si nossa afeição sem muita dificuldade. E ao final de tudo é impossível não ansiar por mais.

12 comentários

  1. Olá...
    Adorei sua resenha!
    Fiquei com muita vontade de ler esse livro, os fatores que compõe o enredo parece tornar a leitura sublime... Gostei bastante de seus comentários!
    Dica anotada!
    Bjo

    ResponderExcluir
  2. Minha curiosidade para ler algo desta autora cresce absurdamente toda vez que leio uma resenha de algum livro dela. este livro aqui eu ainda não tinha lido nada a respeito e termino de ler sua resenha literalmente enlouquecida pra ler. Já colocando na lista de desejos.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Que resenha ótima, eu to com essa autora na minha wishlist desde o primeiro lançamento pela morro branco, ainda não consegui comprar suas obras mas já sinto que irei amar!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Eu também sou louca para conhecer a escrita da autora. Adorei o enredo do livro, provavelmente tem um desenvolvimento muito bom, mas para uma história assim eu acho que merecia ter mais páginas, pois parece que ficamos com aquele gostinho de quero mais no final.
    Vou aproveitar que é um livro mais curtinho e irei procurar a respeito!

    ResponderExcluir
  5. Olá! Me pareceu bem original o mundo criado pela autora, pois a fala é uma questão importante para qualquer pessoa/sociedade. Confesso que ficção científica também é um gênero que foge à minha zona de conforto, mas, se você gostou é provável que eu também goste, vou procurar para ler. Valeu a indicação! Beijos! Karla Samira

    ResponderExcluir
  6. Oi Delmara.
    É muito bom quando gostamos da escrita de um autor os livros nos deixam satisfeitos. Lendo a sua resenha fiquei bem curioso para conhecer o livro, que inclusive tem uma capa que eu achei bem bonita. Espero poder conhecer a obra em breve e gostar dela tanto quanto você.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Boa noite
    Poxa me interessei bastante pela história, q situação tensa essa, uma doença q impede a fala, fico curioso pra ver como a autora retratou isso no livro, como lidou com esse problema dos personagens. Dica anotada!

    ResponderExcluir
  8. Eu sou louca para ler os livros da autora e não conhecia esse ainda, com a sua resenha sobre ele a obra foi direto para a minha lista de desejados e espero ter a oportunidade de comprar logo. Adorei ver a sua opinião e também conhecer um pouco sobre a obra. Ah, achei a capa linda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Beatriz,
      Fico contente que minha resenha tenha despertado seu interesse pelo conto. Se quer tanto lê-lo, não precisa comprar. Como deixei claro na postagem, a história está disponível gratuitamente no site oficial da editora Morro Branco, inclusive deixei o link aí em cima, caso deseje aproveita-lo.

      Boa leitura!

      Excluir
  9. Olá Delmara!!!
    Eu não conhecia a autora e nem sou muito do gênero, mas fiquei curiosa em ver um mundo em que não se há fala.
    Minha professora de Libras uma vez explicou que em cada lugar existe uma variante na língua até mesmo de sinais, então talvez a autora tenha mostrado um pouco disso no seu conto.
    Adorei a resenha e conhecer um pouco sobre a autora!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Delmara,
    Adorei a inciativa da Morro Branco. Apesar dos novos escritores terem ferramentas como o Wattpad e a própria Amazon para publicar suas história, a divulgfação é muito maior quando tem o aval de uma editora como a morro Branco. Ficção-Científica também um gênero fora da minha zona de conforto, mas fiquei intrigado com o conto da Octavia E. Butlker, autora de Kindred e de outros livros publicados pela Morro Branco. Uma ótima oportunidade de conhecer a escrita dessa autora afro-americana consagrada por suas obras de ficção científica feminista.
    Com amor, André
    Garotos Perdidos

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem? Ler sua resenha me fez lembrar de "Caixa de Pássaros" e tenho a impressão de que iria gostar muito de conhecer esse livro. A história parece ser muito boa! Vou adicioná-lo a minha listinha de desejados e espero lê-lo em breve. Beijos!

    www.livroapaixonado.com.br

    ResponderExcluir