4 de novembro de 2019

[Resenha] A Filha do Rei do Pântano - Karen Dionne

Olá pessoas!
Hoje vamos falar sobre uma das minhas últimas leituras, um triller sombrio que mexeu muito comigo. A filha do Rei do Pântano foi publicado ano passado pela TAG inéditos, e esse ano ganhou uma nova edição pela Verus editora. Apesar de sua disponibilidade prévia, só agora eu tive meu primeiro contato com o livro, diante disto, eu definitivamente iniciei essa leitura as cegas, e confesso que não esperava muito dessa história, claro que tendo em mente as informações disponíveis da sinopse, me preparei para sentir um certo incômodo com o desenrolar da trama, mas o que encontrei aqui vai muito além disso. Karen Dionne, descreve um cenário revoltante e desolador, e nos apresenta á um homem sádico, cruel e assustadoramente perigoso que usa e abusa do seu poder de manipulação. Em contra partida a autora nos faz enxergar através dos olhos de uma das suas principais vítimas. O resultado disso, é uma miríade incomensurável de sentimentos, sensações e interpretações. 

A Filha do Rei do Pântano (The Marsh King's Daughter)
Autor (a): Karen Dionne @KarenDionne
Publicação: Verus *Cortesia
ISBN: 9788576867791 | Skoob
Gênero: Suspense
Ano: 2019
Páginas: 266
Minha avaliação: 4/5★
Amazon | Saraiva | Submarino
Helena Pelletier tem um marido amoroso, duas filhas lindas e um negócio que preenche seus dias. Mas ela também tem um segredo: é fruto de um sequestro. Sua mãe foi raptada quando adolescente por seu pai e mantida em uma cabana nos pântanos do Michigan. Nascida dois anos depois do sequestro, Helena amava sua casa na natureza e, apesar do comportamento às vezes brutal do pai, ela o amava também... Até perceber o quão selvagem ele poderia ser. Vinte anos depois, ela já enterrou seu passado tão profundamente que até o marido não sabe a verdade. Mas agora seu pai matou dois guardas, escapou da prisão e desapareceu. A polícia começa uma caçada, e Helena sabe que não irão descobrir nada, pois apenas uma pessoa, treinada por ele mesmo, tem as habilidades para encontrar o sobrevivente que o mundo chama de Rei do Pântano. E essa pessoa, claro, é Helena.
Eu definitivamente não esperava ser arrebatada por esta trama. A princípio considerei a proposta perturbadora porém interessante, mas conforme a narrativa avançava me vi embolada em um sem número de impressões que mudavam rapidamente a cada novo capítulo. Uma adolescente sequestrada e mantida cativa em uma cabana num pântano durante doze anos, é o tipo de situação que deixa qualquer um revoltado, e comigo não foi diferente. Mesmo nesta história onde não temos o ponto de vista da vítima, é possível ter uma noção clara do cenário pavoroso ao qual ela foi submetida. No entanto, eu estava ansiosa para ver através dos olhos de Helena. Como uma criança, fruto de uma "união" forçada, se desenvolve em um ambiente isolado, tendo ao seu lado apenas um abusador e sua vítima? E se me permitem ser honesta, Helena me alarmou de diversas formas durante toda a leitura.