10 de novembro de 2018

Li em um livro: As plêiades

Hello peoples!
Acho que já mencionei antes o incômodo constante que venho sentindo com a mesmice das postagens que ando publicando no blog. Quando criei este espaço pensei em trazer tudo que fizesse parte do universo literário, mas infelizmente por comodismo tenho me limitado a escrever resenhas de livros e adaptações, admito que isso tem me entristecido. Não disponho de muito tempo para fazer tudo que gostaria, mas estou disposta a me empenhar mais para diversificar o conteúdo e expôr o máximo possível da riqueza disponível nesse Nosso Mundo Literário. E dando o pontapé inicial, estou trazendo um trecho magnífico que tive acesso enquanto lia Perigo para um inglês, terceiro livro da série, Escândalos e canalhas de Sarah MacLean. A obra em questão é um romance de época, que conta a história de Seraphina, duquesa de Haven, que após inúmeros conflitos foge sem deixar rastros, abandonando um marido desesperado por encontrá-la. Durante a narrativa, a autora descreve o mito das plêiades, que além de fazer alusão ao drama de Sera, apresenta uma outra história de amor épico que despertou meu interesse instantaneamente. Quer saber mais? Então segue lendo.

8 de novembro de 2018

[Resenha] Bruxa akata - Nnedi Okorafor

Olá pessoas!
Hoje é dia de fantasia infanto juvenil, mas não estou falando de qualquer fantasia. Bruxa akata é o primeiro livro que aborda a mitologia e a cultura africana que tenho o privilégio de ler. E como toda novidade gera uma certa expectativa, não posso negar que esperei ansiosamente para ter este carinha em mãos. Inicialmente descrita como o "Harry Potter nigeriano" a obra de Nnedi Okorafor, chega repleta de hábitos e comportamentos diferenciados, ao mesmo tempo que trás nuances comuns a abordagens do gênero. Resumindo, embora este não seja o primeiro livro protagonizado por um aprendiz de magia que precisa salvar o mundo, sem sombra de dúvidas é uma das obras responsáveis por trazer novos ares a histórias do tipo. Diante disto, eu não poderia deixar de dar destaque especial ao fato desta ser uma trama que se baseia em crenças e rituais folclóricos nigerianos, que diga-se de passagem foram trabalhados com esmero. Sem mais delongas, vamos a resenha!

Bruxa akata (Akata Witch)
Coleção: Akata Witch #01
Autor (a): Nnedi Okorafor @nnedi
Publicação: Galera *Cortesia
ISBN: B07CQ5SW8Z | Skoob
Gênero: Fantasia
Ano: 2018
Páginas: 322
Minha avaliação: 4/5★
Amazon | Saraiva | Submarino
Sunny tem 12 anos e sempre viveu na fronteira entre dois mundos. Filha de nigerianos, nasceu nos Estados Unidos e é albina. Uma pária, incapaz de passar despercebida. O sol é seu inimigo. Castiga a pele e a expõe aos olhares curiosos. Parece não haver lugar onde ela se encaixe. É sob a lua que a menina se solta, jogando futebol com os irmãos. E então ela descobre algo incrível – na realidade, ela é uma pessoa-leopardo em um mundo de ovelhas. Sunny é alguém com um talento mágico latente, é uma agente livre. Uma pessoa com poderes que nasceu de pais comuns. Logo ela se torna parte de um quarteto de estudantes mágicos, pesquisando o visível e o invisível, aprendendo a alterar a realidade, sendo escolhida por um mentor e conseguindo, enfim, sua faca juju — com a qual é capaz de fazer seus feitiços. Mas isso será suficiente para que encontrem e impeçam um assassino em série que está matando crianças? Um homem perigoso com planos de abrir um portal e invocar o fim do mundo?
Primeiro quero dizer que, embora eu não seja fã de tramas protagonizadas por crianças, a agilidade narrativa de Okorafor torna tudo tão interessante que é impossível se ater aos detalhes que normalmente me incomodariam. E segundo, o enredo enriquecedor que desafia o óbvio nos impele a querer mais e mais a cada virar de páginas. Nnedi trabalha magistralmente com uma infinidade de elementos intrínsecos a cultura africana, dentre eles destaco mitologia, misticismo, nomenclaturas incomuns e seus significados, lugares, expressões, alimentos... Conforme somos inseridos e ambientados a essa realidade tão distante é possível desenvolver certa familiaridade e aos poucos abandonar a sensação de estranhamento pela qual somos dominados ao iniciar a leitura. De modo geral esta é uma história capaz de expandir horizontes, ampliar conhecimentos e despertar questionamentos, isso tudo enquanto nos aflige com o perigo a espreita e nos prende em um emaranhado de descobertas nunca antes imaginadas. Uma porta que se abre para um mundo curiosamente sombrio.

4 de novembro de 2018

[Resenha] O amante da princesa - Larissa Siriani

Hello peoples!
Hoje vamos falar sobre o livro que destruiu meu emocional (obrigada Larissa), assim curto e grosso porque quero que vocês estejam cientes como eu jamais estive. Li O amante da princesa a vários meses atrás e até hoje não havia encontrado formas de expressar o quanto esse livro mexeu comigo em alguns momentos - bem específicos, eu diria. De qualquer forma, essa leitura me forçou a olhar além e perceber os bons frutos ao invés de focar nas adversidades. Uma boa lição, não acham? Já havia lido a respeito da autora e alguns de seus livros, inclusive este, mas nada que de fato houvesse me preparado para o esta obra reserva. No final das contas a estrutura deste romance é bem simples e previsível, afinal quem nunca leu sobre a mocinha presa em um compromisso indesejado que sonha em casar-se por amor e acaba encontrando tal sentimento nos braços de outro, é um clássico. E foi exatamente isto que enxerguei antes de ler esta história, mas não cometam meu erro, não se atenham ao óbvio e estejam preparados para os desafios de um romance belo e emocionante. Agora chega de divagações, vamos ao que interessa!

O amante da princesa
Autor (a): Larissa Siriani @LarissaSiriani
Publicação: Verus *Cortesia
ISBN: 9788576866800 | Skoob
Gênero: Romance +16
Ano: 2018
Páginas: 224
Minha avaliação: 5/5★
Amazon | Saraiva | Submarino
Maria Amélia de Bragança é princesa do Brasil, prometida a Maximiliano Habsburgo, arquiduque da Áustria. Mas não há nada que ela deseje menos do que esse casamento: como alguém pode querer que ela se case com um homem que nem sequer conhece? O que Amélia não esperava é que seu noivo chegasse ao Palácio das Janelas Verdes, em Lisboa, acompanhado do amigo Klaus Brachmann, um homem charmoso e experiente que se sente compelido a seduzir a princesa apenas pelo prazer da conquista. Uma viagem inesperada que Maximiliano precisa fazer se mostra a oportunidade perfeita para que Klaus ensine uma coisinha ou outra a Amélia entre quatro paredes... E, conforme o jogo avança, a possibilidade de casamento se torna cada vez mais remota para a princesa, que agora precisa proteger seu coração a todo custo.
Antes de tudo quero deixar registrado que este livro foi INSPIRADO na história de Maria Amélia Bragança, filha de D. Pedro I que nasceu na França e viveu em Portugal. E por ser algo inspirado, entendemos que não trata-se de uma biografia, sendo assim a autora possui total liberdade para desenvolver o lado ficcional da trama. Digo isso, porque li inúmeras críticas onde os leitores diziam não se conformar com a linda história da princesa sendo "distorcida" em algo "menos empolgante". Ah! Gente, fala sério. Eu devo ter perdido algo porque em momento algum fui levada a crer que este é exclusivamente um relado histórico e muito menos esperei que reproduzisse fidedignamente os acontecimentos da vida de Maria Amélia, além disso, em nota a autora deixa claro que os eventos narrados por ela divergem da realidade em vários pontos, então qual a grande dificuldade em aceitar as abordagens e analisar o enredo pelo que ele é ao invés de pelo que gostariam que fosse? O fato da Larissa não ter se atido completamente ao viés histórico é inclusive o que me fez amar incondicionalmente esse livro, quem pesquisar saberá que a realidade possui mais tragédias do que se espera em um romance como este.

2 de novembro de 2018

[Resenha] Um dia em dezembro - Josie Silver

Olá personas!
Recentemente chegou pra mim mais uma edição da caixa VIB, organizada pelo Grupo editorial record, e antes de tudo preciso dizer que este foi um dos kits mais lindos até agora, logo logo posto mais detalhes no ig. Desta vez recebi uma prova antecipada de Um dia em dezembro, livro de estréia de Josie Silver que narra um amor a primeira vista permeado de desencontros e obstáculos, ao estilo David Nicholls em Um dia. Como na última postagem que fiz a respeito do projeto algumas pessoas tiveram dúvidas quanto ao conteúdo da prova antecipada, quero deixar registrado que a prova trás a história na íntegra e só não está finalizada no que diz respeito a revisão textual (a razão para não ter quotes no post) e capa, então este texto reflete minhas impressões sobre todo o conteúdo escrito que a obra oferece, o que obviamente não engloba o trabalho gráfico e de diagramação. Dito isto, vamos a resenha.

Um dia em dezembro (One day in December)
Autor (a): Josie Silver @jsilver
Publicação: Bertrand Brasil *Cortesia
ISBN: 9788528623666 | Skoob
Gênero: Romance
Ano: 2018
Páginas: 336
Minha avaliação: 4/5★
Amazon | Saraiva | Submarino
Laurie não acredita em amor à primeira vista. Afinal de contas, a vida não é a cena de um filme romântico. Mas, então, em uma manhã de dezembro fria e com neve, o ônibus de dois andares em que voltava para casa para em um ponto. Ao olhar para baixo, ela o vê. Por um segundo transcendental, seus olhos se encontram... e então o ônibus começa a andar. Depois de muitos meses com a esperança de cruzar novamente com ele, Laurie acha que nunca mais verá o garoto do ônibus. No entanto, um ano depois, em uma festa de Natal, sua melhor amiga, Sarah, apresenta o novo namorado, o grande amor de sua vida. Para seu profundo desespero e surpresa, ele é ninguém menos que o garoto do ônibus. Determinada a esquecê-lo, Laurie segue com sua vida. Mas e se o destino tiver outros planos?
Casais que levam anos para se resolverem estão longe de serem meus favoritos, pra falar a verdade eu quase não tenho paciência para essas tramas. Por essas e por outras já iniciei a leitura desse livro meio desanimada. Depois de ter sofrido horrores com os encontros e desencontros de Em e Dex em Um dia e os de Alex e Rosie em Simplesmente acontece, admito que não estava lá muito empolgada em conhecer a jornada de Laurie e Jack, no entanto, ao me permitir dar uma chance a essa história pude conhecer uma abordagem diferente para uma premissa que vem se tornando a cada dia que passa mais comum. No meu ponto de vista uma das principais singularidades do enredo está na forma que os protagonistas se conectam, um olhar e tudo muda, antes desse, só havia lido histórias (me refiro especificamente as dos casais que levam anos para se encaixarem de fato) onde o amor surgia entre duas pessoas que já possuíam um certo nível de proximidade. Quem acredita em amor a primeira vista vai sentir na pele a intensidade desse drama, para os mais céticos acredito que a história não terá tanta magia a princípio, mas não se preocupem, porque Silver vai além e mostra que o despertar de um sentimento é apenas o começo de tudo, e que o fascínio do amor está no quanto ele pode resistir e se desenvolver apesar das adversidades.