2 de novembro de 2018

[Resenha] Um dia em dezembro - Josie Silver

Olá personas!
Recentemente chegou pra mim mais uma edição da caixa VIB, organizada pelo Grupo editorial record, e antes de tudo preciso dizer que este foi um dos kits mais lindos até agora, logo logo posto mais detalhes no ig. Desta vez recebi uma prova antecipada de Um dia em dezembro, livro de estréia de Josie Silver que narra um amor a primeira vista permeado de desencontros e obstáculos, ao estilo David Nicholls em Um dia. Como na última postagem que fiz a respeito do projeto algumas pessoas tiveram dúvidas quanto ao conteúdo da prova antecipada, quero deixar registrado que a prova trás a história na íntegra e só não está finalizada no que diz respeito a revisão textual (a razão para não ter quotes no post) e capa, então este texto reflete minhas impressões sobre todo o conteúdo escrito que a obra oferece, o que obviamente não engloba o trabalho gráfico e de diagramação. Dito isto, vamos a resenha.

Um dia em dezembro (One day in December)
Autor (a): Josie Silver @jsilver
Publicação: Bertrand Brasil *Cortesia
ISBN: 9788528623666 | Skoob
Gênero: Romance
Ano: 2018
Páginas: 336
Minha avaliação: 4/5★
Amazon | Saraiva | Submarino
Laurie não acredita em amor à primeira vista. Afinal de contas, a vida não é a cena de um filme romântico. Mas, então, em uma manhã de dezembro fria e com neve, o ônibus de dois andares em que voltava para casa para em um ponto. Ao olhar para baixo, ela o vê. Por um segundo transcendental, seus olhos se encontram... e então o ônibus começa a andar. Depois de muitos meses com a esperança de cruzar novamente com ele, Laurie acha que nunca mais verá o garoto do ônibus. No entanto, um ano depois, em uma festa de Natal, sua melhor amiga, Sarah, apresenta o novo namorado, o grande amor de sua vida. Para seu profundo desespero e surpresa, ele é ninguém menos que o garoto do ônibus. Determinada a esquecê-lo, Laurie segue com sua vida. Mas e se o destino tiver outros planos?
Casais que levam anos para se resolverem estão longe de serem meus favoritos, pra falar a verdade eu quase não tenho paciência para essas tramas. Por essas e por outras já iniciei a leitura desse livro meio desanimada. Depois de ter sofrido horrores com os encontros e desencontros de Em e Dex em Um dia e os de Alex e Rosie em Simplesmente acontece, admito que não estava lá muito empolgada em conhecer a jornada de Laurie e Jack, no entanto, ao me permitir dar uma chance a essa história pude conhecer uma abordagem diferente para uma premissa que vem se tornando a cada dia que passa mais comum. No meu ponto de vista uma das principais singularidades do enredo está na forma que os protagonistas se conectam, um olhar e tudo muda, antes desse, só havia lido histórias (me refiro especificamente as dos casais que levam anos para se encaixarem de fato) onde o amor surgia entre duas pessoas que já possuíam um certo nível de proximidade. Quem acredita em amor a primeira vista vai sentir na pele a intensidade desse drama, para os mais céticos acredito que a história não terá tanta magia a princípio, mas não se preocupem, porque Silver vai além e mostra que o despertar de um sentimento é apenas o começo de tudo, e que o fascínio do amor está no quanto ele pode resistir e se desenvolver apesar das adversidades.

Laurie e Sarah possuem uma amizade quase fraternal, muito mais que um apartamento na Delancey Street, elas dividem a vida (medos, inseguranças, sorrisos, um sanduíche estranho e exclusivo...), então quando Laurie se vê completamente apaixonada por um estranho com o qual ela trocou olhares num ponto de ônibus, é claro que Sarah acompanha a melhor amiga na busca pelo amor perdido, no entanto, um ano se passa sem que o cara seja encontrado e torna-se implícito que Laurie precisa seguir em frente, apesar disso ela guarda dentro de si a esperança silenciosa de um dia reencontrar o estranho que fez seu coração bater mais forte. Mas por ironia do destino quando Laurie finalmente pode estar frente a frente com o amor de sua vida, ele não é apenas o cara que virou seu mundo mas também o novo namorado e grande amor de Sarah. Arrasada, ela se obriga a mais uma vez sufocar seus sentimentos e seguir em frente quando tudo o que ela mais deseja é correr na direção do homem que ama. Determinada, Laurie será provada diariamente e terá que lutar com todas as forças contra o desejo de ser feliz nos braços de Jack.

Quando se ama perdidamente duas pessoas mas só se pode ter uma, como escolher? Quem escolher? E se decidir não fazer esta escolha, como lidar com o gosto amargo de ter seu sonho realizado na vida de outra pessoa? Laurie se apaixonou por Jack primeiro, mas dada a situação completamente incomum do breve "encontro" dos dois, não podemos dizer que Sarah estava cruzando qualquer linha ao se relacionar com ele quase um ano depois, principalmente levando em conta o fato de que ela sequer sabia que seu namorado era o "crush supremo" da amiga, o que nos leva ao fato de que Laurie optou por omitir essa informação que poderia ter mudado tudo para o bem ou para o mal (nunca saberemos). Entendo perfeitamente os receios de Lauren, afinal quem teria coragem de chegar na melhor amiga hiper mega apaixonada e "sabe, seu namorado é o carinha que eu vi uma vez na vida e amo perdidamente desde então", quais seriam as consequências? No mínimo iria bagunçar tudo, não é mesmo? Ainda mais quando o dito cujo fez a egípcia e não demonstrou sequer tê-la reconhecido. Quais chances ela teria? Por em risco uma amizade importante em prol de um amor gigantesco que ela sequer sabia se seria correspondido. Quem arriscaria?

Passado o choque inicial, o sentimento que surgiu rápido e certeiro desabrocha e finca raízes profundas, as incertezas do desconhecido dão lugar a familiaridade alimentada pela convivência e pela compatibilidade, e Lauren e Jack passam a funcionar como duas peças que se encaixam mas não se pertencem. Jack e Sarah são ótimos juntos, e apesar de torcer pela felicidade da amiga é notável o quanto estar próximo do casal incomoda e machuca Laurie, ela possui uma ânsia quase incontrolável de viver sua história com Jack e embora ele tente negar, também não é indiferente a ela. Uma linha tênue separa um limite importante e bem definido e o medo/risco de cruzá-la é tão sufocante quanto tentador. Não concordo com muitas das escolhas feitas por Laurie e Jack, acredito que as coisas poderiam ter sido resolvidas de outra forma e quem sabe em menos tempo. Foram várias oportunidades perdidas e a cada chance ignorada mais pesado e destrutível o segredo se tornava. Apesar disso, não consigo julgá-los por suas escolhas (talvez só um pouquinho), a autora construiu um enredo tão bem amarrado que mesmo questionando várias decisões dos personagens, não posso negar que suas ações condiziam perfeitamente com quem eram e se explicavam (embora não se justificassem) em seus receios e inseguranças.

Um dia em dezembro é dúbio. É fácil perceber e apontar os erros de Lauren e Jack, onde eles se excederam e onde se anularam, onde se encontraram e se perderam, onde se tocaram e se afastaram. É igualmente fácil julgá-los por isso, torná-los fracos por fugirem da luta e por temerem as consequências do que sentiam, mas não é só disso que essa história trata. Quem se propor a analisar as falhas, também precisa ter a decência de considerar, os medos e riscos. Entender as limitações de cada um e reconhecer seus valores e suas dores. Esta é a primeira vez que leio uma história com essa abordagem que me faz sentir verdade no dilema, Josie Silver conduz a trama com coerência e harmônia e nos desafia a acompanhar o amadurecimento gradativo de seus personagens. O desfecho nos trás uma visão nítida de todos os caminhos percorridos, nos mostra o resultado de todos os desvios e obstáculos e nos da a sensação de que apesar de tudo as coisas aconteceram como deveriam ser, contudo poderia e deveria ter sido melhor desenvolvido, ao virar a última página a sensação de que meu livro está incompleto me atingiu em cheio, foi um golpe duro demais que poderia ter sido evitado com um simples epílogo (por favor Silver, me ajuda aqui colega). Uma história de amor, amizade, reencontros e recomeços que envolve e aflige quase que na mesma medida e no final das contas te obriga a descobrir como tudo se resolverá.

15 comentários

  1. eu vi esse livro por aí, mas não tinha curiosidade nenhuma de ler, mas sua resenha mudou isso! gosto muito de Um Dia, então se é uma história no estilo dessa, com certeza irei gostar, e gostei do que você disse sobre ser muito fácil julgar suas escolhas, mas que também nos faz entender as situações que se encontravam. espero poder conferir em breve!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  2. Oi, Delmara!
    Sou um tanto como você neste aspecto de não gostar muito de histórias que se focam em um casal que leva anos para se desenvolver, então este livro não chamou muito a minha atenção. Achei muito angustiante o drama de Laurie e fico pensando que realmente deve ser horrível estar apaixonada por alguém que acaba se tornando namorado da sua melhor amiga. Mas ao mesmo tempo, sou um pouco cética com histórias de amor à primeira vista, então acho que essa leitura não faz muito o meu tipo. Mesmo assim, gostei da sua resenha. Ela está muito esclarecedora e bem escrita. Obrigada pela dica. Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Essa resenha e esse livro me lembraram uma música da Taylor Swift. Curti a dinâmica dos personagens e a ambientação da história. Aliás, eu também sofri com os desencontros em Simplesmente Acontece. Acho que histórias de amizade+amor assim tem muita à acrescentar ainda. <3

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Essa capa realmente é bem linda e me chama atenção.
    Apesar de estar um pouco saturada da forma como alguns enredos envolvendo casais são levados, me parece que esse tem uma boa dose de drama e deixa a leitura bem reflexiva. Penso que enredos assim tem seu valor e fiquei um pouco curiosa para saber mais de como o casal termina e pelas provações que precisam enfrentar.
    Mas certamente se realizar essa leitura farei sem tantas expectativas.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  5. Não sou muito fã de romance, mas esse parece bem bacana e direto. Vou indicar pra minha Namorada. Gostei do blog. Beijo

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Amei sua resenha, amo romances e esse pelas suas palavras é o tipo que gosto de ler. Ainda não conhecia mais já quero ler.

    ResponderExcluir
  7. Ao contrario de você eu adora premissas assim e por isso estou muito empolgada para conhecer Laurie e Jack. Já li alguns comentários sobre esse livro e a cada nova resenha desejo mais saber o desfecho desse triangulo amoroso, ainda mais por saber o quanto está bem amarrado o enredo, então quero conferir pessoalmente os valores e as dores destes personagens.

    Abraços.
    https://acabinedeleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá, Delmara!

    Eu gosto muito das resenhas, pois elas me fazem de ter uma noção bem completa do livro, ao ponto de conseguir visualizar os personagens e os dramas que envolvem o relacionamento entre eles.

    Não sei se eu conseguiria ler essa história. É bem provável que sofresse horrores com ela e depois pegaria raiva da autora.kkkkkkk... Eu evito Nicholas Sparks pelo tanto que ele acaba comigo com suas histórias e embora já tenha ouvido falar de Um Dia e esbarre nesse livro sempre que vou nas Lojas Americanas nunca tive coragem de comprá-lo e lê-los, pois é drama demais para um coração só.rsrs Não gosto de tantos desencontros, de tanta indecisão e escolhas equivocadas.

    Mas até compreendo a situação da personagem desse livro. Sou do tipo que acredita em amor à primeira vista e imagino a dor da mocinha ao descobrir que o homem que roubou seu coração naquela primeira troca de olhares se tornou o namorado de sua melhor amiga. Eu jamais iria querer estar na pele dela. :(

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bom?
    Ao contrário de você, eu adoro umas histórias assim de reencontros e desencontros, onde o casal demora uma vida para ficar junto, então já estava de olho nesse livro viu?! rs Fiquei curiosa para saber como a personagem vai lidar com a amiga se relacionando com o cara que a impactou tanto na primeira troca de olhares. Outro ponto que adorei é saber que além do romance, temos uma história que fala sobre amizades e recomeços. Já anotei a dica e espero poder ler em breve. Amei sua resenha ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá! Achei a premissa da história bem fofa até, com esse lance de conhecer alguém assim, do nada, e perceber que pode ser o amor da sua vida. Embora eu tenha minhas ressalvas sobre sempre existirem duas garotas apaixonadas pelo mesmo homem e nesse caso, duas grandes amigas ainda..
    Até gosto dessas tramas, mas sabe quando enjoa e vira mais do mesmo? É assim que me sinto no momento. Talvez minha opinião mude futuramente e eu dê chance à leitura, mas por enquanto não é algo que eu leria agora.. Obrigada pela resenha!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  11. Olá ♥
    Eu amo um casal que tem lá seus reencontros. Estou louca para fazer a leitura desse livro desde o momento em que vi a capa, podia jurar que era algo voltado para um tema mais natalino devida a capa que ao meu ver remete um pouco. Sua resenha me deixou mega instigada para saber o que vai acontecer. Imagino o quanto deve ser duro para protagonista ter que ver sua melhor amiga com o cara que ela supostamente ama. É uma premissa até um pouco clichê, mas não sei se autora seguira o clichê até o fim e isso despertou minha curiosidade.

    Sua resenha está maravilhosa como sempre.

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Eu estou louca para ler esse livro desde que o lançamento foi anunciado. Infelizmente, justo essa VIB eu não recebi. Mas, adorei conferir sua resenha e fiquei ainda mais animada a ler. Parece ser o tipo de romance que me agrada, com uma trama bem envolvente. Só achei uma pena saber que o desfecho deixou a desejar, podendo ser melhor desenvolvido.
    Adorei ler sua resenha e espero conseguir ler esse livro em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Olá Del,
    Confesso que atualmente esses livros que demonstram a forma como os personagens se anulam, como o amor funciona nesse livro, não têm me agradado, no entanto, eu acho que Um dia em dezembro é um livro mais leve e natalino para lermos em momentos que estamos cansados de leituras mais densas, sabe?
    No entanto, acho que eu seria uma das leitoras que ficaria em busca dessas falhas e que elas me incomodariam, pelo menos, nesse momento.
    Adorei sua resenha e a forma completa como você abordou o livro. Vou me arriscar em ler, mas não nesse momento.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Eu sou como você, não tenho muita paciência para tramas onde o casal leva anos para desenvolver alguma coisa, evito um pouco essas leituras, na verdade, evito romances no geral, apesar de ter lido bastante romances esse ano. Porém é bom saber que essa história há singularidades e o enredo te passou verdade, muito legal saber disso, por tanto eu consideraria a leitura. Dica anotada.
    Beijos

    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  15. Oii tudo bem??

    Não sei pq, mas vi a Vib em varios canais e pra mim foi a que menos gostei, não gosto nada que remete a fim de ano, meio q me irrita, e por mais que não seja descarado natal, me deixa já com pé atras.
    Agora quanto ao relacionamento dos dois, não costumo ler romance e quando o casal tem uma relação de anulação, como forma de amor me da uma preguiça gigante.
    Acredito que a história não vá funcionar para mim.
    Mas adorei a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir