17 de junho de 2019

[Resenha] Um casamento conveniente - Tessa Dare

Olá pessoas!
Ano passado tive ótimas primeiras experiências de leitura, conheci séries maravilhosas, e autores que pretendo acompanhar. A Tessa Dare é uma dessas jóias que me conquistou de imediato, então eu não poderia deixar passar uma história de sua autoria, concordam? Dizer que eu meio que amo romances de época, é como chover no molhado, então digo apenas que minha ansiedade por esse livro era tanta que depois de iniciada a leitura, levei apenas algumas horas para chegar ao desfecho. E no final, eu pude mais uma vez apreciar a capacidade da autora de transformar um drama clichê, em uma história única. Um casamento conveniente, é o primeiro livro da série Girl Meets Duke, que conta a trajetória de quatro amigas que desafiam os padrões da sociedade da época, não só na forma como vivem e pensam, mas também em como encontram o amor. A série que chegou ao Brasil este ano, terá seu terceiro volume publicado em agosto, no exterior.

Um casamento conveniente (The Duchess Deal)
Coleção: Girl Meets Duke #01
Autor (a): Tessa Dare @tdare
Publicação: Gutenberg *Cortesia
ISBN: 9788582355831 | Skoob
Gênero: Romance +18
Ano: 2019
Páginas: 256
Minha avaliação: 4/5★
Amazon | Saraiva | Submarino
Com metade do rosto marcado e desfigurado pela guerra, não foi só a aparência do Duque de Ashbury que sofreu mudanças: a rejeição e o olhar de desprezo das pessoas mutilaram também o seu interior. E, já que precisa viver às sombras da sociedade, ele decide que passará seus dias perambulando por Londres durante a noite para assustar todos que cruzarem seu caminho. Mas o tempo passa, e em posse de um grande título, o duque sabe que precisará cumprir o dever de conseguir um herdeiro para seu ducado. Para isso, só existe uma regra: encontrar uma mulher que aceite um casamento de conveniência, lhe dê um herdeiro e desapareça de sua vida. Quando Emma Gladstone, uma costureira, aparece na casa de Ashbury para exigir o pagamento de uma dívida, ele vê ali uma grande oportunidade de acordo e lhe faz a proposta de casamento. Mas o duque deixa claro que, assim que Emma engravidar, ela deverá partir para o interior e sumir para sempre. Ele precisa de um herdeiro. Ela precisa de um bom casamento. Os dois estão dispostos a tudo, desde que não envolva seus corações. Mas será que o amor cabe nas entrelinhas de um contrato?
Se eu alguém me perguntasse, eu diria que essa trama é uma típica releitura de A Bela e a Fera. Em minha breve pesquisa, não encontrei nada que confirmasse essa minha constatação, então não posso garantir que esta foi a intensão da autora, mas existe uma série de referências explícitas, que vão além da aparência do Duque, que reforçam essa minha impressão. E onde eu quero chegar destacando isso? Simples. Em se tratando de uma narrativa composta de elementos tão familiares, é impossível não se sentir em casa, e o melhor, apesar de facilmente reconhecer aspectos já abordados em outras obras, em nenhum momento me prendi as comparações tão comuns em casos do tipo. O fato é que, a autora conseguiu dar novos rostos e identidade a um enredo clichê, além de ter tornado os dramas vividos por Emma e pelo Duque, mais profundos e críveis, o que consequentemente ampliou sua capacidade de comover o leitor. Então sim, você já deve ter lido uma história com base semelhante a esta, mas se puder olhar além das cartas marcadas, encontrará um doloroso porém encantador processo de cura.