17 de junho de 2019

[Resenha] Um casamento conveniente - Tessa Dare

Olá pessoas!
Ano passado tive ótimas primeiras experiências de leitura, conheci séries maravilhosas, e autores que pretendo acompanhar. A Tessa Dare é uma dessas jóias que me conquistou de imediato, então eu não poderia deixar passar uma história de sua autoria, concordam? Dizer que eu meio que amo romances de época, é como chover no molhado, então digo apenas que minha ansiedade por esse livro era tanta que depois de iniciada a leitura, levei apenas algumas horas para chegar ao desfecho. E no final, eu pude mais uma vez apreciar a capacidade da autora de transformar um drama clichê, em uma história única. Um casamento conveniente, é o primeiro livro da série Girl Meets Duke, que conta a trajetória de quatro amigas que desafiam os padrões da sociedade da época, não só na forma como vivem e pensam, mas também em como encontram o amor. A série que chegou ao Brasil este ano, terá seu terceiro volume publicado em agosto, no exterior.

Um casamento conveniente (The Duchess Deal)
Coleção: Girl Meets Duke #01
Autor (a): Tessa Dare @tdare
Publicação: Gutenberg *Cortesia
ISBN: 9788582355831 | Skoob
Gênero: Romance +18
Ano: 2019
Páginas: 256
Minha avaliação: 4/5★
Amazon | Saraiva | Submarino
Com metade do rosto marcado e desfigurado pela guerra, não foi só a aparência do Duque de Ashbury que sofreu mudanças: a rejeição e o olhar de desprezo das pessoas mutilaram também o seu interior. E, já que precisa viver às sombras da sociedade, ele decide que passará seus dias perambulando por Londres durante a noite para assustar todos que cruzarem seu caminho. Mas o tempo passa, e em posse de um grande título, o duque sabe que precisará cumprir o dever de conseguir um herdeiro para seu ducado. Para isso, só existe uma regra: encontrar uma mulher que aceite um casamento de conveniência, lhe dê um herdeiro e desapareça de sua vida. Quando Emma Gladstone, uma costureira, aparece na casa de Ashbury para exigir o pagamento de uma dívida, ele vê ali uma grande oportunidade de acordo e lhe faz a proposta de casamento. Mas o duque deixa claro que, assim que Emma engravidar, ela deverá partir para o interior e sumir para sempre. Ele precisa de um herdeiro. Ela precisa de um bom casamento. Os dois estão dispostos a tudo, desde que não envolva seus corações. Mas será que o amor cabe nas entrelinhas de um contrato?
Se eu alguém me perguntasse, eu diria que essa trama é uma típica releitura de A Bela e a Fera. Em minha breve pesquisa, não encontrei nada que confirmasse essa minha constatação, então não posso garantir que esta foi a intensão da autora, mas existe uma série de referências explícitas, que vão além da aparência do Duque, que reforçam essa minha impressão. E onde eu quero chegar destacando isso? Simples. Em se tratando de uma narrativa composta de elementos tão familiares, é impossível não se sentir em casa, e o melhor, apesar de facilmente reconhecer aspectos já abordados em outras obras, em nenhum momento me prendi as comparações tão comuns em casos do tipo. O fato é que, a autora conseguiu dar novos rostos e identidade a um enredo clichê, além de ter tornado os dramas vividos por Emma e pelo Duque, mais profundos e críveis, o que consequentemente ampliou sua capacidade de comover o leitor. Então sim, você já deve ter lido uma história com base semelhante a esta, mas se puder olhar além das cartas marcadas, encontrará um doloroso porém encantador processo de cura.

Emma é a filha do vigário, mas a alguns anos foi obrigada a deixar tudo para trás e em completo desamparo construir por seus próprios méritos meios para sobreviver. Sem muitas opções, tornou-se uma costureira de mão cheia, mesmo assim, a jovem não possui muitos recursos, o que a leva a bater na porta do Duque de Ashbury. O encontro não poderia ser mais inusitado, Emma envolta no vestido que a ex-noiva do Duque usaria na cerimônia de casamento cancelada, exige que ele arque com os custos de seu trabalho. Já Ash, um homem marcado física e emocionalmente, vê na jovem desesperada a oportunidade perfeita para um casamento de conveniência. Ela precisa de dinheiro para sobreviver, e para uma mulher em sua posição, um bom casamento pode vir a ser a única saída. Ele precisa de um herdeiro, mas depois de ter sido desprezado, uma união que não envolva sentimentos parece ser a melhor opção. Os termos são simples, ele lhe promete conforto e proteção, e em troca ela lhe dará a chance de honrar seu legado. Haveria espaço para algo mais nesse acordo com demarcações tão bem delimitadas?

Personagens que carregam alguma deformidade física não são mais novidade, em especial no gênero romance, onde sempre existe alguém buscando amor que vá além do que se pode ver. Ainda assim, Tessa Dare, conseguiu trazer pontos interessantes para o drama do Duque de Ashbury. Não diferente da maioria, após o fatídico acontecimento que mudou completamente sua aparência, Ash se tornou recluso e amargurado, perdeu a maioria dos "amigos" e afastou os poucos que sobraram, passou de desejável a "monstro" e como consequência disso abraçou a solidão. Contudo, as batalhas de Ashbury não se resumem a isto, conforme o conhecemos mais intimamente, podemos perceber que suas dores possuem bases sólidas e que sua forma torpe de agir e falar têm uma razão de ser. No que diz respeito a fala, especificamente, Ash é direto e muitas vezes lhe falta tato, no entanto, nem isso nos impede de perceber sua verdadeira essência. O homem destroçado sob as cicatrizes e seus temores, se tornam mais evidentes a cada virar de páginas.

Confesso que já na sinopse, julguei a protagonista por se submeter as exigências do Duque, entretanto, quando se olha o mundo pela óptica da jovem, sua decisão é completamente compreensível. Emma é uma mulher batalhadora, que não poupa esforços para se virar como pode em uma sociedade misógina e indiferente. Sua perspectiva de futuro é extremamente limitada, e casar com um duque nem de longe poderia ser uma opção plausível para uma simples costureira, então quando Ashbury lhe propõe uma união de conveniência onde ela teria seu amparo, e se tudo desse certo, um filho para amar, Emma mesmo relutante, entende que está diante de uma oportunidade única. Afinal, uma mulher em sua posição não se atreveria a sonhar com muito mais que isso. A partir daí, a vida de Ash muda completamente, a solidão dá lugar ao caos protagonizado por um gato de rua, criados ansiosos para que seu lorde reencontre a felicidade e uma esposa persistente que não desistirá até conhecê-lo por completo, some isso a um grupo de jovens peculiares que tornarão os dias de Emma ainda melhores e mostrarão ao Duque o verdadeiro significado da amizade, e voilà, um romance encantador passível de ser devorado.

"Ash passara anos sofrendo. Para falar a verdade, Emma também. Nenhum dos dois podia fazer as feridas do outro sumirem."

Um casamento conveniente, é comovente. Diferente dos diversos livros do tipo que li, neste consegui sentir fácil e verdadeiramente as dores e humilhações as quais Ashbury foi submetido. Muito mais que um homem marcado fisicamente, o duque teve suas emoções e esperanças destroçadas, o que torna quase doloroso presenciar sua luta constante contra o desejo de se entregar aos sentimentos que a esposa desperta. Os dramas de Emma, não foram tão explorados quanto os do protagonista, mesmo assim, não é difícil perceber que ela também passou por poucas e boas. Acompanhar a trajetória do Duque e da Duquesa de Ashbury me proporcionou uma miríade agridoce, onde hora me lamentava por suas dores e hora vibrava com suas conquistas e evolução. Mais uma vez Tessa nos presenteia com uma trama divertida e sensual (na medida certa), que trabalha dramas tocantes de forma ímpar. Uma história de redescoberta, que nos mostra a importância de nunca nos perdermos de nós mesmos.

10 comentários

  1. Oieee.
    Achei interessante você achar semelhantes com A Bela e a Fera, pode ser que tenha sido proposital, embora a autora não mencione.
    Muito interessante usar mutilação num personagem, vindo dessa época onde a medicina não era avançada, as pessoas se sentiam derrotadas com essas coisas.
    Acredito que o livro seja uma ótima leitura.
    Nunca li nada da autora, mas com certeza esse livro me chamou atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Helana, também considero um diferencial e tanto um personagem de época, principalmente se tratando de um nobre, sendo apresentado com tais características. E o melhor de tudo é a riqueza com a qual a autora detalha o quanto a vida social e pessoal do duque foi afetada após sua tragédia pessoal. Durante a trama é perfeitamente possível sentir que os dramas de Ash são bem embasados, isso me comoveu imensamente.

      Excluir
  2. Oi Delamara!
    Me parece um romance fofo, adoro a Tessa pois seus romances são leves e gostosos de ler. Parabéns pela resenha já estou curiosa para o desenrolar da trama e conhecer os personagens principais, o enredo com um mocinho rabugento e uma mocinha determinada é tudo de bom. Obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oi, eu amo romances de época e este trazendo um mocinho marcado fisicamente e emocionalmente e uma mocinha que não é da nobreza já chama a minha atenção, e pela sua resenha me parece que a autora criou um ótimo enredo e ótimos personagens. Já quero ler esse livro.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Mesmo tendo personagens que já estão batidos, acho que a Tessa tem um jeito especial em conduzi-los na narrativa e por isso os romances de época dela são incríveis.
    Ainda não tive oportunidade de ler esse livro mas já está na lista de desejados.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Camila,
      concordo em número, gênero e grau. A Tessa realmente tem um jeito especial de conduzir tramas clichês, o que as tornam únicas.

      Excluir
  5. Oi! Sempre que eu leio uma resenha dessas eu me questiono por que ainda não l nada da autora. Gosto de romances de época, mas ainda não tive a oportunidade de conhecer a escrita da Tessa. Gostei muito da história, e mesmo com as referências, acho que vai ser uma trama maravilhosa. Com esse casamento para trocas de favores, mas a gente sempre sabe como que termina. Quero muito conhecer o duque, fiquei curiosa e um pouco tocada pela maneira dele encarar a vida, depois da guerra e das coisas que isso causou a ele. E como a mocinha vai chegar mudando tudo. Obrigada pela dica!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  6. Oi, Del.
    Eu amo os livros da autora e achei esse livro delicioso!
    Eu ri muito e também me emocionei demais! Assim como você, também senti que essa história era uma releitura de A Bela e a Fera! Rs...
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  7. Olá Delmara!!!
    Parando agora para pensar realmente esse livro lembra o clássico "A Bela e a Fera", pois antes eu relacionava o mesmo um pouco também a história de "O Fantasma da Ópera" por conta do Duque deformado mas acho que faz mais sentido com o que você disse.
    Eu coloquei esse livro na minha lista desde a primeira resenha que li acerca do mesmo, pois sou louca por um bom clichê e quando é de época nem se fala rsrsrs
    Adorei a resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Antonia,
      não tinha pensado no fantasma... Mas acho que tem mais a ver com a Bela e a Fera mesmo, essa história faz muitas referências ao clássico, além do duque marcado, temos os criados que participam ativamente da história tentando aproximar o duque da duquesa, o isolamento de Ash que vai dando lugar ao desejo de ter uma vida com a esposa, mesmo quando ele teme não ser aceito por ela, tem também o fato dele ser considerado um monstro pela sociedade, entre outras coisas. Espero que consiga lê-lo logo.

      Excluir