[Resenha] Desejo: Dê uma mordida - Tracy Wolff

4 de janeiro de 2022

Olá meu povo!
Durante minha adolescência consumi uma série de histórias sobrenaturais que na época eram febre e hoje são tachadas de "questionáveis". Mesmo assim, conservo dentro de mim certo carinho por tais obras, tanto que receio relê-las e perder o encanto que me envolve há tanto tempo. Sendo assim, por que não dar uma chance a novas histórias do mesmo segmento? Foi pensado em me permitir ser fisgada por novas fantasias juvenis protagonizadas por bruxas, vampiros e lobisomens que embarquei nesta história. Contudo, Desejo só me fez questionar ainda mais tudo o que já experienciei com histórias do gênero, era tudo tão ruim, fútil e superficial assim mesmo? Ou a qualidade decaiu drasticamente com o passar dos anos? Com toda a sinceridade educada que consegui reunir, preciso dizer que o Melhor YA de 2020 pela Amazon foi, para mim, uma das maiores decepções do ano, isso levando em conta que minhas expectativas com relação a ele sempre foram mínimas. Obviamente, minha opinião não é uma unanimidade, muitos leitores possuem visões completamente opostas à minha e "tá tudo certo".  

Desejo: Dê uma mordida (Crave)
Coleção: Desejo #01
Autor (a): Tracy Wolff @TracyWolff
Publicação: Astral Cultural 
ISBN: 9786555661682 | Skoob
Gênero: Fantasia
Ano: 2021
Páginas: 496
Minha avaliação: 2/5★
Meu mundo mudou por completo quando entrei na Academia Katmere. Este lugar e os alunos que estudam aqui são muito estranhos. Aqui estou eu, uma simples mortal entre deuses... ou monstros. Ainda não consigo decidir a qual dessas facções em guerra eu pertenço, ou mesmo se pertenço a alguma delas. Tudo que sei é que a única coisa que os une é o ódio que sentem por mim. E há também Jaxon. Um vampiro com segredos mortais que não sente nada há cem anos. Mas há algo nele que me atrai, algo que se quebrou e que, de algum modo, se encaixa no que se quebrou em mim. E isso pode trazer a morte para todos nós. Há uma razão para Jaxon ter erguido muralhas ao redor de si mesmo. Agora, alguém quer acordar um monstro adormecido, e eu fico me perguntando se fui trazida aqui intencionalmente, como isca.
Sendo direta e reta, esta história não traz nada realmente novo. Trata-se de um clichê típico, onde a mocinha chega cheia de si, prometendo personalidade e atitude, mas dois segundos depois de conhecer o protagonista ela se torna uma massa disforme, que não pensa, não fala e não sente nada que não esteja ligado a ele. Grace acabou de perder os pais, e está passando por uma transição muito difícil, vivendo em um lugar isolado em meio a pessoas completamente estranhas, ela inevitavelmente se sente deslocada e por vezes até desconfortável, contudo, basta poucos minutos na presença de Jaxon, o mais popular e insolente de toda a Academia Katmare, para ela esquecer todo o resto e começar orbitar ao redor dele. Desde o primeiro instante a garota se cerca de certezas que só existem na cabeça dela, basta um olhar, e ela simplesmente sabe que Jaxon está quebrado e que, pasmem, ela é capaz de concertá-lo. Ela SABE que é a salvadora da "alma atormentada" do cara que ela acabou de conhecer. Mais batido que isso, só o fato de, inicialmente, Jaxon a repelir na mesma medida que ela se sente atraída por ele.

É aquela coisa, interesse instantâneo por parte da mocinha e resistência exagerada por parte do rapaz. Típico. Mas minha decepção não se deve de forma alguma a previsibilidade do enredo, pra falar a verdade eu esperava por isso. O grande X da questão é que a história, em sua quase totalidade, se resume a isto. O universo sombrio cheio de criaturas interessantes, que estudam em um colégio interno exclusivo, instalado em um castelo incrível no interior do Alasca, fica de escanteio enquanto a jovem Grace se debate em seus sofríveis dramas românticos. Sim, porque o que poderia ser mais importante do que o crush sexy (isso repetido incansavelmente) e sombrio que a ignora deliberadamente? Diferente do que Stephanie Meyer fez em Crepúsculo, obra que serviu de inspiração, Tracy Wolff transformou a premissa atrativa de Desejo em uma trama maçante e repetitiva, uma grande "encheção de linguiça". Um exemplo óbvio disso, é o tempo consideravelmente excessivo (uns 70% do livro) que a protagonista leva pra perceber a natureza sobrenatural dos alunos da Katmare, mesmo esta sendo uma informação que o leitor tem acesso já na sinopse. 

E quando enfim as portas se abrem, nos deparamos com um vampiro centenário poderosíssimo, temido por todos, que age como um adolescente cheio de hormônios que não sabe controlar a obsessão que passa a nutrir repentinamente pela pobre humana indefesa. TÃAAO EMPOLGANTE! Em paralelo a isso, temos um breve vislumbre de algumas pontas interessantes, dentre elas a existência de seres que vão além de vampiros, bruxas e lobisomens, torço para que nos próximos livros as gárgulas e os dragões possam ter mais destaque. Outro ponto completamente banal que ocupou páginas demais, é o triangulo amoroso ordinário que nos foi apresentado aqui. O Flint, assim como Jacob em Crepúsculo, jamais teve chance alguma e isso é tão nítido que suas interações com a protagonista nos serve apenas como o bom e velho alívio cômico. Sendo ele, um rapaz descontraído e irreverente, embora talvez não muito confiável, ocupa facilmente uma das vagas limitadíssimas de personagens carismáticos para amar e querer mais.  

Não ouso dizer que Desejo: Dê uma mordida, é uma história absurdamente ruim. Isso porque já nem sei mais se de fato, a qualidade de tramas do tipo decaiu ou se eu estou velha demais para apreciá-las como antes. Mesmo assim, preciso admitir que de modo geral, o livro me proporcionou uma experiência de pouquíssima satisfação. E do meu ponto de vista, uma série que possui um inicio desnecessariamente longo, onde muito se fala e pouco se diz como ocorreu aqui, tende a desanimar o leitor. O desfecho trás um pouco de ação e tensão e nos deixa um plot misterioso, talvez isso baste para atiçar a curiosidade de alguns, para mim infelizmente não funcionou tão bem quanto eu gostaria. No mais, apesar de facilmente comparado com a Saga Crepúsculo, por conter uma série de elementos similares, o enredo de Tracy Wolff trás outras referências do tipo que tornam sua narrativa uma grande salada. Talvez os fãs de The Vampires Diares, The Originals e Legacies queiram dar uma lida nesta história. Ou talvez, não. 

8 comentários

  1. Olá, tudo bom?
    Eu também fui uma das atingidas por aquela primeira febre de vampiros que veio com Crepúsculo, TVD e etc e também tenho muito receio de retomar esse gênero e acabar me frustrando. Depois de ler sua resenha, acho que vou ficar só na saudade mesmo, pois minha experiência seria bem parecida com a sua. Parece que nada novo surge no gênero, né? Tudo segue a mesma fórmula rs
    Adorei a resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Del! Tudo bem?
    Eu vi comentários sobre esse livro, mas ainda não sabia muito sobre o que se tratava. Que pena que se decepcionou tanto, é muito ruim quando isso acontece. Como nunca fui muito fã de livros com vampiros e lobisomens nem quando era mais nova, acho que com certeza não vai funcionar para mim também. Adorei a resenha e conhecer sua opinião sobre o livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem? Nunca li muito sobre vampiros, Drácula, etc. Confesso que foi com Crepúsculo que me interessei pelo tema e assisti toda a saga, mas não li os livros. Vi alguns comentários sobre como a história é clichê ou algo que não evolui, mas como eu assisti por diversão não me atentei a isso. Deve ser semelhante quando alguém me diz que leu um suspense/thriller por diversão e não prestou atenção nos pequenos detalhes. É uma característica de nós leitores concorda? Tenho muita curiosidade em saber mais sobre esse universo. Como surgiu Drácula, se ele tinha poderes, e de onde vem a "guerra" entre vampiros e lobos (risos). Lembro uma época que meus amigos assistiam The vampire diary, mas eu não vi nenhum episódio. Sempre preferi séries de investigação. O livro que você indicou não conhecia, mas acrdito que vale a experiência. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  4. Oi Delmara!
    Não conhecia esse livro, sendo sincera se visse na livraria pegaria e leria a sinopse e talvez levaria para casa porque pela sinopse fiquei curiosa, ando um pouco também exigente em ler livros de vampiros ou seres sobrenaturais já li muitos mas estou mais seletiva quanto a isso. Mas não desanime, tem autor bom de livros sobrenaturais, uma pena que esse te decepcionou, obrigado por sua sinceridade, bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi Delmara, tudo bem ? Comecei ler este livro em meados do ano passado. Minha expectativa era enorme, como vc. Eu fui muito fã da Saga Crepúsculo e mediante o burburinho, achei que teria uma nova Saga para me apaixonar.
    Acontece que quando cheguei em cerca de 60% do livro eu empaquei, acabei passando outros livros na frente e pretendo retomar em algum momento deste ano, mas foi uma decepção.
    😩😩
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Delmara, tudo bem?
    Ah, eu gosto muito de enredos sobrenaturais. Pensando agora, faz tempo que não leio um. Esse eu não conhecia. Eu não tenho muita experiência, pois não li muitos livros, mas por mais clichê que uma história seja, acho que para ela agradar tem que ter uma pegada, algo que nos prenda, nos envolva. É uma pena que a autora não tenha conseguido isso. Deve ter sido frustrante para você. Gostei muito da sua sinceridade ao escrever a resenha, nos ajuda na hora de escolher um livro na nossa imensa lista.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  7. Nossa realmente esse livro me decepcionou muito! Fiquei extremamente agoniada com o foco da protagonista inteiro no “gostoso sexy” ao ponto de ser uma dependência emocional!! Eu senti que a autora pegou as piores partes de crepúsculo (eu amo crepúsculo) e colocou no livro. Parei de ler com 80% porque estava maçante a Grace tomando todas as atitudes baseadas no que seria melhor pra ela ficar perto do Jaxon! Eu acredito que a qualidade de ficção sobrenatural decaiu nos últimos tempos porque eu ainda sou apaixonada pelo gênero e ainda amo crepúsculo, mas esse e outros livros do gênero escritos recentemente me desanimaram.

    ResponderExcluir
  8. Amei a resenha, eu não poderia descrever melhor as minhas próprias impressões, admiro quem conseguiu ler o livro todo pois não passei de poucos capítulos, também fiquei na dúvida se eu estou "velha" comecei o livro por indicação da minha irmã mais nova, a personagem feminina é tediosa, estúpida, frágil,baixa estima, nula, rasa ... eu passei a odia lá em poucos capítulos, o "cara" é o que existe de mais clichê, hétero top como dizem hj kkk que precisa ser reparado , pasmem por uma mocinha amoeba ,com uma devoção quase doentia e blá blá... Enfim posso ter passado da fase mas não deixa de ser lamentável.

    ResponderExcluir