2 de setembro de 2016

[Resenha] Jogos Macabros - R. L. Stine

Oiee!
Esse é o livro que marca o retorno de Stine a Rua do medo, o “Stephen King da literatura juvenil”, ficou famoso na década de 1990 com a aplaudida coleção Rua do Medo e quase duas décadas depois do último volume, Stine atende aos pedidos dos leitores e lança o livro inédito Jogos macabros, publicado no Brasil pela Globo Alt. Querem saber do que se trata? Então chega mais!

Título Original: Party games
Série: Rua do medo #52
Autor (a): R. L. Stine @RL_Stine
Publicação: Globo Alt (Cortesia)
ISBN: 9788525060402 | Skoob
Gênero: Terror
Ano: 2016
Páginas: 280
Avaliação: 5/5★
Tal como os outros títulos da coleção, a história se passa na velha cidade de Shadyside, nos EUA, conhecida por ser palco de acontecimentos misteriosos e aterrorizantes envolvendo os alunos da escola local. Todos na região conhecem a excêntrica e rica família Fear, e sabem também do passado terrível que os assombra. Apesar desses histórico nada promissor, Brendan Fear parece ser um garoto diferente de sua família. Gentil e simpático, o jovem vive rodeado de colegas e chama a atenção de Rachel Martin, uma garota simples, colega de classe dele. Quando o aniversário de Brendan está prestes a chegar, ele começa a planejar uma comemoração um tanto diferente na isolada ilha do Medo, onde existe um casarão de veraneio pertencente à família Fear. Rachel é uma das convidadas para passar o final de semana no local sombrio e, contrariando os avisos dos amigos, decide ir. No caminho, coisas estranhas já começam a acontecer e, ao chegarem à mansão, Brendan dá as coordenadas para o início de um jogo que se revelará o mais mortal de todos.
As inúmeras histórias assustadoras que rodam a família de Brendan não foram capazes de diminuir o interesse crescente que Rachel nutri pelo rapaz, muito pelo contrário, a paixonite platônica ganha força quando Brendan convida Rachel para seu aniversário de dezoito anos. Ignorando os conselhos da melhor amiga e do ex-namorado, Rachel embarca rumo a ilha do medo (nome bem sugestivo, né?), onde a família do rapaz possui um casarão (bem sinistro por sinal). Mas não demora muito para que o grupo de amigos se depare com acontecimentos assustadores, que fazem referência a jogos comuns, mas que nesse atual contexto, põem em risco a vida de todos. A partir daí começa uma corrida desesperada pela sobrevivência. Assolados por um medo desesperador e pela incerteza da sobrevivência Rachel e seus amigos irão vivenciar uma noite de aterrorizantes pesadelos.

Antes de tudo quero deixar registrado que Stine já entrou para minha lista de escritores favoritos, gente a escrita desse homem é magnífica, a leitura flui com uma facilidade impressionante, tanto que li o livro em apenas uma tarde. Além disso, a sintonia entre terror e suspense ocorre de forma tão natural que torna-se impossível não ficar preso a essa história. O livro é dividido em quatro partes e cada uma dessas partes trás seus próprios mistérios e reviravoltas arrepiantes.

Sabe aqueles personagens que de cara deixam o leitor desconfiado? Pois bem, Brendan é exatamente assim. Toda a cidade comenta as histórias macabras que rondam a família do rapaz, e chegam a considerá-los amaldiçoados, além disso é unânime a certeza de que não se deve envolver-se com um Fear, caso isso ocorra coisas muito ruins podem acontecer. Por essas e por outras não consegui comprar completamente o jeitinho de bom moço do jovem Brendan... Claro que todas as afirmações anteriores poderiam ser apenas mexericos de cidade pequena, mas e se não fossem? A verdade é que a atitude do rapaz se apresentou suspeita em demasia e conforme as coisas ficavam cada vez mais assustadoras as possibilidades se ampliavam e Brendan ia deixando de ser um suspeito e tornava-se uma vitima? Já Rachel poderia e deveria ser considerada uma personagem corajosa, mas eu prefiro conceituá-la como uma louca imprudente, que apesar de ter sido avisada de diversas formas que não deveria ir no bendito aniversário, ignorou tudo e todos e se jogou na festa mal assombrada do crush.

Outro ponto que facilita o entrosamento do leitor com a trama são as características bem delimitadas dos personagens, inclusive os secundários. De forma irreverente e breve o autor descreve o grupo de amigos através da perspectiva de Rachel que possui uma narrativa sagaz e envolvente, tornando possível a identificação entre o leitor e os personagens, o que por sua vez faz com que a trama se apresente ainda mais angustiante. Afinal é muito mais difícil temer pela vida de um personagem querido, não é mesmo? Apesar da história estar repleta de suspenses, não chegamos a ser agraciados com uma dose de terror intenso, já que o livro foi escrito para o público juvenil. Como sou medrosa, admito que o teor moderado dessa narrativa foi suficiente para me impressionar por algumas horas.

Jogos macabros nos apresenta uma trama repleta de surpresas e tensão, apesar de ter conseguido prever dois ou três acontecimentos, não considero o livro previsível, muito pelo contrário, a cada mistério solucionado, um novo toma seu lugar quase que instantaneamente. Mas como todo suspense de respeito, esse também possui outros elementos a serem considerados, pois uma história capaz de reunir espíritos, assassinatos e velhas histórias fantasiosas (e macabras) se tornando reais, em um único pacote, merece no mínimo algumas horas de atenção, não é mesmo? Por isso indico o livro para os que curtem o gênero, mas não se importam que ele se apresente de forma mais leve e para aqueles que querem muito ler algo do tipo, mas assim como eu não se arriscariam a ler algo terrivelmente assustador.

8 comentários

  1. Gosto de livros que misturam suspense e terror, mas confesso que tenho um pé atrás quando o assunto é literatura juvenil, pois nem sempre a leitura me agrada. Como você gostou muito do livro e diz que o autor é ótimo, vou dar uma conferida depois.

    ResponderExcluir
  2. Uhuuul! Posso dizer que amei? AMEI! Del, eu tô com esse livro aqui e vai ser minha próxima leitura. Que bommm que vc gostou, adorei tudo tudo tudo que vc escreveu! Eu tô nessa vibe trevosa kkkk e tô querendo ler várias histórias de terror. Se vc souber se outros bons, vou adorar saber.

    Bjão!
    literalivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Delmara!
    Estou ansiosa para ler esse livro! Desde que começou sua divulgação, a premissa me deixou muito curiosa. Adoro esse gênero, um bom suspense, mistérios e muita tensão, me conquistam. E depois de tudo que você descreveu sobre a obra, na sua ótima resenha, com mais expectativas fiquei. Gostei de saber que o livro não é tão assustador, que é uma leitura um pouco mais leve, pois estou querendo ler algo assim. A capa está muito convidativa, sombria e misteriosa. Amei a dica. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Delmara, eu sou uma medrosa assumida e quando vi o nome Jogos Macabros pensei logo que esse livro não era pra mim, mas lendo a resenha até que me interessei, o livro parece conter mas suspense que terror e a história é curtinha, 280 páginas, acho que vou me arriscar, é bom sair da rotina de vez em quando. Sobre Rachel ela com certeza não é corajosa e sim imprudente, concordo contigo sem nem ter lido o livro ainda haha ;)

    ResponderExcluir
  5. Ainda não conheço a escrita do autor, e fico com altas expectativas a cada resenha elogiando sua facilidade de inserir o leitor na história, mas esse não é um livro muito indicado para mim, já que (por muito medo) não leio livros de terror, mesmo que seja moderado, talvez se tomar coragem de uma chance, até porque adoro suspense, e um bom suspense sempre tem personagens misteriosos para instigar ainda mais o leitor.

    ResponderExcluir
  6. Apesar da narrativa envolvente e cheio de mistério que parece ser surpreendente, eu dispenso a dica pois não gosto de livro de terror e de suspense. Prefiro outros gêneros literários mas esse com certeza vai maravilhoso pra quem gosta =)

    ResponderExcluir
  7. Achei a capa bem jovial meio puxada para o terror adolescente, não tão terrível, kkkkkkkkkk, mas muito muito bonita. Não é uma das leituras que tenho como prioridade. Afinal eu nem me identifiquei em nadinha com a sinopse e mesmo com uma resenha tão bem escrita eu não senti aquela coisinha dizendo: Lêeeeeeeeeeeee

    ResponderExcluir
  8. eu tenho medo desses livros de terror kkk mas eu acho que esse pode ser um pouco mais "leve" já que é voltado para o publico juvenil. mesmo assim tenho medo, não sei se teria coragem de ler, a sinopse é bem atraente e a resenha é muito boa.

    Bjus

    ResponderExcluir