8 de junho de 2018

[Seriando] 13 Reasons Why

Olá amores!
Em tempos de segunda temporada, cá estou eu para falar sobre o começo de tudo. Já faz mais de um ano que 13 Reasons Why, chegou as telinhas do mundo todo. Claro que a adaptação da obra homônima de Jay Asher não passaria batido, não importa como viesse a ser produzida, afinal a trama é permeada de assuntos polêmicos. Soma-se a isto as questões envolvendo o próprio autor (acusado de assédio) e a apresentação explícita da série, e está feito o balaio de debates e discussões. Há quem seja contra dar mais ênfase do que a história já está tento e inclusive defenda um possível boicote, e há quem advogue em prol de tais abordagens. O que eu sei é que em meio aos extremismos dos que defendem e daqueles que atacam, existe também um grupo que consegue enxergar um meio termo entre o amor e o ódio que vem sendo destilado contra a produção. E mesmo sabendo que o assunto já está batido e até mesmo super saturado, decidi dar minha opinião a respeito. Confesso que já estou um pouco cansada de toda essa campanha de assista e não assista que ando vendo por ai, sendo assim quero começar dizendo algo simples como: A série é pesada, explícita, é cheia de gatilhos, aborda de forma crua assuntos como ESTUPRO, ABUSO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS, AGRESSÃO, SUICÍDIO e coisas do tipo, então eu particularmente NÃO RECOMENDO que seja assistida por pessoas que passam ou passaram por problemas do tipo ou menores desacompanhados. Se você não se enquadra em nenhuma das categorias anteriores e deseja assistir, aqui vai mais um aviso, você provavelmente se sentirá incomodado com algumas cenas, no mínimo. E diante dessas informações, sinta-se a vontade para decidir por si só se quer ou não conhecer a série.

4 de junho de 2018

[Resenha] O idiota - Fiódor Dostoiévski por André Diniz

Olá personas!
Li esse livro assim que ele chegou aqui em casa a várias semanas atrás, mas ainda não tinha tido coragem de sentar para falar a respeito dele aqui. Confesso que andei procrastinando pelo simples fato de não saber como escrever a resenha desse livro e pra ser sincera ainda não sei. Decidi pelo menos tentar colocar pra fora o que for possível, embora não saiba se o resultado final será satisfatório, tenho em mente de que mais uma vez darei o meu melhor. O idiota é uma das obras de maior destaque de Fiódor Dostoiévski, considerado um dos grandes escritores da história da literatura mundial e responsável pela publicação de grandes sucessos como Crime e Castigo e Os Irmãos Karamazov. Pelas mãos de André Diniz esse clássico renomado ganha uma versão ousada, onde o artista reconta uma história complexa através de ilustrações expressivas que respaldam o texto conciso porém enfático. 

O idiota
Autor (a): André Diniz @AndréDiniz
Publicação: Quadrinhos na Cia *Cortesia
ISBN: 9788535930726 | Skoob
Gênero: HQ
Ano: 2018
Páginas: 416
Minha avaliação: 4/5★
Em preto e branco, e num registro quase sem palavras, André Diniz propõe uma recriação surpreendente de O idiota, obra máxima de Fiódor Dostoiévski. Publicado em 1869 e escrito em meio a crises epilépticas e perturbações nervosas e sob a pressão de severas dívidas de jogo, o romance é um dos mais célebres da literatura mundial. Sua oralidade intensa encontra na explosão e na fluidez, na ternura e na enorme capacidade expressiva do traço de Diniz, uma correspondência única. A história é conhecida: após anos internado num sanatório suíço para tratar sua epilepsia, o jovem Míchkin retorna à Rússia e se vê envolvido num triângulo amoroso cujos ares folhetinescos darão o tom desta adaptação. Entre a vilania de Rogójin, um devasso perdulário que dilapida a fortuna herdada de seu pai, e a beleza arrebatadora de Nastácia Filíppovna, acompanharemos Míchkin e sua pureza quixotesca até o desenlace desta bela e trágica graphic novel.
Já de antemão quero deixar registrado que não conheço a obra integral que baseia essa HQ, embora sempre tenha tido uma certa curiosidade pelos escritos do autor, que são sempre tão bem avaliados, ainda não havia tido chance de ter algo do tipo em mãos. Sendo assim quando a oportunidade de ler essa adaptação surgiu, decidi agarrá-la com as duas mãos, confesso que desde o primeiro instante tive receio de não conseguir absorver tudo o que a obra poderia proporcionar, mas de que valem as oportunidades se nós não a aproveitarmos não é mesmo? No final das contas não poderia ter ficado mais satisfeita com a experiência que tive durante essa leitura. A narrativa de Dostoiévski ilustrada pela arte de Diniz formam um combo magnífico que merece ser lido e apreciado.

2 de junho de 2018

Séries literárias: Mosaico de Sue Hecker

Hey peoples!
Já faz um bom tempo que venho namorando a série Mosaico da brasileiríssima Sue Hercker, sempre fui apaixonada por suas capas e curiosa por suas histórias, infelizmente a oportunidade de lê-la ainda não havia surgido. Mas como tudo na vida tem um momento certo para acontecer, eis que recebi o quinto livro dessa série em parceria com a editora Harlequin Books, e obviamente vi a chance que tanto esperava surgir diante dos meus olhos. Porém, não tenho o costume de ler livros de séries/trilogias fora de ordem, mesmo aquelas cujas obras possuem histórias independentes, por isso decidi que faria a leitura de todos os livros que vieram antes de Pertinácia para só então lê-lo, contudo tive uma certa dificuldade em encontrar a sequência a ser seguida e após entrar em contato com a autora - um amor de pessoa, diga-se de passagem -, consegui entender melhor a cronologia dos livros. Por essas e por outras estou aqui hoje criando este post na esperança de facilitar a vida daqueles que estão lendo ou pretendem ler estes livros. Dito isso, segue abaixo um guia singelo. Espero ter ajudado!