14 de dezembro de 2017

[Resenha] Esposa até segunda - Catherine Bybee

Hey pessoas!
Já vou começar admitindo que demorei bem mais que o planejado para ler este livro. Quando iniciei a leitura desta série alguns meses atrás tinha planos convictos de ler os livros conforme fossem sendo publicados, mas como minha vida se recusa a andar em linha reta e seguir os planos direitinho, desviei e tropecei pelo caminho, o que fez com que eu me atrasasse consideravelmente, além de ganhar mais uma série na estante para completar no próximo ano. *Pausa para um aff gigante*. Mas a situação não é de todo ruim, estou atrasada e ainda preciso providenciar os outros cinco livros da mas contudo, entretanto, todavia isso não será nenhum grande sacrifício pra mim, já que estou completamente apaixonada pela escrita da Catherine e sigo gostando de suas abordagens e histórias. Esposa até segunda é o segundo livro da série Noivas da semana, que conta com sete livros. Apesar de independentes as histórias estão interligadas e por isso recomendo que a leitura seja feita na ordem de publicação, no intuito de obter melhor compreensão dos fatos e evitar spoilers das tramas anteriores.

Esposa até segunda (Married by Monday)
Série: Noivas da Semana #02
Autor (a): Catherine Bybee @catherinebybee
Publicação: Verus*Cortesia
ISBN: 9788576866046 | Skoob
Gênero: Romance +16
Ano: 2017
Páginas: 252
Avaliação: 4/5★
O segundo livro da série Noivas da Semana. Carter Billings: com seus cabelos loiros, olhos azuis e beleza hollywoodiana, ele pode ter a mulher que quiser. Mas, quando decide concorrer à vaga de governador do estado da Califórnia, Carter sabe que vai precisar abandonar a vida de solteiro e se tornar um homem de família. E para isso ele precisa de uma esposa. Entra Eliza Havens, que gerencia a agência de casamentos Alliance. Eliza Havens: ela está feliz por sua amiga Sam ter arrumado um marido rico e atraente. Só tem um detalhe que a deixa louca da vida: o melhor amigo dele, o sexy e ousado Carter Billings. Eliza nunca brigou tanto com um homem — e nunca conheceu alguém que mexesse tanto com ela. Juntar pessoas solitárias é a maneira como Eliza ganha a vida, porém um obscuro segredo do passado a faz descartar totalmente a possibilidade de se casar. Pelo menos foi assim até agora...
Depois de ter amado Casada até quarta tive receio de não gostar tanto deste segundo livro da série, felizmente meus anseios não demoraram a se mostrarem infundados. Mais uma vez a autora trouxe uma história clichê que envolve e conquista ao longo de sua apresentação. Confesso que quando iniciei a leitura não achei que as coisas fluiriam bem, diferente da primeira história que me conquistou desde a primeira frase, as primeiras páginas deste volume definitivamente não são as mais atraentes, já estava me preparando para me arrastar por uma trama pouco envolvente quando ban as coisas começaram a acontecer. Já posso adiantar que aqui temos acesso a um romance de base mais sólida e um desenvolvimento levemente mais elaborado. 

Carter e Eliza não escolheram se aproximar mas com o casamento dos melhores amigos a convivência tornou-se inevitável. Consumidos por uma atração avassaladora contra a qual eles vem lutando desde o instante que se conheceram, a sócia da agência de casamentos Alliance e o aspirante a político seguem convictos de que um envolvimento mal sucedido poderia gerar constrangimento e talvez respingar no casamento feliz dos amigos, e por isso eles tem se mantido tão afastados quanto possível. No entanto o cenário muda quando, por uma imprudência de Eliza, Carter coloca sua candidatura em risco. Todo o trabalho que ele vem tendo para ganhar espaço nas pesquisas pode ir por água abaixo, e a solução imediata consiste em torná-lo um homem estável e familiar através do casamento. Embora a principio Eliza se recuse a ajudar o jovem político, ela se vê obrigada a reconsiderar sua relutância quando seu passado retorna pondo sua segurança em risco mais uma vez. Ambos acreditam que o casamento de conveniência trará benefício mútuo mas além dessa necessidade imediata cresce uma incerteza pulsante, até onde eles poderiam ir com esta união de interesses sem arriscar ter o coração partido? 

Carter é um personagem apaixonante e faz jus ao apelido Hollywood que ganhou de Sam. Um homem extremamente bonito, que trás no rosto um sorriso fácil de tirar o fôlego, mas que não se resume a apenas isso. Extremamente leal, ele trás em si a necessidade de proteger e cuidar daqueles que ama, essa característica em específico se acentua consideravelmente quando ele toma conhecimento dos perigos que rondam Eliza. Não vou mentir que estive alerta o tempo inteiro, esperando o momento em que Carter iria passar dos limites e sua cautela se tornaria opressora (isso que dá ler tantas histórias distorcidas), mas para felicidade geral da nação e alivio completo da leitora que vos fala, a autora não envereda por estes caminhos, em parte porque o protagonista não possui inclinação para dominador e em parte porque a personalidade determinada e autossuficiente de Eliza não da margem para esse tipo de interferência. Não especulei muito antes da leitura sobre os rumos que essa história poderia tomar, mas se eu o tivesse feito certamente não teria imaginado nem um terço do que se apresentou. Diferente do esperado, as semelhanças entre esta e a trama anterior se resumem única e exclusivamente ao casamento de conveniência.

O relacionamento ganha uma base notável quando se considera o fato do casal já se conhecer a alguns anos. As vezes tenho dificuldades em lidar com os envolvimentos popularmente denominados instalove (o povo mal se conhece e já estão apaixonados e prontos para envelhecerem juntos), por isso gostei de acompanhar o desabrochar de uma relação construída e alimentada pela convivência, a química flagrante é incontestável mas a decisão de suprimir tal atração permite uma maior aproximação entre os protagonistas antes deles chegarem aos "finalmentes", além disso a história ganha uma dinâmica diferente e uma tensão sutil quando os segredos do passado de Eliza vem a tona. Outro ponto que me chama a atenção é a maneira formidável que a autora utiliza para unir não apenas as pontas que se formam neste exemplar mas também alguns assuntos que não tiveram muito espaço (por assim dizer) no primeiro volume, ao mesmo tempo que destaca o casal que protagonizará a próxima história. A escrita da Catherine segue viciante e esta trama tem lá seus atrativos, mesmo assim considero Casada até quarta o melhor livro da série, até aqui.

Esposa até segunda, possui um inicio lento mas conforme os dramas se apresentam a leitura ganha ritmo. Uma história leve e divertida que pode ser lida em poucas horas, isso graças a narrativa ágil e viciante da autora. Trás um casal carismático de personalidades bem definidas e um romance de evolução gradativa, ao mesmo tempo que surpreende com a apresentação sutil de elementos inesperados como suspense e ação. O desfecho, como a maior parte do enredo, se mostra previsível e sem muitas reviravoltas, o que não chega a incomodar se você não está esperando por isso. Apesar de ser um pouco maior que o livro anterior este não se mostra muito mais profundo, na verdade esta é apenas mais uma trama que cumpre bem o papel de entreter entre uma leitura mais densa e outra. Assim como no livro anterior é possível notar as nuances do que certamente é o inicio do romance que dará base a história do próximo livro, e já adianto que me parece promissor. Com tudo isso pretendo continuar lendo os livros e seguir me deixando apaixonar por romances água com açúcar ao estilo sessão da tarde que tanto amo. Leve, divertido e encantador, um livro para distrair.

6 comentários

  1. Olá!
    Estou com esse livro na minha estante para ler, como agora estou de férias no trabalho, pretendo realizar essa leitura. Me parece aqueles livrinhos clichês, mas que rende um bom entretenimento. Só o fato da leitura melhorar conforme avança me deixa mais animada.
    Espero curtir e aproveitar esses personagens.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Adoro quando a narrativa cresce conforme a história avança. Li Casada até quarta em um dia e amei! Acho que vou me apaixonar por Carter também, ou pelo menos espero. A autora tem uma mão muito leve para a escrita e se o segundo segue o mesmo padrão do primeiro não tenho como não gostar. Estou bem ansiosa com essa leitura.

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?

    Comprei o primeiro livro pela capa, e me apaixonei pela história! Queria fazer como você e ler os outros conforme seriam lançados, mas sou a louca e to esperando saírem todos para ler! Mas lendo sua resenha agora, vai ser o primeiro livro que lerei em 2018! Fiquei mega curiosa para ler!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bom?
    Ainda bem que li sua resenha, pois eu ia ler seguindo a ordem da semana kkk
    Eu amei sua resenha, estou doidinha pra ler essa série, porque parece ser maravilhosa. As capas são lindas e eu amo histórias, tanto em filmes quanto livros, então vai ser uma leitura incrível com certeza!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Delmara! Ainda não li nenhum livro da série, mas morro de curiosidade! Adorei sua resenha, bom saber que o segundo livro não quebra o clima da série!
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  6. Haha! Quase poética sua forma de explicar o motivo de ter atrasado tanto para ler o livro.
    Eu acho o título desse livro muito divertido!
    E divertida também está sua resenha!
    Amei a maneira com a qual você utiliza as palavras e como me fez querer ler o livro, mesmo eu sabendo que ele não faz o meu estilo. rsrs
    Enfim... Você escreve muito bem! Parabéns!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir