4 de agosto de 2017

[Resenha] A rosa e adaga - Renée Ahdieh

Oi amores!
Como estão todos? Espero que bem, pois por aqui está tudo as mil maravilhas graças a Deus. Mês passado foi um mês de boas leituras, infelizmente acabei não postando tanto quanto gostaria, mas não tem problemas porque esse mês vou tirar o atraso. Como estava bem enrolada com algumas divulgações, acabei escrevendo e programando as resenhas para agosto, então se preparem porque tem muita coisa legal para ir ao ar esse mês. Já faz uns dois anos que não programo as postagens por aqui, esse era um hábito bem comum quando criei o blog e tinha tempo de sobra para postar  e escrever diariamente, mas estamos vivendo em outros tempos e preciso me organizar direitinho para não deixar o blog ou as redes sociais na mão, de qualquer forma ainda não cheguei ao ritmo desejado embora saiba que estou no caminho certo. Esse mês voltei com as postagens programadas para fazer um teste básico e ver como as coisas fluem. Dito isso, vamos ao que interessa.

A rosa e a adaga (The Rose and the Dagger)
Série: A Fúria e a Aurora #02
Autor (a): Renée Ahdieh @rahdieh
Publicação: Globo Alt*Cortesia
ISBN: 9788525060365 | Skoob
Gênero: Fantasia
Ano: 2017
Páginas: 364
Avaliação: 4/5★
A jovem Sherazade chegou a acreditar que seu marido, Khalid, o califa de Khorasan, fosse um monstro. Mas por trás de seus segredos, ela descobriu um homem amável, atormentado pela culpa e por uma terrível maldição, que agora pode mantê-los separados para sempre. Refugiada no deserto com sua família e seu antigo amor, Tariq, ela concentra forças para quebrar a maldição e voltar a viver com seu verdadeiro amor. Com uma narrativa envolvente e repleta de referências à cultura árabe, a autora desenvolve um universo de intriga política, magia negra e relações complexas. Os personagens, que em A fúria e a aurora já haviam conquistado o coração dos leitores, tornam-se ainda mais marcantes, profundos e sedutores.
A sequência de A fúria e a aurora nos apresenta um novo padrão para história de Shazi e Khalid, o casal vê o amor partilhado e recém descoberto posto a prova durante boa parte da história e juntos lutam desesperadamente para vencer as adversidades que os mantém reféns de uma maldição cruel. Além disso o desfecho dessa história magnífica se apresenta através de uma infinidade de acontecimentos e revelações tornando a trama ainda mais viciante. Novas aventuras e descobertas juntamente com novos personagens apaixonantes são os elementos que compõe o segundo e último volume dessa duologia de sucesso. Renée Ahdieh trabalhou com maestria para nos apresentar uma conclusão plausível onde todas as peças se encaixam, e embora eu tenha achado o ritmo da narrativa inconstante não posso negar que devorei esse livro com uma ânsia quase que desesperada de quem esperou demais para fazê-lo.

Separados pelos eventos que sucederam a uma tempestade mortal que se abateu sob Khorasan, Sherazade e Khalid assumem suas próprias batalhas, enquanto o menino rei busca dia após dia reerguer seu reino das cinzas, Shazi está novamente reunida com sua família e tornou-se "hóspede" no acampamento Badawi, em meio ao deserto ela precisa lidar com a sensação constante de insegurança que nem mesmo a presença de amigos e familiares é capaz de aplacar. Ao mesmo tempo que guarda a sete chaves os segredos que podem arruinar de uma vez por todas o seu marido, Shazi busca uma forma de destruir a maldição que se abate sobre ele e de quebra tenta evitar a guerra que visa destroná-lo e que está prestes a explodir. Ambos anseiam desesperadamente pela presença um do outro, mas a compreensão de que os problemas que os separam devem ser sanados o mais breve possível torna-se um estímulo para que perscrutem caminhos que os levarão a felicidade plena e duradoura.

Em a Rosa e adaga podemos vislumbrar nitidamente uma evolução geral, os personagens estão mais completos, maduros e fortes, a história se mostra mais complexa do que se podia imaginar no livro anterior e a narrativa da autora também apresenta novas particularidades. Apesar de determinada a ajudar Khalid, Shazi ainda sente a dor de ter perdido Shiva e embora se recuse a demonstrar, nota-se de longe o peso da culpa que ela carrega por ter se apaixonado pelo assassino de sua melhor amiga. Outro ponto que ganha destaque é a relação mal resolvida entre nossa protagonista e Tariq, o falcão branco foi o grande amor da garota e apesar dela estar claramente apaixonada pelo califa de Khorasan ainda nutre um grande carinho e admiração por seu amigo de infância mas inevitavelmente se vê obrigada a despedaçar a esperança de um futuro em comum nutrida pelo rapaz, esse fato em especial é bem doloroso de se ler, entendo e me compadeço da perda de Tariq que teve sua amada tomada de si sem muita chance de revide. Isra a tão amada irmã caçula de Sherazade é outra personagem que se revela e desabrocha em um curto espaço de tempo, apesar de insegura a jovem garota se mostra leal e corajosa quando necessário e sua participação na história ganha mais cor conforme seu amor por Rahim (primo de Tariq) torna-se evidente.

No decorrer da história é preciso tomar folego e estar constantemente preparado para a infinidade de novas situações descritas. Com um inicio lento onde a narrativa tem como foco as descobertas e dificuldades de Shazi que ocorrem no acampamento Badawi, deixando um vazio notável onde deveria estar a presença imponente de um certo rei, a história ganha um ritmo alucinante do meio para o fim, onde uma sucessão de fatos empolgantes porém pouco trabalhados são lançados sem pudor. Quando finalmente recebe a atenção que merece Khalid se mostra ainda mais apaixonante que nunca, agora mais exposto e vulnerável torna-se fácil enxergar o que há por baixo de toda a altivez do rapaz. Detentor de uma calma perturbadora ele não se priva de usufruir da sua inteligência e paciência em prol daqueles que tanto ama, sempre em busca do melhor para o seu povo ele se mostra destemido e se lança em territórios desconhecidos e batalhas perigosas. E já deve ter ficado claro que diferente do primeiro livro que me fez amá-lo, esse sem sombra de duvidas me ensinou a admirá-lo, não apenas por suas ações mas principalmente por ser quem é, um rei forjado em meio a abusos, erros e maldições que coloca aqueles por quem é responsável acima de si mesmo.

"Era porque ambos eram as duas metades de uma só coisa. Ele não pertencia a ela. E ela não pertencia a ele. Ninguém pertencia a ninguém.Ambos eram um só."

Com misto de drama, romance e aventura Renée finaliza essa história maravilhosa que me conquistou desde as primeiras páginas. Fica em mim a certeza de ter conhecido personagens incríveis que viveram uma trama inesquecível, em um mundo mágico cheio de amor e descobertas, onde nem tudo é o que parece, onde feridas são abertas e apesar de doloroso cicatrizes tomam seu lugar, onde não existe simplicidade no amor, mas sim redenção, perda, renúncia, devoção e aceitação. Onde falhas existem para serem superadas e a lealdade é testada diariamente, onde a plenitude se esconde nas pequenas coisas, nos detalhes e nas lembranças. Onde uma história contada, salva a vida de quem conta e de quem ouve, onde não existe impossível porque a magia está muito além do que pode ser visto ou sentido, a magia está no acreditar que tudo é possível dentro das impossibilidades. E é com essa sensação pulsante que recomendo esta duologia para os apaixonados por livros dos gêneros supracitados.

16 comentários

  1. Ola
    Eu também ja li esse livro e adorei o desenvolvimento. A história é realmente maravilhosa e suas impressões refletem bem as minhas próprias. Acho que por ser uma sequência, o leitor pode se sentir meio receoso, mas a autora soube mesmo como dar destaque ao que realmente importa, sem contar que é preciso estar preparado mesmo para várias situações. Sobre a evolução dos personagens concordo que foi possível compreender bem esse ponto.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. O livro parece ser ótimo, e a leitura também. Mas eu passo, pois já estou com muitos livros para ler aqui e antes deste precisa ler o primeiro. Mas gostei da indicação.

    ResponderExcluir
  3. Oie, tudo bem?

    Essa edição é maravilhosa, só li resenhas boas sobre esse livro! Coloquei ele na lista, mas ainda não sei quando fazer a leitura, sua resenha me despertou um interesse maior nesse livro, quero conhecer esses personagens incríveis ♥

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oie tudo bem?

    Estou de olho nessa obra e não vejo a hora de poder realizar a leitura desse volume e do anterior, já li tantas coisas positivas sobre as histórias que a curiosidade aumenta cada vez mais quando do leio alguma resenha sobre a duologia!

    Bjss

    ResponderExcluir
  5. Olá Delmara,
    Minha amiga leu esse livro e amou de todo o coração. Esses personagens são os favoritos da vida dela. Gosto muito da premissa dos livros e acho que a autora soube trabalhar a trama muito bem. Achei o ponto mais alto desse segundo volume o que você disse sobre os personagens serem completos. Acho isso muito importante. Espero ter a oportunidade de ler e me apaixonar tanto quanto você e minha amiga.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Eu li ano passado o primeiro volume de A Fúria e A Aurora, adorei a leitura. Me chamou atenção essa bela edição de A Rosa e A Adaga, mantendo o nível de excelência visto no primeiro volume. Fico feliz que tenha gostado da leitura, sua resenha me deixou com mais vontade de ler essa continuação.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Comprei essa duologia recentemente e ainda nao consegui le-los. Li muitas coisas positivas e fiquei curiosa, tirando o fato das capas serem lindas, né?

    Por isso, não me aprofundei muito na resenha, para evitar spoilers
    E sabe que eu nem sabia que era duologia? Achei que iriam ter mais lançados, huahuaha!
    Espero que consiga escrever diariamente!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  8. Me apaixonei pelo enredo, tenho que ler essa duologia! Amo cultura árabe, aí ajunta magia e intrigas... que combinação perfeita rsrs Sem dúvidas me interessei em ler a duologia, até pensando em passar na frente de outras leituras, afinal são dois né, custa nada rs Bexitus, Tay!

    ResponderExcluir
  9. Oi.
    Eu não conhecia a série, mas agora fiquei com vontade de conhecer.
    Achei interessante o fato de eles terem se separado, e, mesmo tendo vontade de se unirem novamente, optaram por lutar por um futuro melhor. Acho que é um enredo que me agradaria.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Nossa, não conhecia essa duologia!!
    Apesar de não ser muito fã de romances, gostei da forma como você o descreveu. Existem erros, acertos, perdas, lealdade. Todos temas que deveriam estar presentes em todos os romances.
    Além disso fiquei curiosa em saber como a parte da magia aparece no enredo.
    Obrigada pela dica! Um beijo

    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Delmara! Tudo bem?
    Li resenhas dessa duologia e não consigo deixar de pensar que dificilmente minha primeira impressão sobre o Khalid seria menos que péssima, considerando os antecedentes danados dele. Tenho que admirar a coragem da Sherazade em tentar romper esse ciclo de maldição para ser feliz ao lado do cara que ela ama.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Sempre que falam desse livro eu me sinto mais e mais com vontade de lê-lo. Desde a capa eu já a acho interessante e a premissa dele só aumenta isso. Eu espero que o livro também me conquiste desde as primeiras páginas! Irei definitivamente aceitar a dica. Aliás, eu amei a sua resenha ❤️
    Um beijo

    ResponderExcluir
  13. Olá Delmara,

    É meio difícil comentar livros que são segundos da série, ainda mais porque não conheço o primeiro livro, mas tenho visto que a internet andou meio alvoroçada com o lançamento dessa série né? Amo quando os personagens são bem desenvolvidos e completos, isso me faz ter muito interesse pela leitura. Dica anotada.

    Beijos e obrigada pela resenha
    http://floraliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi, Delmara

    Que bom que houve esse crescimento dos personagens, eu gosto quando o autor consegue transmitir isso. Que bom também que a história está ainda mais complexa, porque ninguém merece a maldição do segundo livro, né? hahahah
    Gostei de saber que a história ganha ritmo apesar do início lento, mas sabe que essa série não faz meus olhos brilhares? Não sei exatamente o porquê, só não sinto aqueeeela vontade de ler, sabe? Mas não descarto uma leitura o futuro. \õ/

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Eu amei essa duologia, principalmente este segundo que foi realmente épico com tantas reviravoltas e revelações.
    Eu adorei o amadurescimento dos personagens, o modo com que a autora deu continuidade a história de Khalid e a Shazi, só achei algumas mortes desnecessárias....
    Mas em geral esse livro é épico

    ResponderExcluir
  16. oie, bacana saber que essa história te cativou e tocou tanto. tenho ela na minha lista de livros a serem lidos há um bom tempo, e a vontade é bem grande, é bacana quando uma história nos toca de tal modo.

    ResponderExcluir