29 de maio de 2017

[Resenha] A menina dos olhos molhados - Marina Carvalho

Hey peoples!
Já faz um tempo considerável que não sei qual o gostinho de realizar uma resenha assim que a leitura é finalizada, com a loucura que minha vida estava sendo nos últimos meses havia virado rotina só conseguir aparecer por aqui vários dias após a leitura, mas como já tinha dito no último post as coisa só tendem a melhorar. Pois bem, dito isso quero falar um pouquinho desse nacional que acabei de ler e que deu o que falar, desde o anuncio de sua criação A menina dos olhos molhados vem arrebatando os corações dos fãs da escritora Marina Carvalho. Que a história já é conhecida todos sabem, mas quem resiste a versão Bernardo dos fatos, hein? Se você ainda não conhece a história do Bê e da Rafa chega mais que eu te conto tudo (ou quase tudo).

Título Original: A menina dos olhos molhado
Autor (a): Marina Carvalho @maricarvalho_01
Publicação: Globo Alt (Cortesia)
ISBN: 9788525062079 | Skoob
Gênero: Chick-lit
Ano: 2016
Páginas: 296
Avaliação: 3/5★
Bernardo é jornalista por vocação: curioso, comprometido e muito bom com as palavras. Trabalha há anos em um importante jornal da cidade e suas matérias investigativas são sempre elogiadas. Ele só tem uma limitação... Odeia trabalhar em equipe. Há alguns anos, Bernardo sofreu com uma grande decepção amorosa, o que contribuiu para o seu jeito fechado e antipático. Por isso a incumbência de levar Rafaela – a nova estagiária do jornal – para todos os lugares é como o inferno para ele. Bernardo não perde nenhuma oportunidade de evitá-la, mas Rafa, além de ser uma jornalista extremamente talentosa, não engole desaforo. Com o passar dos dias, Bernardo percebe que não conseguirá seguir seu plano de ignorar a estagiária, muito menos todos os sentimentos que ela desperta nele. Entre reportagens intrigantes e perigosas, eles vão descobrir que têm muito mais em comum do que a imensa paixão pelo jornalismo...
Na caminhada da vida, Bernardo teve que lidar com os mais diversos obstáculos, enfrentar o divórcio dos pais ainda na adolescência foi um baque duro que ele teve que superar, mas seguir em frente não trouxe apenas coisas boas para o rapaz, ainda na faculdade ele se viu preso a um relacionamento abusivo devastador - porque sim, homens também passam por isso -, esquecer a dor causada por uma ex-namorada louca não é nem de longe uma opção, essa é uma ferida aberta que tornou o jovem cético e desconfiado, quando o assunto é relacionamento. Por outro lado Bê não tem medo de se entregar por inteiro ao trabalho, com alma de jornalista Bernardo possui uma carreira promissora e desempenha sua função com esmero na redação onde trabalha. Mas como toda história que se preze essa também apresenta suas reviravoltas, que no caso diz respeito a vida profissional do nosso narrador, que se vê do dia para noite obrigado a orientar a mais nova estagiária do jornal.

Desde o primeiro instante a interação entre Bê e Rafa foi conturbada, ele não a queria ali, menos ainda sob sua responsabilidade e não mediria esforços para que ela soubesse o quanto era indesejada e como sua presença o incomodava, mas Rafa não é o tipo de garota que cede a pirraça de um arrogante qualquer, ela tem como objetivo tornar-se uma jornalista de sucesso e não desviará do seu caminho, não importa quantos Bernardos surjam nele. Não demora muito para que Bê perceba que Rafa tem sim potencial e que apesar do jogo de gato e rato que eles vêm jogando desde que se conheceram a companhia da garota não é de todo ruim. Em meio a furos de reportagem, imprevistos e acidentes estabanados surge uma relação de admiração, respeito e carinho mútuo que mudará a vida de ambos.

Confesso que essa leitura demorou bem mais do que eu gostaria, com um inicio arrastado, acredito que em parte por não ter conseguido gostar realmente dos protagonistas e em parte pela história, que olhada de perto não se mostrou tão atraente como o esperado. Apesar das inúmeras "aventuras jornalísticas"  em que Bernardo e a Rafaela estavam sempre envolvidos, não consegui me prender a história dos dois, talvez o problema esteja nas situações narradas que independentemente de quase sempre carregarem um toque cômico e/ou dramático, não chegavam a convencer efetivamente. Bernardo na maior parte do tempo se mostrou um arrogante metido a machão e o fato do livro estar sendo contado do seu ponto de vista, não aliviou em quase nada a carga negativas de algumas de suas falas e ações. Já Rafaela, mesmo possuindo uma personalidade determinada e se mostrando uma mulher independente, parecia estar sempre no papel de donzela em perigo que precisava ser salva (contraditório, eu sei), isso graças a sua notada falta de coordenação e teimosia (deveras irritante por sinal).

Não nego que fui motivada a prosseguir com a leitura na maior parte do tempo pelos flashs que contavam o drama que Bernardo viveu com a ex-namorada, a cada começo de capítulo um pedacinho dessa trama era revelado e apesar de também previsível se mostrou muito mais instigante que o enredo principal. No que diz respeito ao casal protagonista, foram poucos os momentos que realmente me diverti com eles, Rafaela tinha tudo para ser uma personagem cativante, mas no final contas não conseguia parar de pensar no quanto ela se mostrou imatura, mesmo aos vinte um anos. O romance evoluiu gradativamente, a antipatia inicial foi dando lugar a novos sentimentos e lá pela metade do livro já era possível perceber o interesse mútuo, mas devido a resistência de ambos os personagens tudo demorou mais que o necessário para vir a tona, juro que já estava desistindo de vê-los juntos. Um relacionamento bem desenvolvido quando todas as etapas são respeitadas é sempre bem vindo, mas dessa vez demorou demais para fluir, e olha que nem existiam tantos empecilhos assim, isso infelizmente tornou uma boa parte da leitura massante. 

A menina dos olhos molhados nada mais é que um P.O.V do protagonista de Azul da cor do mar, agora quem assume o papel de contar essa história de amor é Bernardo, um jornalista investigativo que passou poucas e boas antes de finalmente encontrar a garota que transformou seu mundo. Este não é apenas um "romance divertido", ele trás em suas páginas temáticas relevantes, que tornam a trama crível e realista, dentre elas destaco o aborto, desigualdade social e o machismo, que além de merecerem destaque por sua magnitude, estão a cada dia que passa mais evidentes na nossa sociedade, e apesar de, a meu ver, o romance não ter funcionado na maior parte do tempo, resolvi me apegar aos questionamentos levantados pela autora durante toda história. Outro ponto positivo que merece um destaque todo especial é a diagramação.

Gente, a Ed. Globo Alt fez um trabalho magnifico, o livro está lindo - visualmente falando -, é impossível não se encantar com o cuidado e o esmero dedicado a obra, um detalhe mais perfeito que o outro, ouso dizer que essa é uma das edições mais lindas da minha estante. Quem leu Azul da cor do mar e tem curiosidade em conhecer a versão Bernardo dos fatos, esse livro é para você, aos não leitores da obra que ficaram curiosos leiam, é sempre bom poder tirar nossas próprias conclusões, não é mesmo? A história desses dois teimosos, funcionou pra mim como uma montanha russa, cheia de altos e baixos mas que no final das contas se mostrou satisfatória.

14 comentários

  1. Olá
    Eu sou apaixonada pela escrita da Marina e adorei poder conferir esse livro, assim como também curti muito a sua resenha, e me fez relembrar uma trama tão especial e com personagens ainda mais marcantes. Essa versão do Bernardo é incrível, e especialmente para poder matar a curiosidade mesmo, além de se divertir e se emocionar muito.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Oie, tudo bom?
    Não conhecia aa autora, mas esse livro estava em minha lista de desejos quando vi a capa MARAVILHOSA. Agora, sabendo mais sobre a história, a vontade de ler só aumentou! Obrigada pela resenha, perfeita!

    ResponderExcluir
  3. Eu não conheci esse livro nem o que o gerou, então confesso que fiquei um pouco perdida na resenha, mas também fiquei curiosa para saber mais a respeito do livro!

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Poxa, eu estava me interessando pela estória, mas quando li que o personagem do Bernardo é muito machão e que a Rafa sempre é colocada no papel de donzela em perigo já me deixou meio com o pé atrás. Mas como você mesmo colocou, nada melhor que cada um leia e tire suas próprias conclusões.

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Eu já sabia que era pelo POV do mocinho, mas como não li Azul da cor do mar para mim seria uma história inédita. A coisa que mais me atraiu nesse livro foi essa capa deslumbrante. Acho muito indignante quando a protagonista tem tudo para ser badass e a autora insiste em colocá-la como donzela indefesa, isso é muito frustrante. Não ando com paciência (e nem tempo) para leituras maçantes, por isso deixarei a dica passar no momento.

    ResponderExcluir
  6. Oi querida,
    adorei a resenha. Você foi beeemmm sincera, e fiquei com medo de pegar spoiler do livro. Tenho esse livro no kindle, mas sempre protelei sobre a leitura. Achei o enredo maravilhoso e mesmo tendo alguns prós e contras sobre a história, personagens e premissa. Eu ainda pretendo ler. Fico muito feliz que você tenha gostado do livro, mesmo com tudo relatado.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  7. oi
    Esse livro me remete a algo dramático, talvez seja pelo título. Ainda não li nada dessa autora, e vejo muitas opiniões divergentes sobre os livros publicados por ela.
    e pelo que pude perceber voce tambem não curtiu tanto assim o livro eu odeio livros onde a menina sempre esta em perigo e sempre quem salva e o menino eu acho isso muito chato .
    quero muito ler este livro des que eu vi a capa mais depois da suan resenha fiquei meio com pe atras ,

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bom?
    Tenho esse primeiro livro aqui mas nunca li, acredita? Uma pena que esse ponto de vista, apesar dos temas interessantes tratados, não tenha convencido tanto quanto o primeiro nem tenha fluido tão bem. Essa coisa de o relacionamento demorar muito a fluir também me incomoda um pouco, então quando ler o primeiro e conferir este, vou com as expectativas baixas. Adorei a resenha e a sinceridade!!


    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  9. Ooi,
    Não sabia que o livro se tratava de um POV! Como não li o livro anterior acho que não teria muito interesse em ler esse. Principalmente pelos pontos que destacou na resenha, se os personagens não convencer, eu tô fora! haha

    Corujas de Biblioteca

    ResponderExcluir
  10. Olá ♥
    Adoro a Marina Carvalho. Quando comecei a ser uma leitora, li alguns livros dela e foram favoritos da vida. Meu maior momento na vida foi tê-la conhecido. A menina dos olhos molhados é um livro que quero muito ler, mas tenho medo, pois sinto que as obras da autora decaíram conforme ela foi escrevendo.
    É uma pena que essa não tenha sido uma leitura tão perfeita assim e que os personagens não tenham te cativado.
    Vou passar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Delmara, como está?
    Primeiramente, tua resenha foi excelente. Segundo, entendo perfeitamente os pontos negativos que tu destacou, mas os positivos foram definitivamente muito atraentes, no meu ponto de vista. Se bem que acho que muitos pode ser imaturos mesmo sendo adultos. Conheço cada gente assim que me dá até arrepios. Terceiro: geralmente prefiro ler para tirar minhas conclusões, por isso, não posso formar uma opinião a partir daqui.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Eu não conhecia Azul da cor do mar, então acho que a leitura pode ser um pouco inédita pra mim.
    Achei muito bacana esses flashs mostrando o passado do protagonista e explicando suas atitudes, e é claro também as temáticas super relevantes e atuais que a autora colocou na história, dando toda uma realidade a mais nessa obra.
    Ainda assim fico com um pé atras em realizar essa leitura, mas quem sabe um dia né?

    ResponderExcluir
  13. Oii!!
    Não conhecia esse livro ainda. Achei o tema bem interessante, pois já vi muito no ambiente de trabalho o machismo comendo solto. Muitos homens não aceitam trabalhar com mulheres, assim como já vi o contrário também. Acredito que seria legal ler primeiro o "Azul da cor do mar " para ficar mais ligado ainda na história. Eu leria esse livro, só que mais para frente. Gosto de romances, mas não aqueles que seguem sempre a mesma receita, e esse me pareceu interessante, apesar de saber que a leitura pode ser um pouco lenta.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro ainda e confesso que sua resenha me animou muito, ainda mais que o livro tem essa carga de drama. Fiquei bem curiosa para conhecer mais dos personagens e da trama, estou precisando de um livro que traga essas propostas no momento e acredito que ele seria uma boa pedida. Ótima resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir