11 de agosto de 2016

[Resenha] O ar que ele respira - Brittainy C. Cherry

Olá amorecos!
Esse mês eu estou em uma vibe só... Nem tinha percebido isso até ler um comentário na última resenha, prometo que já estou providenciando ler outros gêneros para variar. Pode até parecer, mas nem sou tão fã de new adult assim, apesar disso, tenho um negócio com esse tipo de leitura que quando começo não consigo mais parar. Enfim, O ar que ele respira, é bem mais tranquilo do que os que eu postei até agora, então fiquem tranquilos porque a Brittainy criou uma obra que trás muita coisa legal.

Título Original: The Air He Breathes
Série: Elementos #01
Autor (a): Brittainy C. Cherry @BrittainyCherry
Publicação: Record (Acervo pessoal)
ISBN: 9788501075666 | Skoob
Gênero: Romance
Ano: 2016
Páginas: 308
Minha avaliação: 3/5★
Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.
Tristan viveu uma vida plena e feliz ao lado de sua esposa e filho, mas um acidente causou a morte de ambos e destruiu o coração do rapaz, tornando-o um homem quebrado e sedendo por solidão, ao se refugiar em Meadows Creek (uma cidadezinha do interior), ele conseguiu se afastar de quase tudo que pertencia a vida feliz que perdeu, menos é claro das suas próprias lembranças, que tornavam cada vez mais dolorosa a ferida que crescia em sua alma. Em meio a essa realidade caótica Tristan conhece Elizabeth, uma mulher que assim como ele enfrenta a dor de uma grande perda, ela ficou viúva a um ano e desde então tem tentado sem muito sucesso juntar os caquinhos e retomar sua vida, com Emma, sua filhinha de apenas cinco anos para cuidar, Elizabeth não tem muitas opções além de ser forte e seguir em frente. A aproximação entre essas duas almas devastadas ocorre de forma caótica, mas conforme suas dores são expostas, torna-se inevitável o surgimento de uma forte ligação, que poderá levá-los a destruição definitiva ou ao tão merecido recomeço.

Esse é o meu primeiro contato com a escrita da Brittainy e felizmente fiquei bastante satisfeita com o conjunto geral da obra. A autora desenvolveu com maestria, uma história que apesar de previsível apresenta um ou outro ponto surpreendente. Os protagonistas me ganharam desde o primeiro minuto, pois apesar de estarem lidando com suas dores, em nenhum momento perderam suas características, (o Tristan se tornou um ogro, mas foi temporário), esse fato me alegrou especialmente porque a trama tem como cenário uma cidadezinha, onde todos se conhecem e nada (nada mesmo) fica escondido, então imaginem só o falatório que surgiu, quando a recém viúva (já fazia um ano, mas para as fofoqueiras de plantão era como se houvesse passado apenas uma semana) se aproximou (mesmo que pra conversar) do cara mais grosso e solitário da cidade, considerado por todos um homem perigoso. Imaginou? Agora multiplique por mil. É, foram muitos julgamentos, pitacos e intromissões, e por isso amei ver o Tristan e a Elizabeth simplesmente anulando todas essas más influências externas que poderiam ter prejudicado o conforto que um proporcionava ao outro.

Não posso negar que o sentimento que aproximou esses dois inicialmente pode-se facilmente ser considerado mórbido, já que um buscava no outro a possibilidade de resgatar as lembranças de seus conjugues mortos, isso foi algo bem estranho de se ler, apesar de compreensível. Por outro lado, sentir de pertinho a intensidade de sentimentos tão profundos (me refiro a saudade e a dor de ter perdido alguém) sendo compartilhados de forma tão crua e livre de pudores, foi no mínimo envolvente. A forma sofrida e desesperada com a qual Tristan e Lizzie tentam sobreviver a morte de seus amores compõe um cenário angustiante e desolador, capaz de mexer com as emoções do leitor, que se propor a ler essa história com o coração aberto.

Um livro cheio de sentimentos, construído através de uma escrita maravilhosa, que nos apresenta personagens incríveis, que buscam desesperadamente recuperar o fôlego para voltar a vida. Durante toda a leitura me fiz diversos questionamentos a respeito dessa dor que eu nunca senti (e que não gostaria de sentir jamais, afinal quem quer, não é mesmo?), nunca perdi alguém que amo e por isso não faço ideia de como lidaria com algo dessa dimensão, me tornei solidária aos medos e limitações dos personagens e torci para que ele conseguissem pelo menos dar inicio ao processo de cicatrização, para quem sabe um dia voltarem a ter a chance de serem plenamente felizes. O desfecho apresentou uma reviravolta bem dramática e inesperada, que apesar de deslocada, movimentou a trama que se desenvolveu em um ritmo regular. 

O ar que ele respira, é o primeiro volume de uma série que irá trabalhar com os quatro elementos: água, terra, fogo e ar. As histórias de cada livro possuirá desenvolvimento independente, podendo ser lidas fora da ordem de publicação. O segundo volume será The Fire Between High & Lo (O fogo entre High & Lo, em tradução livre), mas não possui previsão de lançamento aqui no Brasil. A autora deixou no ar a possibilidade de escrever um algo sobre a Faye, melhor amiga doidinha da Lizzie, que merece posição de destaque devido sua tendência para loucuras e espontaneidade (sem falar das coisas absurdas que ela solta com uma facilidade impressionante), porém não se sabe será um conto dessa série, ou um livro específico e isolado e muito menos quando será publicado. Aguardemos!

12 comentários

  1. Oi, Delmara! Quanto sentimento tem esse livro! Deu para sentir nas suas palavras ;) faz um tempo já que quero conhecer a escrita da autora, mas a sinopse de Sr. Daniels (o primeiro dela) não me atraía. Agora O Ar que ele Respira... Ahhh, esse sim! rs tô doida mesmo pra ler esse livro, mais ainda depois dos pontos que vc destacou aqui, e olha que assim como vc, não sou fã de New Adult, mas tem alguns que envolvem demais a gente mesmo.

    Bjão!
    Jess | Blog A Rosa do Príncipe
    www.arosadoprincipe.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Que linda sua resenha! Parabéns por transportar suas emoções da leitura, tão bem, através de palavras! Li Sr. Daniels, gostei, mas não me senti totalmente envolvida na história. Achei algumas partes cansativas e sem emoção. Mas estou com alta expectativa em O Ar que Ele Respira! Me apaixonei pela premissa e capa, desde o primeiro momento. E lendo sua resenha, mais certa estou que vou amar essa leitura. Muito ansiosa! Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Faz um tempo que estou querendo ler este livro, pois a sinopse me chamou atenção e a capa é um arraso.
    Não vejo a hora de poder comprar e espero não me decepcionar, pois minhas expectativas estão altas.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Delmara.
    Estou vendo bastante esse livro ultimamente. Não sou muito fã do gênero, mas achei a história deles interessante. Fico aqui rindo porque um ano já e as pessoas estão falando e aconteceu um caso aqui na minha igreja de um homem que foi três meses e já estava noivo de outra hehe. Acho que eu leria apesar de não ser fão do gênero.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Quero muito ler este livro, pois estou vendo muitas resenhas positivas.
    Quando li a sinopse, fiquei curiosa para saber mais sobre a história, fora que a capa também chama bastante atenção.

    ResponderExcluir
  6. Apesar de não ter o costume de ler livros nesse estilo, eu converso que eu leria. Se seria o melhor livro? Acho que não. Pelo o que eu li, a história não tem nada de UAAAAU. Adorei saber que a escrita é boa, os personagens são ótimos e a história não é arrastada!

    ResponderExcluir
  7. Eu confesso que me encantei com essa capa! haha
    Nunca li nada da autora, mas uma amiga leu Sr. Daniels e amou! Disse que a escrita da autora é ótima.
    Então creio que este seja um livro bom também, esses dois com todos seus traumas tentando seguir em frente.. Deve ser bonito!

    ResponderExcluir
  8. Eu já li e ameeeiii, sou apaixonada pela autora desde o livro Sr. Daniels, ela virou minha queridinha <3 e para mim 5 estrelinhas com todo o coração.

    bjuuu

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Li um livro da autora que adorei e assim que soube desse novo lançamento dela fiquei bem curiosa, gostei da historia ela parece ser aquele tipo de livro que envolve o leitor e nos faz sofrer com os personagens e com a escrita da Brittainy espero um algo a mais nesse livro, com certeza irei ler !!

    ResponderExcluir
  10. Eu e minhas decisões precipitadas, ao ver a capa desse livro pensava que era mega erótico e por isso ainda não li. Não se sinta assim srsr esse gênero esta fazendo muito sucesso e é normal que você esteja se aventurando nele. Amo a escrita de Brittainy C. Cherry, e gostei de nessa obra ela mostrar duas maneiras de lidar com o luto, e colocar personagens bem sofridos. Espero ler antes da continuação

    ResponderExcluir
  11. Apesar de não ter o costume de ler livros nesse estilo, eu converso que eu leria. Se seria o melhor livro? Acho que não. Pelo o que eu li, a história não tem nada de UAAAAU (ou estou redondamente enganada?). Adorei saber que a escrita é boa, os personagens são ótimos e a história não é arrastada! Você passou muita emoção nessa resenha e isso conta muito para mim

    ResponderExcluir
  12. Gosto do gênero, pessoalmente, e desde que soube de O ar que ele respira fiquei muito interessada em ler, até porque ele parece ser mais suave, em relação à tantos outros com essa pegada mais erótica. Também gosto muito da capa, acho bem expressiva, e esse nome, Tristan, eu amo 😍😍 desde uma filme que assisti (Lendas da paixão) em que o principal personagem também se chamava assim (e ele é demais)...
    Ou seja, mais um motivo para eu querer lê-lo!

    Ah, ami suas resenhas! 💕❤

    ResponderExcluir