20 de julho de 2018

[Resenha] Cartas secretas jamais enviadas - Emily Trunko

Olá pessoas!
Hoje estou trazendo para vocês um livro que quero ler desde o começo do ano. Cartas secretas jamais enviadas, organizado por Emily Trunko reúne alguns dos vários textos disponíveis na plataforma digital Dear My Blank, que reflete uma série de situações e sentimentos. O projeto que deu origem a obra detém popularidade considerável no exterior e ganhou visibilidade no Brasil após os livros terem sido publicados pela Editora seguinte. Depois de ler e me emocionar com Últimas mensagens recebidas, também organizado pela Emily não poderia ter ficado mais empolgada com a oportunidade de conhecer mais esta compilação de emoções viscerais, que assim como a primeira mexeu comigo nos mais variados aspectos e despertou lembranças a muito esquecidas. Ficaram curiosos? Então sigam lendo, que vou falar mais a respeito desse projeto admirável.

Cartas secretas jamais enviadas (Secret Letters Never Sent)
Autor: Emily Trunko (org.) @EmilyTrunko
Publicação: Seguinte *Cortesia
ISBN: 9788555340642 | Skoob
Gênero: Não-ficção
Ano: 2018
Páginas: 200
Minha avaliação: 4/5★
Você já desejou poder voltar no tempo e dar conselhos para si mesmo? Já quis ter coragem de falar como é forte o amor que sente por alguém? Alguma vez já se perguntou por que uma pessoa importante na sua vida parou de falar com você? A partir de contribuições anônimas, Emily Trunko reuniu nesta coletânea cartas que revelam segredos profundos de quem as escreveu. Afinal, muitas vezes o único jeito de lidar com nossos sentimentos mais intensos — seja um amor incondicional ou uma perda irreparável — é botando tudo no papel. A leitura destas cartas nos permite mergulhar na vida de seus remetentes e, ao mesmo tempo, redescobrir nossa própria história e perceber que, mesmo nos piores momentos, não estamos sozinhos.
Eu nunca fui de escrever cartas, nem diários ou qualquer coisa que pudesse registrar claramente minhas vulnerabilidades. Mas na ânsia de desabafar eu escrevia poemas. Não, eu não era nem um pouco diferente das garotas da minha idade, eu escrevia poemas porque queria manter meus sentimentos frustrantes e as vezes dolorosos o mais secretos possível, e como minha mãe tinha a tendência de ler tudo que via pela frente, essa foi a forma que encontrei para que ela jamais descobrisse o que de fato eu estava sentindo. Na época eu tinha medo do que ela poderia pensar dos meus textos revoltados, escritos com todo o fervor a que tive acesso no auge da minha adolescência. Escrever, era como desabafar em segurança, sem críticas, uma vez que tudo o que eu desejava era colocar pra fora toda a intensidade silenciada no mais íntimo do meu ser. O resultado disso, era a voz que queria gritar mas que tinha medo dos julgamentos, que não queria conflitos ou explicações, era uma represa que precisava escoar para aliviar a pressão.

Quem nunca escreveu um texto como forma de desabafo? Um agradecimento silencioso? Uma declaração que nunca teve coragem ou intensão de enviar? Apenas palavras marcando o papel com os pensamentos mais profundos que por medo, indecisão ou desesperança jamais ousou confidenciar a outra pessoa, ou melhor, palavras que jamais seriam ditas á "aquela" pessoa. Quem nunca escreveu um texto com conselhos para si mesmo, seja para sua versão passada, presente ou futura? Eu já! Mais de uma vez inclusive. Assim como em Últimas mensagens recebidas, este livro é baseado em um projeto digital de Emily Trunko, desta vez no blog Dear My Blank, onde ela publica cartas reais repletas de mensagens cruas que inspiram, comovem e indignam, que lhes foram enviadas por seus leitores. Incontáveis pessoas compartilhando de forma anônima, suas dores e experiências e o melhor, recebendo apoio daqueles que também acompanham as publicações do site. Mais que um blog de compartilhamento o projeto Dear My Blank tornou-se uma rede de apoio mútuo que tem feito um sucesso estrondoso entre os usuários.

Neste volume fica ainda mais evidente a importância do trabalho que a Emily vem fazendo nos últimos anos, não há como negar que o projeto que começou devido a curiosidade de uma garota que havia escrito uma quantidade considerável de textos secretos, tomou uma dimensão imensurável e hoje representa uma comunidade que se une através dos mais diversos relatos. O resultado final da compilação de alguns dos textos que estão disponíveis no blog, é agridoce. Mensagens fortes as quais é impossível se manter indiferente, envoltas pelo capricho de uma edição impecável. Mais uma vez me rendi a tipografia que em harmônia com as narrações embelezam ainda mais o projeto gráfico da obra.

Cartas secretas jamais enviadas, é uma coletânea de textos que evidencia a importância da escrita nas mais diversas situações, que vão desde um desabafo furioso a um agradecimento sincero. Palavras que juntas transbordam sentimentos (decepção, frustração, saudade, amor...) e dão vida a experiências reais que deixaram suas marcas profundas, sejam elas positivas ou negativas. Mais uma vez me vi tomada por uma admiração crescente, não apenas pela criatividade de Emily que desde muito jovem mostrou ter uma sensibilidade ímpar e consequentemente um olhar diferenciado as marcas que costumam ser ocultadas pela maioria, mas também aos resultados de suas iniciativas que claramente tem feito a diferença na vida de várias pessoas. E embora o livro traga um número considerável de textos melancólicos, considero a mensagem do projeto de extrema importância, isso porque deixa claro que extravasar desintoxica, mesmo que seja através de um texto anônimo que jamais chegará ao seu destinatário.

13 comentários

  1. Achei a ideia de publicar textos tipo um desabafo interessante.
    Quando eu era mais jovem, eu trocava muitas cartas com pessoas do País todo, antigamente nossos amigos a distância era pelo correio hehehehehe e já desabafei muito assim.
    Fiquei curiosa em ler os textos do livro, com certeza iria me identificar com alguma coisa

    ResponderExcluir
  2. Essas coletâneas escondem surpresas que nos deixam sem querer largar o livro até terminá-lo. Esse eu não conhecia, mas já o coloquei na minha lista de desejados.

    Gustavo
    http://www.leituraenigmatica.com

    ResponderExcluir
  3. Também nunca fui de escrever cartas, mas sempre usei a escrita para desabafar, mesmo que fosse só "pra mim mesma", haha. Tanto esse livro quanto o outro da Emily (Últimas Mensagens Recebidas) despertam muito a minha curiosidade e estão na minha lista de desejados. Esse tipo de leitura faz bem pra gente. Boa resenha! Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Oi Delmara tudo bem? Eu escrevia poesia também na minha fase de rebeldia kkk, na época joguei tudo fora, mas me arrependi pois poderia reler agora aquele caderno. Não conhecia a autora e nem o livro, mas fiquei curiosa sobre essas cartas, vou anotar aqui na minha lista. Parabéns pela resenha, obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oie Delmara
    Escrever é sempre Bom, né? Em desabafo então... ajuda demais!!
    Gostei da ideia do livro e acredito que seja uma ótima leitura e que deixa algo a se pensar.
    Dica anotada.
    Bjo

    ResponderExcluir
  6. Olá! Muito interessante! Acredito que todos nós já tivemos mesmo, vontade de escrever tudo que estávamos sentindo e pensando pra algum desconhecido ler, e assim desabafar um pouco. Da mesma maneira que já lemos algo assim, e que também nos identificamos. Adoraria ler! Parece mesmo emocionante!


    Bjoxx ~ http://www.stalker-literaria.com/

    ResponderExcluir
  7. Oie Delmara!
    Eu já usei dessa técnica de escrever sempre que alguma coisa me incomodava! Gostei da premissa do livro e achei a ideia genial de juntar varias dessas confissões e montar um livro!

    Beijos
    Carol
    www.thereviewbooks.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá
    Eu sempre gostei de escrever, aprendi isso quando tive depressão ainda criança. Era uma valvula de escape para mim colocar meus sentimentos em um papel no inicio era dificil, mas com tempo foi ficando algo que fazia parte do meu dia a dia. Eu gostei bastante da sua resenha,como sempre cheia de emoção e eu amo isso em suas resenhas. Fiquei curiosa para saber mais sobre essas cartas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Estou com vontade de ler esse livro. Adoro a ideia de se ter cartas nas tramas, geralmente os autores conseguem deixar as leituras envolventes, que certamente me emocionará.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  10. OIe!
    Por um tempo, foi a escrita que me ajudou a passar por uma fase onde eu não estava muito bem.
    Ainda não conhecia esse livro, mas achei bem interessante sobre os textos e os sentimentos que a leitura faz surgir.
    Com certeza, vou ler esse livro!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?

    A escrita é algo realmente surpreendente que pode nos ajudar a desabafar quando é dificil expressar vocalmente o que estamos pensando ou sentindo. Achei o livro bem diferente e encantador ao seu modo, apesar de melancólico. Mas infelizmente eu não posso fazer esse tipo de leitura :/

    beijos,
    Mayara

    ResponderExcluir
  12. Oie amore,

    Sou amante de livros que envolvam cartas, bilhetes... segredos...então claro que estou perdendo tempo de ler essa belezura né!
    Que capa mais fofa.
    Gostei do enredo e já anotei a dica por aqui!!!

    Beijokas!!!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  13. Olá Del,
    Adoro a proposta desses livros de textos e mensagens e fiquei muito contente por ter lido suas impressões. Achei muito legal o que você disse sobre o livro ressaltar a importância de escrever em qualquer momento da vida. Acho que ele mostra, principalmente, que não podemos guardar as coisas dentro de nós ou surtaremos.
    Vou super anotar a dica.
    Beijos!

    ResponderExcluir