8 de novembro de 2017

[Resenha] A pequena livraria dos corações solitários - Annie Darling

Hey amores!
Vamos a mais uma resenha? Esse mês quero colocar o maior número possível de leituras em dias, um novo ano está a caminho e com ele novas metas surgirão, sendo assim é chegado o momento de pôr ordem na casa, não é mesmo? Então vamos falar um pouquinho de A pequena livraria dos corações solitários, ufa! Não economizaram palavras nesse título, hein? Continuando, APLDCS é o primeiro livro da série A livraria dos corações solitários (haha, estou rindo mais é com respeito), que trará como protagonistas os funcionários da livraria em questão (cada funcionário um livro) e contará seus encontros e desencontros com o amor. Logo de cara é possível notar que a premissa é demasiado simples, mas indo um pouquinho além, ali logo abaixo da superfície está o grande diferencial dessa série e ele está bem implícito na personalidade dos personagens centrais. Curiosos? Então chega mais que eu vou apresentá-los a Posy, uma das personagens mais frustrantes que li na vida.

A pequena livraria dos corações solitários (The Little Bookshop of Lonely Hearts)
Coleção: A livraria dos corações solitários #01
Autor (a): Annie Darling
Publicação: Verus *Cortesia
ISBN: 9788576865889 | Skoob
Gênero: Romance
Ano: 2017
Páginas: 308
Avaliação: 2/5★
Era uma vez uma pequena livraria em Londres, onde Posy Morland passou a vida perdida entre as páginas de seus romances favoritos. Assim, quando Lavinia, a excêntrica dona da Bookends, morre e deixa a loja para Posy, ela se vê obrigada a colocar os livros de lado e encarar o mundo real. Porque Posy não herdou apenas um negócio quase falido, mas também a atenção indesejada do neto de Lavinia, Sebastian, conhecido como o homem mais grosseiro de Londres. Posy tem um plano astucioso e seis meses para transformar a Bookends na livraria dos seus sonhos — isso se Sebastian deixá-la em paz para trabalhar. Enquanto Posy e os amigos lutam para salvar sua amada livraria, ela se envolve em uma batalha com Sebastian, com quem começou a ter fantasias um tanto ardentes. Resta saber se, como as heroínas de seus romances favoritos, Posy vai conseguir o seu “felizes para sempre”. 
O inicio de uma nova leitura, está sempre permeado de muita expectativa. Não importa o quanto tentemos nos policiar e dosar a empolgação, de uma forma ou de outra torcemos para que esse novo mundo literário nos encante de tal forma que se torne impossível parar de ler, e que ao virar a última página aqueles personagens que conhecemos nos acompanhe durante algum tempo. Todo esse processo é previamente alimentado por uma capa deslumbrante e uma premissa, digamos no mínimo encantadora e quando por fim conhecemos a história e nos deparamos com um universo completamente diferente do imaginado é hora de dosar a empolgação e absorver o que verdadeiramente a autora deseja passar. E esta claramente sou eu lendo A pequena livraria dos corações solitários, recebi esse livro a algum tempo e por estar completamente apaixonada por essa capa que me deixou babando arco-iris e encantada pela possibilidade de me esbaldar em um romance água com açúcar, me lancei sem receios ou pudores das páginas desse livro assim que pude tê-lo em mãos, mas como dizem por ai "quanto mais alto se sobe, maior é a queda", então eu cai de cabeça no chão porque definitivamente a narrativa de Annie Darling quebrou minhas pernas e enterrou minhas esperanças.

Posy cresceu na Bookends, rodeada de livros ela sempre contou com a proteção de pessoas que a queriam bem, após o acidente responsável pela morte precoce de seus pais, ela recebe o primeiro puxão da vida para uma realidade nada fácil, quando passa a ser tutora do irmãozinho caçula ela se vê assumindo atribuições para as quais nunca se preparou, no entanto ela ainda conta com o cuidado e apoio de Lavínia, a quem considera uma espécie de avó postiça, quando esta falece de forma inesperada Posy perde o rumo, pois a partida da anciã entrega em suas mãos mais uma grande responsabilidade com a qual ela precisa lidar. Agora, herdeira e dona de uma livraria que está a beira da falência Posy precisa encontrar uma solução válida rapidamente, os recursos são limitados e não há espaço para erros, a jovem avoada precisa finalmente acordar e agir se quiser fazer jus a confiança que lhe foi dedicada. Mas como tudo na vida, as dificuldades extras não demoram a aparecer, e a já tão complicada jornada de Posy ganha um novo personagem, e ele é ninguém mais ninguém menos que Sebastian, o neto de Lavínia que assumirá o controle da livraria caso Posy não consiga fazê-la prosperar nos próximos dois anos, mas este não é o único papel de Sebastian na vida de Posy, ele surge incontáveis vezes com suas imposições e ideias mirabolantes que ao contrário da intenção de ajudar trará ainda mais dor de cabeça a personagem. Ao lado dos amigos e funcionários, do irmão e do irritante Sebastian Posy enfrentará uma série de obstáculos na tentativa de construir o seu "felizes para sempre."

Não posso dizer abertamente que este é um livro ruim, porque de fato ele não é, e estou sendo muito sincera quando digo isso, okay? Eu realmente acho que a história tem muito, mas muito potencial mesmo. A descrição do enredo trás uma premissa clichê, admito, mas mesmo assim atraente para aqueles que são apaixonados por romances açucarados e cheios de dramas, no entanto existe algo que costuma desfavorecer ou beneficiar uma trama, e falando como leitora posso dizer que é um dos quesitos que mais contam durante uma leitura, pelo menos pra mim. O ponto a que me refiro é a narrativa, a forma que a autora, no caso, opta por nos apresentar a história e seus elementos. A depender de como isso se dá, a leitura pode ser ágil e agradável ou não. E definitivamente a Annie tem uma forma bem peculiar de explanação, eu sinceramente não sei se o que encontrei aqui é algo característico da escrita da Darling, já que este é meu primeiro contato com uma obra da mesma, mas posso garantir que a construção da trama foi imprescindível para acentuar minha decepção quase que total. "Dando nome aos bois", eu posso dizer que a leitura se arrasta por mais da metade do livro, sem nenhum atrativo que estimule o desejo de continuá-la, não tem nada importante acontecendo além da Posy tentando encontrar uma forma de reformular e reinaugurar a livraria antes que ela venha a falência.

Com tudo isso eu ainda estava tão desesperada para gostar da história (por toda a expectativa que criei) e disposta a me deixar conquistar que se pelo menos a personagem apresentasse uma característica cativante sequer, eu não teria concluído essa leitura tão insatisfeita. O fato é que Posy é imatura ao extremo, uma mulher adulta com vinte e oito anos na cara, responsável por um adolescente e agora dona de uma livraria que vai mal das pernas, que pensa, fala e age como uma criança de oito anos. Falando sério, eu fiquei "p" da vida com isso, e o mais frustrante é perceber que não existe evolução, a personagem simplesmente não amadurece, soma-se a isso o fato de Sebastian ser tão infantil quanto ela e ainda por cima mimado ao extremo. Me diz se eu aguento um casal desses? Dois adultos infantilizados que passam a maior parte da história em discussões sem pé nem cabeça, não demonstram qualquer indicio de que haja algum sentimento romântico mesmo que oculto (nenhuma faísca e zero de química) e pra completar tem a insinuação de um teor cômico (mas completamente sem graça) por trás de tudo isso. As coisas que realmente importam demoram muito, mas muito mesmo para acontecer e é só nas últimas páginas que pode-se perceber um movimento significativo na trama, e quando por fim o romance se apresenta soa sem base e extremamente forçado. 

E é por isso que eu atribuo o dissabor da história a narrativa da autora, vejam bem, os protagonistas se conhecem a vida toda e em algum momento bem no inicio da história fica no ar o fato da Posy ter tido uma paixonite pelo Sebastian durante a infância, no entanto isso logo é deixado de lado. Os protagonistas são divergentes em suas opiniões e personalidades, mas mesmo assim eles estão sempre em contato, se vêem quase que diariamente e dai não surge nenhum troca de olhares sequer? A interação principal se baseia em provocações, na Posy sempre irritada com as "grosserias" do Sebastian e nele sempre chegando e saindo de forma intempestiva, e isso perdura durante a maior parte da trama, até que de repente, a poucas páginas do final, tudo se encaixa perfeitamente como num conto de fadas. Resumindo, não convence. Mas como estou sempre aberta a todas as possibilidades, mesmo com um romance fraco, se a autora tivesse desenvolvido o lado profissional da Posy, eu teria pelo menos encontrado um objetivo para toda essa história, já que a bendita livraria ganha muito mais destaque que o romance em si, seria aceitável que pelo menos esse segmento tivesse apresentado algum desenvolvimento ao invés da grande confusão com a qual fomos agraciados. Se em algum momento a Posy insegura e confusa do inicio, desabrochasse em uma mulher confiante que se aceita por completo, eu certamente teria gostado de acompanhar a trajetória da protagonista que no final das contas descambou para um desfecho exíguo.

A pequena livraria dos corações solitários, trás uma trama que destoa quase que completamente dos livros do gênero, composta por um elenco de personagens fracos e estereotipados que passam longe de cativar o leitor, uma história sem atrativos e uma narrativa cansativa que mantém um nível aceitável apenas devido as inúmeras referências literárias que encontramos no decorrer da trama e ao grande amor pela literatura descrito, que desperta uma certa afinidade. As expectativas definitivamente não foram alcançadas, e embora existam duas ou três cenas perto do final que dinamizam a história, o conjunto geral não é satisfatório. Raramente avalio um livro como regular, pois estou sempre em busca de extrair o que há de melhor em cada enredo, mas dessa vez não houve muito o que eu pudesse fazer. Claro que a minha opinião não é unânime, existem muitas resenhas positivas por ai, pessoas que leram e interpretaram os sinais de forma diferente, então se o desejo de conhecer o livro existe, dê uma chance a ele. Eu particularmente não vou indicá-lo, depois de tudo que eu escrevi não faria muito sentido, né nom? Mas se quiser conhecer recomendo que o faça, acredito que as resenhas da vida servem para nos dar uma ideia do que podemos encontrar pela frente, mas nunca devem ditar o que o leitor deve ou não ler. Se tem vontade leia, talvez você venha a amar essa história que não funcionou pra mim.

13 comentários

  1. Olá,
    Realmente é difícil alguma coisa agradar a todos. Fico feliz que você tenha expressado bem sua opinião sobre o porque de não ter gostado do livro. Não tenho um interesse nessa história, mas até gosto da capa.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  2. Oiee ^^
    Nossa, eu não sabia que era uma série *-* achei que era um livro só. Mas enfim...haha' fiquei muito curiosa quando vi que ele ia ser lançado, mas até agora não li. Agora não quero mais...haha'
    Realmente, não importa o quanto a gente tente dosar a expectativa em ler algum livro, não adianta, né? É como se falássemos "faça eu te amar, por favor" o tempo todo, e aí a gente acaba se decepcionando quando isso não acontece. Como eu odeio personagens imaturos (não aguento, não tenho paciência), eu desanimei bastante ao saber que a Posy, de 28 anos de idade, age como uma criança.... E colocando o Sebastian nessa balança aí...xiii.
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oie!
    Que pena que não funcionou com você, já aconteceu várias vezes isso comigo.
    Mas vou anotar esse título para poder ler, estou curiosa para ler a história, mesmo sendo parte de uma série.
    Já estou cansada de acompanhar séries e trilogias.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho esse livro, mas ainda não o li,mas entendo Bem a sua resenha e achei ótima por ter sido sincera. As vezes a alta expectativa ajuda nisso.

    ResponderExcluir
  5. Que peninha que o livro não tenha alcançado suas expectativas, mas cá entre nós, é um saco personagens com características que não condizem com sua idade. Em relação as
    referências lietrárias, sempre gosto, isso dá uma certa didática a leitura. Enfim, gostei de sua honesta opinião sobre a leitura.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Delmara! Que pena que a história não fluiu com você, já li resenhas positivas sobre o livro - não que ele seja excepcional, mas também não é tão frustrante assim como você descreveu.
    Eu adquiri o livro pouco depois do lançamento, então eu vou arriscar a leitura e ver no que vai dar. (firme e forte! rsrs)
    Bjos!
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lucy,
      como eu disse na resenha, existe uma infinidade de resenhas positivas de pessoas que realmente gostaram muito da história e fico contente que você queira lê-la e constatar por conta própria se é ou não uma boa história, vá em frente torço para que goste. E quanto ao fato do livro não ser tão frustrante como eu descrevi, te garanto que falei exatamente o que eu senti com a leitura, não teria razão para exagerar nesse ponto. Todos os pontos que descrevi me incomodaram bastante e foi o que passei através da resenha. Mas entendo que ninguém precisa concordar com meus gostos e opiniões e por isso mais uma vez aconselho que leia e espero sinceramente que sua opinião final seja condizente com a atual.

      Beijos e
      boas leituras!

      Excluir
  7. Oi.
    Nossa, sua resenha me desanimou muito para ler esse livro. Ele estava na minha lista, mas agora fiquei desconfortável, ainda mais porque a personagem é imatura e eu não tenho nenhuma paciência. Parabéns pela resenha sincera. :)

    bj.

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Eu estava super animada para ler este livro, mas acredito que não li nenhuma resenha positiva até agora. Como você, todas as pessoas que eu vi se decepcionaram.
    É muito ruim quando a narrativa é tão cansativa, sem acontecimentos que levam a um desenvolvimento da trama. Além disso, essa questão do casal principal ser tão infantilizado e irritante, deve atrapalhar muito também. Eu normalmente perdoo livros em que a trama é mais fraca quando os personagens são cativantes. Mas, se nem os protagonistas salvam, fica difícil mesmo defender este livro.
    De qualquer forma, apesar de achar uma pena que você se decepcionou, adorei a sinceridade da sua resenha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Hey!

    A capa do livro é mesmo maravilhosa, me apaixonei quando vi a capa e o título. Não sabia sobre a simplicidade da trama, apesar dela ser a primeira de outras que virão. Acabei me desapontando um pouco pois eu também estava criando muitas expectativas. Vou ver se consigo um exemplar.

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bom?

    É frustrante quando um livro não agrada a um leitor. Eu, pelo menos, fico bastante chateada. Mais ainda quando vejo que milhares de outros leitores gostaram de tudo que eu desgostei. Aí fico me sentindo A Implicante. Enfim, por mais que a sinopse tenha me agradado, foi lendo sua resenha que descobri que esse não é um livro que eu leria no momento. Procuro sempre por leituras que mexam com o psicológico e acho que essa vai mexer mais com meu lado raivoso, rs.

    Beijos,
    http://livro-apaixonado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá!


    Essa é a primeira resenha que eu leio sobre isso, mas já tenho o mesmo, pois me encantei com a capa e com a premissa. Sendo bem sincera depois da sua resenha vou começar a ler com um pé atrás, mesmo que leia uma positiva é sempre bom escutar o aviso de cuidado e eu pretendo encarar esse livro com cuidado. Espero que funcione para mim, espero mesmo, pois não foi baratinho, mas agora sei o que esperar e isso pode ser um ponto positivo para mim.

    Beijos e Sucesso
    Garotas Devorando Livros

    ResponderExcluir
  12. Oie, tudo bem? Não conhecia o livro mas de cara ja não me senti atraída pela sinopse. Tua resenha (como vc mesma falou, serve pra nortear) só confirmou o que eu achava: uma história clichê que acaba se arrastando e "descontando" nos personagens.É bem chato criar expectativas com um livro e sentir essa onda crescente de desânimo durante a leitura mas faz parte ne? Enfim, definitivamente não vou investir tempo e dinheiro na leitura. Bjosssss

    www.porredelivros.com

    ResponderExcluir