31 de outubro de 2017

[Resenha] Corte de espinhos e rosas - Sarah J. Maas

Oi amores!
Finalmente li um livro da Sarah J. Maas uma das autoras que mais vendeu nos últimos anos. Escritora da também série de sucesso O trono de vidro, Sarah me ganhou completamente desde as primeiras páginas de Corte de espinhos e rosas, não conseguia parar de ler e agora que terminei estou meio desesperada pela sequência que infelizmente ainda não tenho em mãos, se eu tinha alguma dúvida de que precisava ler tudo que essa autora publicou e/ou irá publicar eis que esse livro veio justamente para por tudo em pratos limpos e certificar de que não posso ficar de fora dessa, então fãs da J. Maas chega pro lado porque estou me juntando ao grupo.

Corte de espinhos e rosas (A Court of Thorns and Roses)
Coleção: Corte de espinhos e rosas #01
Autor (a): Sarah J. Maas @SJMaas
Publicação: Galera Record
ISBN: 9788501105875 | Skoob
Gênero: Fantasia +16
Ano: 2015
Páginas: 434
Avaliação: 5/5★
Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar um féerico transformado em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... Ou Tamlin e seu povo estarão condenados.
Já falei algumas vezes por aqui que fantasia não é um gênero que costumo ler, mas sempre que uma obra recebe tantos elogios como essa não consigo conter minha curiosidade e de bom grado abandono minha zona de conforto para me lançar em experiências quase sempre positivas e não foi diferente com esse livro. Corte de espinhos e rosas é uma espécie de releitura de A bela e a fera que se apresenta de forma fantástica e já quero deixar registrado que não está sendo nada fácil tentar reunir todas as informações pertinentes, somá-las ao que eu senti e dispô-las nessa resenha, não pretendo me estender muito e vou dar meu melhor para que fique tudo explicadinho e sem spoilers, né? Porque mesmo o terceiro livro já tendo sido lançado e todo o mundo literário só falar nesses títulos e personagens ninguém merece tais revelações, além disso as maravilhas dessa trama estão justamente nas descobertas que encontramos no desenrolar da leitura e por isso, admito que levei quase um ano para vir até aqui falar dessa história.

Feyre não teve muitas oportunidades boas na vida, nascida em uma família abastada e de posses consideráveis não pode usufruir das regalias que tal posição lhe conferia, já que ainda muito nova presenciou a decadência financeira que a levou juntamente com o pai e as irmãs mais velhas a morarem em um pequeno chalé, diferente do esperado Feyre não encontrou apoio e cuidado em seus familiares e ao contrário disso se viu obrigada pela fome iminente a assumir a responsabilidade pelo sustento da família, pois o pai estava ocupado demais lambendo as feridas e se sentindo um inútil (o que de fato ele é) e as irmãs estavam muito bem acomodadas enquanto usufruíam das provisões que a caçula batalhava para conseguir. Em uma de suas caçadas Feyre cruza uma linha perigosa que transforma completamente a sua vida. Ao matar um féerico transmutado em lobo ela se vê em dívida com um reino poderoso que ela aprendeu a temer e odiar. Já faz cinco séculos que os humanos não são mais escravizados pelas fadas mas Feyre acredita que seu ato pode representar uma quebra no tratado de paz entre os dois povos e temendo pôr sua família em risco ela aceita sua sentença de ter que viver por toda a vida em terras féericas. Mesmo acreditando ser uma prisioneira, não demora para que Feyre perceba que as lendas que ela ouviu durante anos estão longe de retratar o que de fato são as criaturas mágicas que vivem além da muralha, e quando os segredos começam a ser sussurrados ela se prepara para encontrar uma forma de se livrar da punição e enfim voltar para casa.

Esse livro funcionou pra mim do começo ao fim, isso porque mesmo sendo uma fantasia o enredo é super simples e pode ser compreendido sem grandes dificuldades (lembrem-se que não costumo ler livros do gênero), além disso mesmo estando repleta de mistérios a trama flui de forma ágil e apresenta uma dinâmica viciante que nos obriga a ler sem parar. O inicio tem alguns obstáculos que me incomodaram um pouco e acredito que merecem destaque, o primeiro deles é a personalidade teimosa da protagonista, em alguns momentos juro que quase odiei ela, completamente impulsiva ela fala e age de forma imprudente mais vezes do que eu gostaria de ter lido, admito que em alguns momentos essa persistência dela foram de suma importância para que as coisa pudessem chegar a um desfecho satisfatório, e só por isso relevei as imprudências da jovem humana. Como de costume em livros do gênero nos deparamos com uma série de informações iniciais que nos apresentam partes importantes desse mundo fantástico. Como disse antes nada muito complexo, após anos de escravidão os humanos se rebelaram contra os féericos, seres poderosos que apresentam habilidades diferenciadas a depender da corte que se originam, existe um total de sete cortes, são elas: Noturna, diurna, crepuscular, invernal, estival, outonal e primaveril, cada uma possui um Grão-senhor, o ser mais poderoso de sua corte e que pode ser considerado uma espécie de rei (humanamente falando).

A revolta humana foi apoiada por alguns grão-féericos e féericos inferiores que solidarizaram-se ao sofrimento do povo mais fraco e deram força ao movimento, esse apoio deu origem a uma guerra sangrenta que resultou em muitas mortes, obviamente. No fim de tudo os humanos foram libertados e enviados as terras mortais que foi separada das terras féericas por uma poderosa muralha, essas duas porções compõem Prythian (uma espécie de país). Após essa divisão passaram-se meio milênio e diferente das fadas imortais e poderosas que continuam prosperando, os humanos vivem em uma sociedade semelhante a nossa, dividida por classes sociais onde uns vivem bem e outros nem tanto. Feyre é levada para Corte primaveril (palco principal da primeira metade da história) pelo seu próprio grão-senhor e contrariando as expectativas que ela alimentou baseada nas lendas que ouviu durante toda a vida, Tamlim não a lança em uma masmorra para morrer, ao invés disso ela é tratada como uma hóspede que inicialmente está proibida apenas de retornar ao seu lar de origem. Resumindo para não virar "um livro sobre o livro", Feyre se permite conhecer melhor aqueles com os quais ela terá que conviver por toda a vida e a partir dai novas informações são inseridas na história.


Os habitantes da corte primaveril estão amaldiçoados e caso essa maldição não seja quebrada eles estão condenados a algo muito ruim, e o que seria isso? Só o tempo dirá. Feyre se permite encantar pelo grão-senhor que lhe hospeda, Tamlin é lindo, atencioso e cuidadoso (embora quando preciso ele haja como um covarde inútil), esse adendo possibilita o desenvolvimento de um romance apaixonante, aquele casal pelo qual você torce fervorosamente não importa o que aconteça, o bom e veho clichê do príncipe e a camponesa, embora Feyre apresente personalidade bem definida e não se encaixe de fato em nenhum padrão, claro que ela é frágil em demasia se comparado aos seres poderosos que agora a rodeiam, mas ainda assim ela tem a sua própria força, decidida a ser mais do que uma simples donzela em perigo ela desafia seus próprios medos e mostra a que veio. Na segunda metade do livro a história ganha um ritmo surreal, a verdadeira ameaça enfim se revela e somos presenteados com cenas angustiantes repletas de ação e heroísmo. Novos personagens ganham espaço e aprendemos um pouco mais sobre as outras cortes, dentre eles quero destacar Rhyssand, grão-senhor da Corte noturna, um ser sombrio e sarcástico ao extremo que mais de uma vez aparenta agir de forma dúbia. A escrita da Sarah é surpreendente, fiquei impressionada como as pontas parecem se ligar no momento certo e de forma tão convincente, nesse primeiro volume contamos com um desfecho conclusivo para os problemas enfrentados durante a trama e ainda assim a autora conseguiu deixar um gancho importantíssimo que servirá como base para a sequência, esse fato em especial me fez admirar ainda mais a escrita da J. Mass, existe um final satisfatório que conclui essa etapa inicial da Feyre no mundo féerico mas também existem tantas situações a serem trabalhadas que é impossível não desejar desesperadamente o próximo volume.

Corte de espinhos e rosas, é uma fantasia sensacional com uma trama que a primeira vista pode ser considerada simples, mas que conforme evolui mostra seu verdadeiro potencial. Trás um combo composto por personagens fortes, um romance cativante e sensual, histórias que se entrelaçam e despertam o interesse e muita mas muita magia. O enredo ambíguo nos leva a crer e posteriormente descobrir que nem sempre a primeira face a se revelar é a que predomina, cheio de reviravoltas que conferem a trama um ritmo frenético este é sem sombra de dúvidas um começo sensacional. Enquanto nos apresenta Phythian, seus habitantes e dilemas a autora traça uma teia utópica da qual é impossível se libertar mesmo após a conclusão da leitura. Não nego que estou fascinada com essa história e arrisco dizer que esse é o melhor livro do gênero que já li na vida e que obviamente despertou meu interesse nas demais obras da Sarah que sem sombra de dúvidas lerei. Para finalizar, mesmo acreditando não restar dúvidas quero deixar registrado que super indico este livro.

14 comentários

  1. Oi Delmara tudo bem? Mas uma pessoa que foi para o lado egro da força e se apaixonou pela autora ahahahahahha eu não li ainda, mas morro de curiosidade, sempre falam muito bem da obra!!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi,
      acabei me rendendo mesmo haha. Mas como não se render? Recomendo que leia sim, já prevejo você se juntando a mim no fandon da J. Mass. A escrita da mulher é incrível e além disso os personagens são muito fáceis de se gostar.

      Abraços e
      obrigada pela visita!

      Excluir
  2. Oie, tudo bem?
    Adquiri esse livro a pouco tempo exatamente pelos muitos elogios que ouvi sobre a obra. Espero poder colocar em minha meta logo, pois agora fiquei realmente curiosa pra ler sobre! Amo fantasia, ainda mais envolvendo fadas e afins. Amei sua resenha, já me deu um bom insight <3

    ResponderExcluir
  3. Oi, Delmara! Eu já tinha lido esse livro e curti bastante! Tenho o segundo também, mas meio que desanimei com a leitura, não pelo tamanho, mas por algumas críticas que li. Pretendo retomar a leitura em breve, já que quero ver a finalização. Que bom que curtiu esse volume! Acho que vc vai até preferir o próximo. rs
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  4. Olá, que bom saber que você gostou tanto assim de "Corte de espinhos e rosas". Pela sua resenha, eu acho a história fantástica, amo o fato de ter esse ar de releitura. Eu gosto bastante de fantasia, não sei exatamente o motivo de ainda não ter me rendido a essa série.

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro, nem a série, mas parece-me interessante, fiquei com curiosidade. =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  6. Oi Delmara, ao contrario de você, este livro não funcionou muito pra mim porque tive um problema com a protagonista e com o Tamlin. Acho que ela se descaracterizou demais quando foi levada para além da muralha e o Tamlin era muito abusivo. Mas quero seguir com s serie porque dizem que o livor 2 é incrível.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi.

    Eu sempre fico sempre palavras quando o assunto é esse livro. É um dos meus favoritos da Sarah. Amo essa série e estou só esperando o terceiro livro chegar aqui em casa. Não estou pronta ainda para me despedir desses personagens. Amo demais! Rhysand meu grão-senhor da Corte noturna, meu preferido de toda a série. Espero que você continue gostando dos próximos livros.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Ai, meu coração. São muitos feels com essa história. Confesso que relutei muito em lê-la mas também fiquei apaixonada. Sua resenha me deu vontade de reler a história.
    beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oiii tudo bem???

    Ainda não li nada da autora, apesar de estar na minha lista de desejados. Adorei poder ler sua resenha e ver o tanto que este livro te cativou. Espero gostar o mesmo tanto assim que ler.
    Bjs Rafa

    ResponderExcluir
  10. Oii!!!
    Tenho visto muito sobre os livros da autora atualmente. É a primeira resenha que leio desse livro e fiquei muito interessada na leitura. Gostei do inicio da história, me lembrou muito "A bela e a fera" como você mesmo comenta. A outra série dela também me interessa bastante. Trono de vidro tem sido muito bem falado. Gostei da resenha, conseguiu despertar minha curiosidade e pretendo ler o livro em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Fantasia é de longe meu gênero favorito e eu estou morreeeeendo de vontade de ler essa série, mas ainda não consegui comprar. Tenho a sensação que também vai me conquistar logo nas primeiras páginas, e pela sua resenha eu entendi os motivos de ela ser uma das autoras mais vendidas no momento.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bom?

    Esse é um livro super recomendado e acho que as edições brasileiras estão lindas, dá vontade de comprar só por isso. Eu não leio muito fantasia, mas quero mudar esse cenário, já que estão lançando diversos livros incríveis com esse gênero. Com uma leitura fluída, apesar de ser grande, acredito que não ficarei entediada.
    Como nem tudo são flores, não gosto de personagens teimosos, principalmente quando isso se deve ao orgulho e que nunca sabem quando ceder. Então acredito que ficarei como você, em alguns momentos a odiarei, ainda mais por ser impulsiva e isso pode acabar sendo ruim em alguns momentos.
    Além disso, apesar de parecer simples o enredo tem potencial, com personagens fotes e um romance cativante, então há motivos para eu amar a obra. Espero ficar fascinada, como você.

    Enfim, adorei a resenha e obrigada pela indicação :)
    Abraços.

    https://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá! Que resenha bem escrita, Delmara! Parabéns, demorou mais de ano pra vir falar mas veio e falou bonito. Bom, fantasia também não é meu forte, então eu me sentiria perdidinha se não fosse uma trama que fosse simples, eu não curtiria mesmo. Bom, não é um livro que eu leria neste momento, justamente por não gostar do gênero, e agora, não seria massa pra mim. Mas de toda forma, vejo uma história que veio bem construída ao longo de seu enredo que que fecha todas as pontas. Obrigada por nos apresentar à Tamlin!
    Um abraço! Equipe Amores e Livros

    ResponderExcluir