16 de agosto de 2018

[Resenha] Gritos no silêncio - Angela Marsons

Olá personas!
Hoje falarei sobre "Othriller policial. Comentei aqui alguns dias atrás que estou retomando a leitura de livros do gênero e quem viu o post sabe bem que não comecei exatamente como gostaria, mas a vida é feita de descobertas, então cá estou eu com um achado precioso que quero muito compartilhar com vocês, já de antemão quero dizer apenas uma coisa aos apaixonados por histórias do tipo, leiam esse livro. Vocês não vão se arrepender, isso eu garanto. Gritos no silêncio é o primeiro livro da série Detetive Kim Stone, de Angela Marsons. A coleção já conta com oito livros pulicados no exterior. Cada livro trás um caso diferente e cada caso parece de alguma forma estar ligado ou trazer algo importante do passado, seja das vítimas, dos criminosos ou da própria detetive. Interessante, né? Agora sigam lendo e conheçam um suspense que irá mexer com a sua cabeça.

Gritos no silêncio (Silent Scream)
Coleção: Detetive Kim Stone #01
Autor (a): Angela Marsons @WriteAngie
Publicação: Gutenberg *Cortesia
ISBN: 9788582355213 | Skoob
Gênero: Suspense
Ano: 2018
Páginas: 320
Minha avaliação:5/5★
Os segredos mais obscuros não podem ficar enterrados para sempre… Na escuridão da noite, cinco figuras se revezam para cavar uma sepultura, um pequeno buraco em que enterram os restos de uma vida inocente. Ninguém diz nada, e um pacto de sangue os une… Anos mais tarde, Teresa Wyatt é brutalmente assassinada na banheira da sua casa, e, depois disso, mais mortes violentas começam a acontecer. Todas as vítimas têm algo em comum, e a detetive que encabeça o caso, Kim Stone, logo percebe que a chave para deter o assassino que está semeando o pânico na cidade é resolver um crime do passado. Só o que ela sabe é que alguém esconde um segredo e está disposto a fazer qualquer coisa para que nada seja revelado.
Essa é a primeira vez em muito tempo que tenho o privilégio de estar no lugar certo, na hora certa. Mas do que você está falando sua louca? Calma que eu explico. Já contei pra vocês o quanto amo suspenses policiais, né? Pois! Quem curte livros do tipo, sabe que existem diversas séries protagonizadas por detetives específicos, dentre eles destaco o inspetor Harry Hole de Jo Nesbo, Myron Bolitar de Harlan Coben e a detetive Erika Foster de Robert Bryndza, a questão é que sempre chego atrasada e só tomo conhecimento de tais livros após a publicação de alguns (vários) títulos. Nesses casos é comum não existir qualquer ligação direta entre as investigações que costumam ser concluídas em seu próprio título, ou seja a cada novo livro, um caso diferente, mas contudo, entretanto, todavia, não tenho muita facilidade de pegar o bonde andando, uma vez que os detetives em questão são o único fator comum entre as histórias de coleções como estas, eu tenho a necessidade de seguir a ordem de publicação, caso contrário perde-se detalhes da vida, pessoal e profissional desses agentes, o que não chega a interferir na leitura, mas afeta drasticamente meu TOC. Então sim, eu fiquei em êxtase por ter sido apresentada a detetive Kim Stone desde o começo, e que começo meus caros.

Kim Stone teve sua infância marcada por perdas e abusos dolorosos demais para sequer serem lembrados. A detetive tem seus dias assombrados por uma tragédia do passado que a transformou numa mulher completamente avessa a interações sociais e demonstrações de afeto. Apesar disso Kim não se permite sucumbir a dor emocional e luta com tudo que tem para manter bem fundo dentro de si todos os traumas pelos quais passou, decidida a não sentir e nem demonstrar fraqueza ela se tornou uma profissional dedicada que nem sempre age dentro dos limites permitidos. Uma série de assassinatos brutais colocam Kim em uma investigação que desafiará suas melhores habilidades, mas além disso trará a superfície os sentimentos e lembranças que a tanto tempo ela vem tentando superar. Desenterrar o passado pode ajudar a detive a solucionar as mortes que estão assustando os moradores da cidade, mas estaria ela preparada para enfrentar seus próprios fantasmas?

Eu sinceramente não sei como sintetizar essa história, mas como preciso começar de alguma forma, quero antes de tudo falar sobre a detetive Stone. Desde o incio me vi sem saber o que sentir em relação a esta personagem tão complexa. Kim não é "oito ou oitenta", pra falar a verdade ela é uma vastidão, é forte e decidida ao mesmo tempo que frágil. Veste um escudo de antipatia e indiferença quando na verdade se importa bem mais que a maioria. Uma mulher que vem sofrendo em silêncio a anos, mas que tem a aparência e a imponência de uma titã. A história de vida da detetive me comoveu profundamente, é quase doloroso saber como ela é atormentada por dores que não consegue curar, mas sua energia e determinação me deram orgulho. Como uma arma poderosa, forjada do fogo e da adversidade Kim Stone não se deixa derrubar, possui uma intensidade desconcertante e consegue extrair coragem de suas próprias fraquezas. E notadamente eu não fui a única a me render as qualidades e limitações da moça. A rebeldia da detetive é responsável por quase enlouquecer seu chefe de departamento, mas também é uma das características que a tornam uma profissional com alto nível de resolutividade e eficiência, além de não parecer interferir no carinho e admiração que sua equipe lhe dedica, mesmo através de uma relação quase impessoal Kim possui uma sintonia extraordinária com seu pessoal e juntos formam uma unidade engajada.

Quanto ao mistério, o considero uma grata surpresa. A morte de um inocente que baseia um pacto antigo, dá lugar a necessidade de entender a ligação entre passado e presente. Mortes em sequência a serem desvendadas, vítimas em potencial a serem encontradas, segredos a serem descobertos. Kim se depara com uma teia de acontecimentos e vestígios que precisam ser decifrados. Um quebra cabeças com peças extras... Quem leu até aqui já deve ter notado que as características da protagonista remetem ao empoderamento feminino, mas essa abordagem não se restringe apenas a personalidade da detetive, em mais de uma situação somos apresentados a situações que evidenciam o preconceito de gênero e a "suposta superioridade masculina", felizmente a autora de forma natural consegue desconstruir alguns estigmas do tipo, além disso Angela trabalha outras questões tão relevantes quanto, são elas: a  injustiça social, abuso sexual, e criminalização da vítima, também trás a luz questionamentos morais que põem em xeque o fato de que ninguém é completamente inocente, esses e outros elementos compõem um enredo sólido e plausível. É isso! Não vou me alongar no assunto pois não quero revelar demais. Mas posso dizer o quanto a ambientação orna com os acontecimentos, Black Country é o cenário perfeito para a construção de um thriller, e como moradora da cidade britânica, Angela se mostra mais do que capaz de executar essa tarefa e nos brinda com descrições detalhadas capazes de nos fazer mergulhar ainda mais fundo na história.

Gritos no silêncio é um suspense de qualidade. Angela Marsons construiu uma trama densa e bem desenvolvida, que merece todos os elogios possíveis. Enquanto me deixava envolver pelo mistério e juntava as peças que iam surgindo, comecei a crer que já havia descoberto como tudo terminaria. Ledo engano. É justamente na segurança do "eu entendi o que aconteceu" que a autora puxa o tapete e trás um plot que me deixou boquiaberta, e o melhor de tudo é que as peças se encaixam com uma perfeição incontestável. Não há margens para questionamentos ou dúvidas, as amarrações são feitas com maestria e tudo possui uma razão de ser plausível. A narrativa é instigante e incita o leitor a querer mais e mais, as descrições são cruas e bem elaboradas, imprime em nossa mente cenas jamais vistas e nos torna parte da história, parte da investigação. Este é um thriller que recomendo sem qualquer receio a todos que já curtem o gênero, trata-se de uma história que prende, instiga e agrada do inicio ao fim.

14 comentários

  1. Sou apaixonada por livros livros Policiais, acho que a narrativa intensa e os dramas pessoais fazem esse tipo de leitura ser perfeita.
    Gritos de Silêncio não fica longe viu, é um livro com uma carga de mistério bem grande e muita coisa acontecendo ao redor da protagonista.
    Achei a premissa ótima!

    ResponderExcluir
  2. Eu não sou fã de suspense mas quase sempre eu me vejo curiosa por conta das resenhas, como foi o caso aqui. EU provavelmente seria o tipo de pessoa que achou que já tinha solucionado tudo e no final a autora puxaria meu tapete igual ao que aconteceu contigo haha adorei a dica e ja deixei anotadinha aqui!

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bom?
    Policial não é minha primeira escolha de leitura, mas de vez em quando eu dou uma chance para um ou outro livro que aparece na minha estante. Achei a premissa desse livro bem interessante e a maneira como você parece ter gostado muito do livro me deixou bem curiosa para fazer essa leitura, então, com certeza, esse é um livro que em breve eu lerei.

    Beijos!
    https://www.manuscritoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu simplesmente adoro esse gênero, mas tenho lido poucos livros do tipo, estou mais na vibe young adult/new adult ultimamente. Mas que bom saber que o suspense é de qualidade, fiquei muito interessada em conhecer a trama e escrita da autora. Tenho certeza de que vou adorar a leitura também.
    beijos

    ResponderExcluir
  5. Confesso que li pouquíssimos suspenses na minha vida. Menos de cinco. E esse me deixou intrigadíssima!!! Agora to morrendo de vontade de ler hahaha
    Parabéns pela resenha, e pelo blog. É lindo ♥ ♥

    Xoxo,
    Abby
    Blog Linhas Tortas

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Essa história parece ser bem intensa. Amo suspense e quando o enredo é bem trabalhado geralmente me prende e só consigo parar depois de finalizar a leitura.
    Estou curiosa para saber todos os mistérios e o porque de ficar boquiaberta com essa leitura.
    Já está na minha lista de leituras.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Deus do céu! Eu não deveria ter lido sua resenha, menina! Porque agora quero muito ler o livro!kkkkkk... Acabo de adicionar na minha lista de desejados no Skoob. Só Deus mesmo na minha vida porque é tanta coisa para ler que vou acabar me internando!rsrs

    Sou apaixonada por thrillers. Há anos! E este mês até adquiri mais alguns, pois me sentia culpada por não estar lendo muitos deles este ano. É que coloquei na meta outros gêneros e isso acabou me afastando dos meus amados suspenses. :( Agora preciso comprar "Gritos no Silêncio"! Para ontem!!!

    Amo protagonistas fortes, que mostram o poder que têm e quando elas carregam um passado traumático é melhor ainda, pois faz que nos identifiquemos, que nos sensibilizemos mais. As pessoas às vezes não entendem por que sendo uma pessoa que chora com quase todos os livros (sim, sou chorona mesmo!!rsrs) eu leio "essas coisas" que me fazem mal. Que me fazem pensar nas injustiças, nas tantas vítimas que existem por aí. Elas não compreendem que não é para ler sobre tragédia que leio esses livros. É pelas personagens fortes, é pela tentativa delas de fazer justiça, de mudar algo. E sempre espero aquele final justo, sabe? Que alguma coisa tenha dado certo no fim, mesmo que não para todos. É pelo mesmo motivo que assisto Lei e Ordem - Unidade de Vítimas Especiais.

    A trama do livro também me lembrou aqueles filmes em que assassinatos acontecem por causa de algo obscuro no passado dos personagens. Existem vários filmes do tipo. Mas acredito que a autora inovou e criou uma trama única. Ai, quero tanto ler! Estou em agonia pelo livro!

    Sinto curiosidade em saber qual acontecimento gerou todos os crimes do livro, mas minha maior motivação é a detetive. Quero conhecer essa personagem tão forte.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Esse livro já é o próximo na minha lista de leitura e agora que eu li a sua resenha eu me animei ainda mais. O gênero é o meu preferido e espero ter uma boa experiência com a leitura. Gostei muito de saber sobre o empoderamento feminino sendo abordado no livro.

    ResponderExcluir
  9. Oi Del,

    Eu tenho lido muito pouco o gênero, na verdade, faz muito tempo que não leio nada do gênero e tenho andado em busca de livros assim, por isso a sua resenha veio na hora certa. Eu não conhecia a autora, confesso para você, mas os seus elogios foram tantos, que fiquei curiosa. Eu amo um bom mistério e que eu fiquei surpresa com os acontecimentos do livro, portanto, acho que vou curtir muito a leitura.

    Anotei a dica por aqui. Obrigada! <3

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia a obra, mas já anotei o nome aqui. Adoro o gênero e suas impressões me deixaram bem curiosa e instigada a ler. Adoro leituras que prendam do início ao fim e na qual a autora, nesse caso, puxa o tapete do leitor, mostrando que ele não tinha resolvido o mistério coisíssima nenhuma. Grata pela dica! Bexus @prefirolercomcalma

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bom?

    Eu amo livros de mistérios! Assim como você, eu também não acompanho muitos detetives, pois normalmente chego quando o bonde já passou. Eu leio Agatha Christie sem estar na ordem de lançamento e às vezes aparece persongens de casos anteriores e, assim, fico boiando sobre o que está acontecendo. Pode ser uma coisa pequena, mas me afeta também, por isso estou tentando ler na ordem correta (mas são tantos livros que fica difícil achar algumas publicações).
    É legal pegar esse lançamento e eu já estava de olho desde o momento do anúncio de publicação. É bom conhecer a detetive desde o começo e esse caso me deixou intrigada, ainda mais por essa obra abordar questões de gênero e a criminalização da vítima. Você elogiou tanto que eu estou ansiosa para ver como a escritora abordou tudo.

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Olá Delmara!!!
    Eu também tenho um certo TOC em relação a histórias que sei que tem o primeiro livro e mesmo não interferindo no enredo que vem, mas para mim a história não continua se não tiver lido os anteriores. Paranoia minha?? Não sei, mas é algo meu.
    Enquanto lia sua resenha e até mesmo a sinopse do livro me lembrei do filme "Eu sei o que você fez no verão passado" onde temos jovens que fazem um pacto após atropelarem uma pessoa e eles acabam tendo que se livrar do corpo.
    Eu gostei do enredo e achei interessante a autora trazer questões femininas para dentro do mesmo.
    Parabéns pela resenha e anotei a dica ^^

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Olá Del,
    Até agora tive a oportunidade de ler duas resenhas desse livro e todas foram incríveis e elogiando muito a obra e o suspense que a autora criou. Já li as primeiras páginas, por curiosidade, e notei que a história começa de uma forma que me agrada muito.
    Sabe que também tenho o hábito de "pegar o bonde andando" e sempre ler os livros fora da ordem? Espero que, com essa série, consiga ler livro por livro.
    Adorei suas impressões.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bom?
    Não conhecia o livro, mas sendo um suspense de qualidade, onde temos que ir ligando aos poucos as peças para desvendar a história eu já quero! Adorei o pouco que descobri do enredo, saber que ela abordou a criminalização da vítima e que o fez com maestria só me deixou ainda mais curiosa para conferir a trama. Dica mais que anotada! Espero poder ler em breve e gostar tanto quanto você ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir