8 de agosto de 2018

[Resenha] Bruto e apaixonado - Janice Diniz

Olá pessoas!
Quem já conhece a "rainha dos cowboys" brasileiros? Se não conhecem chegou a hora de conhecer e quem já acompanha, vem conversar comigo sobre esse querido. Não sei por onde andei durante todos esses anos que ainda não havia lido nada dessa autora, mesmo suas obras abordando um universo que curto bastante, mas ao que parece finalmente consegui sair da caverna que estava habitando e acabei de ter meu primeiro contato com a escrita da Janice Diniz e já adianto que não poderia ter ficado mais satisfeita com a experiência. Uma das coisas que mais gosto nessa minha vida de leitora é encontrar obras nacionais cativantes como esta, da um orgulho "danado sô", e Janice sabe bem como conquistar o leitor, então cá estou eu me rendendo a uma de suas obras. Bruto e apaixonado é o primeiro livro da série Irmãos Lancaster de Janice Diniz, autora best-seller da amazon. Sem mais delongas, vamos a resenha!

Bruto e apaixonado
Coleção: Irmãos Lancaster #01
Autor (a): Janice Diniz @janice_diniz
Publicação: Harlequin *Cortesia
ISBN: 9788595082885 | Skoob
Gênero: Romance +18
Ano: 2018
Páginas: 256
Minha avaliação: 4/5★
Mário Lancaster e Natália Esteves parecem não ter nada a ver um com o outro: ele é um ex-peão de rodeio e ela, uma empresária sofisticada de uma metrópole. Ela deve demitir funcionários da maior fábrica local, e ele é o responsável por convencê-la a mudar de ideia. Eles estão em lados opostos, mas a química entre os dois é impossível de ignorar. Bruto e apaixonado é o primeiro volume da série Irmãos Lancaster e uma história irresistível de amor, superação, sedução e, claro, caubóis atraentes e possessivos.
Não me lembro de já ter lido alguma outra história de Cowboys antes desta, mas desde que me entendo por gente sou encantada por esse universo. O que é meio contraditório uma vez que não sou lá muito fã de vaquejadas e coisas do tipo, pra falar a verdade tenho pavor desses eventos. O que me fascina de verdade é o clima interiorano, a simplicidade da vida no campo, a lida nas fazendas, os animais... E esse livro trás muito da rotina intimista das cidades pequenas. Além disso, Janice quebra alguns esteriótipos, e nos faz ver o coração "bão" por trás da brutalidade inicial do ex-peão e a força que rege a garota subestimada. Além disso, os conflitos familiares acrescentam uma dramaticidade interessante a trama, e embora alguns detalhes fiquem em suspenso, é possível se divertir e entreter com os dilemas de Mário e Natália.

Após ser pisoteado por um touro, Mário teve que abandonar a vida de peão de rodeios. A experiência de quase morte tomou sua maior paixão e o levou de volta para o interior do Mato Grosso onde passou a administrar a fazenda da família. Voltar para casa como ex-peão, aposentado pelas circunstâncias, não era bem o que Mário sonhava para si, mesmo assim ele se dedica a manter de pé a propriedade que comprou do pai. Se já não tivesse problemas suficientes para resolver eis que o Cowboy ainda precisa lidar com as altas expectativas dos moradores da cidadezinha interiorana, que acreditam que ele deve manter o legado do falecido patriarca e seguir ajudando a todos na cidade. Mário dispensa mais essa função e quer apenas cuidar da sua própria vida, mas acaba sendo vencido pelo cansaço. Então quando seus conterrâneos decidem que ele precisa usar seu charme para seduzir e impedir a forasteira que está chegando a Santo Cristo, com o objetivo de realizar uma série de demissões na fábrica responsável por boa parte da economia da cidade, Mário se vê em rota de colisão com Natália, uma executiva determinada que promete não só abalar as estruturas da cidadezinha mas também seu coração.

A primeira vista Mário não agrada muito, ele é o típico homem atraente que não se envolve, com o agravante de ser extremamente bruto. O Cowboy de Santo Cristo, não tem muito tato e não é dado a civilidades, então costuma ser curto e grosso com quem cruza seus limites. Isso se reflete na forma que ele trata todos ao seu redor, inclusive as mulheres que ousam querer mais do que apenas uma noite de luxúria. Confesso que já estava pegando ranço dele, quando a autora nos apresenta o personagem sob uma nova perspectiva. Mário não possui nenhum grande trauma que o impede de entregar seu coração, ele apenas não encontrou ninguém que o envolvesse de fato, então quando Natália surge em sua vida, ele se vê em queda livre. A partir dai é possível ver além do casca grossa inicial e conhecer os medos, anseios e sonhos do peão. Não muito diferente de Mário temos Natália, uma profissional dedicada que aparenta uma força que não combina em nada com a garota vulnerável, desprezada pelo pai que luta com unhas e dentes por um pouco de reconhecimento. Os dramas que envolvem ambos os protagonistas são muito reais, e vê-los lutar com tudo que têm para superar suas fragilidades chega a ser comovente. Conforme as batalhas vão sendo travadas é impossível não sentir orgulho da notável evolução pela qual eles passam.

A trama toda é emocional. Não é difícil perceber que este livro é muito mais que um simples romance para adultos. Além da sensualidade evidente, encontramos grandes lições implícitas em uma história realista contada de forma descontraída. Outro ponto que me chamou bastante a atenção foi o fato de a autora ter optado por uma narrativa com conotação "caipiresca", cheia de vícios de linguagem e outras características que acredito serem típicas da região, admito que no começo estranhei um pouco, mas conforme a leitura evoluiu acabei me adaptando e gostando da forma que esse detalhe trouxe familiaridade e me ajudou a mergulhar ainda mais fundo na história. Os personagens secundários tornam esse enredo ainda mais apaixonante e dentre eles destaco a Dona Albertina, a senhorinha boca suja, matriarca da família Lancaster que me conquistou com sua irreverência e estilo despojado e não poderia deixar de fora Thomas e Santiago, irmãos desajuizados de Mário, que protagonizarão os próximos livros da série.

Bruto e apaixonado, é uma surpresa. Não sabia muito o que esperar dele e logo nas primeiras páginas acreditei que se trataria de mais uma trama machista que exalta um relacionamento abusivo, então imaginem a minha felicidade quando descobri que é exatamente o contrário. Um romance que enobrece, fortalece e cativa com seu desenvolvimento gradual. Os dramas familiares abordados são realistas e despertam a empatia do leitor. Mário é um bruto na bem verdade, mas além da superfície, ele é nobre e dedicado, Nathália é determinada e juntos dão vida a uma relação descontraída onde se busca um meio termo que respeite a natureza de ambos. A ambientação interiorana, destaca a importância das coisas simples da vida, e encanta a cada virar de página. Janice possui uma narrativa dinâmica que aprisiona proporcionando um ritmo de leitura agradável. Já estou super ansiosa para seguir lendo os demais livros da série, que prometem ser tão bons quanto este, isso se levarmos em consideração o carinho que já nutro pelos irmãos que protagonizarão as sequências. Super recomendo para os apaixonados por romances sensuais e divertidos, personagens decididos e cowboys turrões de coração mole.

7 comentários

  1. Ahhhhh, ontem eu vi este livro e fiquei imaginando que com este nome seria um livro meio bruto mesmo como você disse, mas agora gostei do que você descreveu ainda mais que gosto do estilo mais interior, pois gosto do Texas. hahahahahaha
    Valeu pela dica, vou adorar esta leitura menina!

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Esse livro está na minha lista de leituras. Muitas conhecidas adoram a escrita da Janice e pelo visto esse livro é bem dinâmico, apesar de parecer ter uma pegada bem hot além do que me agrada. Mas dá pra perceber que os problemas familiares e os personagens são bem conduzidos e construídos, deixando a leitura mais prazerosa.
    Espero curtir essa leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?

    Confesso que não conhecia o livro e a autora, sei que a Harlequin é uma baita editora para quem gosta de romances, mas não conheço muito o catálogo dela por não ser um amante do gênero. A sua resenha ficou boa, está de parabéns. Vou indicar esse livro para as meninas do blog.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Olá, Delmara!

    O livro também foi uma grata surpresa para mim. Embora livros eróticos não sejam do meu agrado, eu amei esta história! Ela me conquistou por completo. Não sou fã das cenas muito explícitas e da linguagem chula que ela utilizou em alguns momentos em que o casal fez amor, mas o livro como um todo é apaixonante. Eu achava que o Mário era um machista, que se sentiria "o tal", pisaria na mocinha e tudo o mais, porém não é nada disso que encontramos. Ele é perfeito! Um mocinho totalmente digno da mulher que ama. E a cena do cavalo quase no final da história?! Fiquei suspirando aqui!kkkkkkkk...

    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Adorei sua resenha! Ainda não tive a oportunidade de ler nada da autora, mas sempre recebo ótimos comentários sobre o livro dela. E pelo jeito vou gostar da história, ainda mais pela autora ter criado um mocinho sem traumas no passado kkkk
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bom?

    Eu normalmente não leio histórias de cowboys - faz alguns anos que li a última, pelo que me lembro -, então fiquei curiosa sobre essa obra. Só que eu também gosto quando retratam essa vida do interior, o campo e nos mostram um pouco mais sobre essa vida mais "calma". Então eu gostei de ver essa história, ainda mais sendo retratada no Brasil - as que eu li eram todas do Texas, confesso, rs.
    Como eu não conheço nada da autora, fiquei com um pé atrás quando vi essa capa, pois fiquei com receio de ter relacionamento abusivo. Mário é retratado como um bruto e fiquei com medo dele tratar a mocinha mal. Fiquei feliz ao ver que isso não ocorre e isso fez com que eu colocasse esse livro na minha lista de desejados. É legal ver que ele simplesmente é assim e começa a mudar quando percebe os seus sentimentos. Agora quero ver como a autora retratou essa história! <3

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Vou te confessar que esse é um livro que se eu fosse olhar só a capa e a sinopse, não leria. Nunca li nada envolvendo cowboys, mas tinha impressão que seria mais um romance vazio com um mocinho machista e mandão e uma atração irresistível. Porém, lendo sua resenha deu para perceber que há mais camadas na história e que os personagens foram bem desenvolvidos. Gostei de saber que há mais do que o romance na história e, especialmente, que os dramas familiares foram abordados de uma maneira realista.
    Adorei sua resenha e fico feliz que o livro tenha te surpreendido positivamente. Vou anotar a dica para ler futuramente.
    Beijos!

    ResponderExcluir