22 de julho de 2018

[Resenha] Um verão na Itália - Carrie Elks

Olá personas!
Hoje vamos falar de romance. Confesso que me apaixonei por esse livro antes mesmo de saber do que se tratava, esse título e essa capa (e que capa, não é mesmo?) me atraíram instantaneamente, e tal como uma mariposa encantada pela luz me vi fascinada e esperançosa de que a trama fizesse jus as expectativas, felizmente, no final das contas fiquei bem satisfeita com o que encontrei. Este é o meu primeiro contato com a escrita da autora, mas definitivamente não será o último. Um verão na Itália é o primeiro livro da série Irmãs Shakespeare, e mais uma aposta da caixa VIB (Very Important Book), que conta a história de quatro irmãs em quatro estações do ano, onde cada uma a sua maneira irá encontrar o verdadeiro amor. Sem mais delongas, vamos ao que interessa.

Um verão na Itália (Summer's Lease)
ColeçãoAs irmãs de Shakespeare #01
Autor (a): Carrie Elks @CarrieElks
Publicação: Verus *Cortesia
ISBN: 9788576866848 | Skoob
Gênero: Romance
Ano: 2018
Páginas: 280
Minha avaliação: 4/5★
Cesca Shakespeare chegou ao fundo do poço. Depois de escrever uma peça de teatro premiada que acabou em desastre, o bloqueio criativo se instalou, sem previsão de ir embora. Seis anos mais tarde, ela acabou de perder mais um emprego pavoroso e está prestes a ser despejada de seu apartamento. Pior ainda, suas irmãs não fazem ideia de como sua vida vai mal. Assim, quando seu padrinho lhe arruma uma temporada de verão em uma bela villa italiana, sem ter de pagar nada por isso, Cesca concorda, meio a contragosto, em ir para lá e tentar escrever uma nova peça. Isto é, antes de descobrir que a casa pertence a seu arqui-inimigo, Sam Carlton. Tendo acabado de ver seu nome em todas as manchetes pelas razões erradas ― mais uma vez ―, o galã de Hollywood Sam Carlton precisa de um lugar para se esconder. Que opção melhor do que a linda villa desocupada de sua família à beira do Lago Como? Só que, quando ele chega, descobre que a casa não está tão desocupada quanto ele esperava. Ao longo do quente verão italiano, Cesca e Sam terão de confrontar o passado. E o que começa como uma hesitante amizade rapidamente se torna uma atração intensa ― e depois uma aventura ardente. Uma coisa é certa: este será um verão abrasador. 
Talvez vocês ainda não tenham percebido, uma vez que minhas resenhas estão um pouco atrasadas (se tudo der certo coloco tudo em ordem este mês ainda), mas ultimamente tenho lido bastante romance com essa pegada fofa, e isso tem me deixado bem feliz. Sabe aqueles clichês fofinhos responsáveis por deixar o dia mais leve e que muitas vezes nos salvam daquelas ressacas literárias intermináveis? Então, isso é exatamente o que temos com essa história da Carrie Elks, autora best-seller do Fix You e The Love in London series. E mesmo se tratando de uma trama previsível não posso deixar de destacar a existência de certas nuances que conferem a obra alguns aspectos singulares que fazem toda a diferença quando olhamos de modo geral. Exemplo disto é a complexidade dos personagens e de seus dilemas que de tão bem construídos se mostram realistas e carismáticos.

Cesca viu sua promissora carreira como roteirista desabar quando sua peça de apresentação foi cancelada, isso porque o ator principal abandonou o papel as vésperas da estréia não deixando saída se não a interrupção do projeto. A jovem viu seu maior sonho tornar-se seu pior pesadelo quando decepcionada e frustrada, teve que lidar com um bloqueio que a impediu de progredir na profissão, o que a levou a pular de um emprego para o outro, uma vez que ela parecia não ter nenhuma outra aptidão que lhe garantisse uma função permanente. Após seis anos alimentando uma mágoa crescente, e tendo perdido seu último emprego (pela milionésima vez), Cesca decide aceitar a proposta de cuidar de uma vila particular na Itália, como última tentativa de recuperar sua inspiração. Porém o que deveria ser o refúgio de seus problemas cotidianos, torna-se um encontro inevitável com um dos piores desgostos do seu passado. Agora, cara a cara com Sam, o ator que abandonou sua peça, ela terá que decidir entre fugir mais uma vez ou enfrentar o ressentimento que a muito a tem abatido.

Preciso admitir que o drama da Cesca não me convenceu em momento algum. De fato, o Sam ter abandonado a peça em cima da hora prejudicou a estréia da garota como roteirista, contudo, porém, todavia, nota-se a distância que o fato da carreira dela ter ido pro saco antes mesmo de começar é mérito exclusivamente dela, que preferiu desistir ao invés de continuar tentando. Entendo que quando se leva um tombo como este, não é fácil levantar e sair andando como se nada tivesse acontecido, mas também não dá para entregar os pontos da forma que Cesca fez. No final das contas, é possível perceber que ela se auto sabotou durante anos, por medo e covardia. Mesmo contando com o apoio de tantas pessoas, ela se recusava a deixar o orgulho de lado e aceitar ajuda, soma-se a isso o fato dela ter nutrido um ódio desproporcional pelo Sam, que repito, pisou na bola mas nada digno de tanto rancor, e pronto! Acabei não tendo uma impressão tão boa a respeito da personagem, o que infelizmente se manteve durante a maior parte da história. Não digo que ela é a pior das piores, longe disto mas não nego que os excessos nas reações, a facilidade em desistir sem lutar, a necessidade de estar sempre sendo puxada para cima por algo ou por alguém, não me deixaram tê-la em alta conta.Talvez (só talvez) se ao invés dela ter usado todo o tempo em que passou execrando Sam e direcionando boa parte da sua energia a alimentar sentimentos que não a levariam a lugar algum, ela tivesse se dedicando a escrita, sua vida poderia (quem sabe) ter tomado rumos completamente diferentes.

Não tão diferente de Cesca, temos Sam, que também possui falhas dignas de nota e dentre elas ouso destacar a insegurança que o impede de tomar decisões, desde as mais simples até as mais importantes. Sam parece estar preso a um conceito que não lhe agrada e tampouco lhe trás os benefícios que gostaria de obter, e mesmo assim não consegue sair desse limbo. Porém, seus dramas são mais realistas que os da aspirante a roteirista, Sam vive uma relação extremamente difícil com o pai que nunca parece estar contente com o desempenho do rapaz, nem mesmo com os seus melhores feitos. E após ter passado tempo demais tentando ser motivo de orgulho para este homem, Sam finalmente decidiu seguir sua vida conforme seus desejos, pelo menos na teoria, porque na prática não importa o que ele faça, a desaprovação paterna paira sobre sua existência como uma sombra negra que mina boa parte dos seus projetos e pensamentos. Sendo assim, tive uma facilidade maior em entender seus dilemas, principalmente quando Sam se mostra tão afável e leve, apesar do segredo torturante que guarda dentro de si.

Quando juntos esses dois personagens são como fósforo e pólvora e se me permitem dizer, atribuo isso aos excessos de Cesca que tem uma incomoda  propensão a agir de forma irracional. Felizmente passados os conflitos iniciais, quando a garota para de gritar e espernear, é possível notar uma sintonia cativante se formando entre os dois. A rotina construída dia a após dia trás a agradável sensação de férias de verão, que ganha pontos extras por ocorrer em um cenário de tirar o fôlego. A vila particular praticamente isolada de tudo, é o lugar perfeito para duas pessoas em conflito se matarem de vez, ou nesse caso restabelecerem laços e quem sabe construírem algo mais. Além de me encantar com a ambientação da história, preciso dizer o quanto me comovi com a relação visceral que Cesca possui com a escrita, a garota têm uma necessidade tão grande de criar que não me admira ela ter se sentido inerte durante todo o tempo em que ficou sem escrever. O desfecho foi bem ao estilo romance com o astro, que costumava passar na sessão da tarde, o que só me fez suspirar ainda mais com a história.

Um verão na Itália, é um romance fofo e realista. Aqui temos um casal com falhas óbvias que nem sempre age de forma racional (quem nunca?), mas que apesar das limitações conservam vivas dentro de si qualidades admiráveis. Carrie Elks nos apresenta uma história para se ler de forma despretensiosa, que mesmo não trazendo grandes surpresas e/ou reviravoltas, tem capacidade plena de entreter os leitores apaixonados pelo gênero. Enfim, esta é uma obra pra quem busca aquela receita que deu certo, uma trama clichê que proporciona aconchego e familiaridade, que além de diversão, trás uma pegada mais sensual, - nada muito escandaloso e tampouco tão inocente - que orna perfeitamente com o desenvolvimento. Apesar de ter considerado o inicio massante, consegui manter o interesse pela história que quando começou a funcionar tornou-me cativa até as últimas páginas, me deixando obviamente sedenta pelos próximos volumes da série.

15 comentários

  1. Essa é a terceira vez que leio uma resenha desse livro. Não tem jeito, preciso ler urgente essa obra, estou mais do que curioso agora.

    Gustavo
    http://www.leituraenigmatica.com

    ResponderExcluir
  2. Li esse livro e gostei muito dele, principalmente porque ele tem certa realidade que nos aproxima dos personagens. Gosto disso e por se passar na Itália tem todo um charme.
    E ele me lembrou também um pouco Sob o Sol da Toscana onde a protagonista é escritora.

    ResponderExcluir
  3. Oi Delmara!
    Eu já li algumas resenhas sobre esse livro, e na grande maioria, os comentários foram bem positivos.
    Apesar de algumas vezes uma história clichê cansar um pouco, também precisamos de uma história mais leve e sem pretensão de ser algo grandioso.
    Embora eu já saiba que que ficaria irritada com a Cesca, até entendo a sua cabeça dura. Muitas vezes erramos e é difícil percebemos isso.
    E que paisagem, heim?
    Sua resenha está ótima!
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Del.
    Assim que vi essa capa, já fiquei doida para conhecer essa história.
    Gostei de saber que é um romance gostoso, fiquei mais animada!! Gosto de histórias assim e acho que vou me dar bem com esse livro!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  5. Eu acho esse livro um amorzinho, é daqueles que curam a ressaca literária de qualquer um, sem contar que a ambientação é muito gostosinha, pra mim, essa foi a melhor parte sem duvida alguma. Espero que os próximos livros não demorem tanto pra serem lançados, eu me apaixonei pela escrita da autora.

    ResponderExcluir
  6. Fico animada em saber que finalizou a leitura bem satisfeita. Tenho visto bastante elogios quanto a este livro, então saber que além de fofo ele consegue ser realista reforça minha vontade de ler a obra, sem dizer que essa capa ficaria linda de viver na minha estante.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bom?
    Adoro um livro estilo "sessão da tarde", com essas premissas leves, que nos enchem de sentimentos bons! Adorei esses personagens bem humanos e falhos e já quero ver como a protagonista vai lidar com essa mágoa em relação a ele e o que vai fazer para mudar sua situação. Dica mais que anotada! ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Delmara!

    A capa do livro é mesmo muito bonita. E eu amo histórias leves, que nos provocam aquele alívio depois de termos lido livros mais densos, que roubaram nossas energias. Muitas vezes fujo para essas histórias depois de ler livros pesados. É sempre uma ótima escolha. E também costumo apreciar clichês. Todavia, não sei se eu conseguiria gostar dos protagonistas dessa história, sobretudo da mocinha. Não gosto de personagens tão fracos e inseguros, com comportamentos infantis e desproporcionais. Acho que acabaria tendo sérios problemas com a mocinha, o que prejudicaria a leitura, infelizmente.

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Esse livro está na minha lista de próximas leituras. Parece ser um enredo leve e bem amorzinho, além de trazer um país que acho lindo e super romântico.
    Ansiosa pra conhecer mais desses personagens.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  10. Oii

    Esse livro me chamou a atenção no mochilao d Record e desde então tá na minha lista de desejados. A sua resenha é a primeira que leio da obra e me serviu pra colocar os pés no chão. Prestei atenção em tudo o que disse e mesmo assim desejo ler esse livro. Amo os livros com essa pegada boba haha

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Ler sua resenha me deu vontade de ler esse livro novamente. Eu comecei a ler no dia que recebi e terminei em um dia. Confesso que não achei o início maçante não. Ao contrário, fui envolvida logo no início. Gostei muito dos personagens não serem perfeitos e terem esses comportamentos meio irracionais, porque isso os tornou mais humanos e interessantes.
    Enfim, sou suspeita, porque eu amei muito esse livro. É um enredo bem clichê mesmo, mas que foi bem desenvolvido pela autora e se tornou uma leitura muito gostosa.
    Adorei sua resenha e fico feliz que, mesmo tendo achado o começo um pouco monótono, você também gostou da leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. A capa deste livro já me atrai profundamente e saber que é um romance construído por um casal imperfeito, me deixa mais animada ainda para conhecer a trama. Fiquei bem curiosa com o Sam e sua insegurança e já quero torcer para que tudo de certo.
    beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?

    Ao ler sua resenha, percebi que o casal protagonista da trama acaba beirando o clichê, mesmo sem deixar de lado elementos inovadores, resgatando até um pouco do próprio Shakespeare. Embora você tenha dado uma nota tão alta, acho que não seria o tipo de leitura que me agradaria.

    Beijos
    @blogodiariodoleitor

    ResponderExcluir
  14. Oi.
    Ultimamente esses romances fofos acabaram se tornando minha zona de conforto. Apesar de gostar bastante e não vir nada de errado nisso, estou tentando dar uma variada nos gêneros que leio. Sem contar que acho que essa coisa de a personagem principal desistir fácil demais e ficar querendo colocar a culpa em outras pessoas pelos problemas que ela tem, acabaria me incomodando demais!
    Por isso não é um livro que eu leria no momento, quem sabe mais para frente...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Olá,

    Sabe o que mais me atrai nesse livro, ele ter como cenário a Itália, sou apaixonada por esse país e meu sonho é conhecê-lo um dia, então sei que fazer essa leitura será uma delícia, ainda não tive a oportunidade, mas espero mudar isso em breve, tenho lido opiniões muito agradáveis sobre essa leitura.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir