12 de janeiro de 2018

[Resenha] Últimas mensagens recebidas - Emily Trunko

Hey!
Recebi este livro no começo da semana e me vi tomada por um encantamento imediato que segue comigo até hoje. Últimas mensagens recebidas, é uma coletânea de frases e pequenos textos reais que marcaram o fim de um relacionamento ou amizade, uma partida inesperada, um abandono doloroso, uma até logo que tornou-se despedida e coisas do tipo. O livro foi organizado por Emily Trunko, uma garota de dezesseis anos que já administra um projeto (que serviu de inspiração para a obra) nesse mesmo estilo. Estou apaixonada por cada detalhes deste trabalho, uma leitura que apesar de breve deixa marcas permanentes naqueles que se proporem a absorver todo o significado que estas mensagens possuem. No final das contas me sinto feliz e satisfeita por ter dado uma chance, então chega de conversa e vem ler o que eu tenho a dizer sobre este livro magnífico.

Últimas mensagens recebidas (The Last Message Received)
Autor: Emily Trunko (org.) @EmilyTrunko
Publicação: Seguinte *Cortesia
ISBN: 9788555340604 | Skoob
Gênero: Não-ficção
Ano: 2017
Páginas: 176
Minha avaliação: 5/5★
Quando uma mensagem é a última, ela pode significar um fim, uma perda, ou até um alívio. E se você fosse o destinatário? A partir de contribuições anônimas, a jovem Emily Trunko reuniu nesta coletânea mensagens que contam histórias reais sobre os mais variados tipos de despedida: o fim de uma amizade, o término de um relacionamento ou até mesmo um acontecimento trágico que muda a vida do destinatário e do remetente para sempre. Enviadas por celular, por e-mail ou pelas redes sociais, essas mensagens narram perdas profundas e inspiram muita reflexão. Será que não deveríamos expressar mais o amor que sentimos pelas pessoas enquanto isso ainda é possível? Ou, em alguns casos, nos afastar o quanto antes daquelas que nos fazem mal?
Eu sou uma pessoa falante. Costumo matraquear por ai o tempo todo, desde que encontre alguém com disposição e paciência para me ouvir. Também sou explosiva, e falo o que vem na cabeça sem pensar duas vezes, recentemente briguei com minha irmã (uma das pessoas mais próximas que tenho na vida), falei o que estava no meu coração, desabafei sem filtros ou freios, fui dura, e tudo isso por mensagem e por telefone, depois conversamos e embora não esteja tudo okay não tem ninguém com ódio de ninguém e nem nada do tipo. Mas depois que li este livro me peguei pensando, e se aquelas mensagens que enviei no calor do momento fossem as últimas palavras que ela recebesse de mim? Não estou querendo instalar pessimismo na mente de ninguém, só quero que este exemplo pessoal transmita o quanto ler este livro mexeu comigo e me mudou. Nunca tinha parado para pensar no peso das minhas palavras, o que chega a ser bizarro já que eu tenho plena consciência de que as palavras podem curar na mesma medida que machucam. O fato é que eu nunca prestei muita atenção nas coisas que falo no calor do momento e muito menos no efeito que elas tem sobre a pessoas que me rodeiam, por favor não me julguem, não sou assim de propósito. É como se esta leitura tivesse me despertado de um longo período de distração, o que é muito bom.

8 de janeiro de 2018

A importância de saber receber um "não"

Hey!
Já começou meu povo. As seleções de parcerias com editoras começaram a abrir e com elas surge a esperança do "agora vai", mas e quando não vai? Como lidar com o primeiro ou mais um dentre tantos nãos? Acredito que aqueles que estão tentando a algum tempo se encontram no estado que já beira o conformismo e entendem que os nãos fazem parte da vida tanto quanto os "sims" (claramente eu), ou já chutaram o pau da barraca e decidiram não se submeter as avaliações semestrais/anuais das editoras. Mas e os novos "tentantes", como estão lidando com as decepções que tal negativa desperta? Eu estou participando de alguns grupos de blogueiros, booktubers, instagramers (...) e tenho acompanhado de perto a tensão que assola alguns participantes deste tipo de seleção. E é pensando nestes meus caros amigos que estou aqui hoje para falar do quanto é importante saber lidar com os "nãos" sem se deixar abater ou perder o foco.

2 de janeiro de 2018

Metas, flops e a certeza de que dá para fazer melhor

Hey!
Com a chegada de um novo ano é meio impossível não repensar nossos sonhos e objetivos. Somos seres em constante evolução e por isso não é nenhuma surpresa quando mudanças ocorrem, e é sobre isto que quero falar no primeiro post do ano. Quero contar um pouquinho das mudanças que vem acontecendo por aqui desde que voltei do hiatus forçado e quero compartilhar algumas novidades que pretendo por em prática neste novo ano. Eu sou apaixonada pelo blog e por tudo que ele tem me proporcionado e por isto estou sempre em busca de melhorar nosso desempenho. E neste ano não poderia ser diferente. Não é de agora que sinto a necessidade de melhorar algumas coisas por aqui, mas a rotina e o trabalho diário costumam minar estes pequenos rompantes de vitalidade, no entanto o inicio de um novo ciclo parece ter sido a força extra que eu estava precisando para enfim tirar alguns projetos da gaveta.