16 de junho de 2017

[Resenha] A distância que nos separa - Kasie West

Oie cariños!
Já conhecem os livros da Kasie West? Se sim, da cá um abraço porque fazemos parte da "mesma tribo", se não, vocês precisam urgentemente dar uma chance e eu recomendo que comecem por este aqui. Quem leu minha resenha de Namorado de Aluguel sabe o quanto eu sou apaixonada pela escrita dessa mulher, mas A distância que nos separa acaba de subir o nível desse amor roxo que sinto pelas narrativas despretensiosas desse achado da literatura Jovem adulto. Sem exageros, porque não curto esse lance, mas eu estou desesperadamente em abstinência, nenhuma história que peguei depois dessa pareceu me envolver ou agradar o suficiente o que me fez amaldiçoar a autora por essas míseras duzentos e quarenta páginas (perdão Kasiezinha). Mas chega de falatório e vamos ao que realmente interessa, senta ai porque preciso falar desse livro.

Título Original: The Distance Between Us
Autor (a): Kasie West @KasieWest
Publicação: Verus (Cortesia)
ISBN: 9788576865896 | Skoob
Gênero: Jovem adulto
Ano: 2017
Páginas: 240
Minha avaliação: 5/5★
Caymen Meyers aprendeu desde cedo a não confiar nos ricos. E, depois de anos observando-os, ela tem certeza de que eles são bons em apenas uma coisa: gastar dinheiro em inutilidades, como as bonecas de porcelana da loja de sua mãe. Assim, quando Xander Spence entra na loja, basta um único olhar para Caymen perceber que ele tem muita grana. Apesar de ele ser um fofo e entendê-la como ninguém, Caymen é esperta e sabe que o interesse de Xander não vai durar. Porque, se tem algo que ela aprendeu com a mãe, é que caras ricos vão inevitavelmente partir o seu coração. Mason, o cantor de rock tatuado — e classe média —, tem muito mais a ver com ela, certo? Então por que ela não consegue tirar Xander da cabeça? Quando a amizade e a lealdade de Xander estão prestes a convencer Caymen de que ser rico não é uma falha de caráter, ela descobre que o dinheiro tem um papel muito maior no relacionamento dos dois do que ela poderia imaginar. Será que Caymen vai arriscar ter o coração partido para encontrar o seu verdadeiro amor?
Antes de tudo quero deixar claro que apesar de todo meu amor pela escrita da West, comecei essa leitura bem receosa, afinal o ponto central da trama é o "preconceito reverso"? Fiquei um pouco incomodada com essa ênfase toda nas posses do garoto, e nas primeiras páginas é bem isso que encontramos. Caymen tem sim um certo preconceito com pessoas ricas, ela acredita que pessoas com condições financeiras elevadas são naturalmente esnobes e fúteis, o mais incômodo disso tudo é que poucas foram as experiências negativas que ela teve de fato com esse grupo específico de privilegiados. Por ser - "pobre", não quero ser negativa então vamos usar de origem humilde (viu? uma forma preconceituosa de se referir a dois opostos) - de origem humilde, Caymen tem muito pouco contato com a nata da sociedade, as raras vezes que ela interagiu com alguém do tipo foi na posição de atendente enquanto ajudava a mãe da loja de bonecas. Fora isso, a raiz das más definições tem origem antiga, e não nasceram por acaso, ao contrário disso foram plantadas lá pela amargura da mãe e cultivadas durante muitos anos.

Caymem é uma garota batalhadora, que desde muito cedo teve que entender e aceitar a vida limitada a qual ela e a mãe estão presas, vivendo em um micro apartamento sobre uma loja de bonecas, com as finanças no limite e o risco de falência batendo a sua porta diariamente, ela sequer ousa traçar planos concretos para seu futuro. Uma das poucas certezas que Caymen tem na vida é a sua completa aversão aos ricos, isso está intimamente ligado a sua história de vida, já que sua mãe foi abandonada gravida pelo namorado rico que nunca se importou em saber da filha que deixou para trás. E é munida da convicção de que ricos e pobres habitam universos distintos demais para se misturarem a longo prazo que ela conhece Xander, o típico riquinho cheio de confiança com ares de o mundo está aos meus pés, que de forma inesperada trouxe brilho e cor a existência desanimada que ela levava. Aos poucos o garoto destrói a convicção construída durante toda uma vida e mostra que dinheiro não define caráter e que o fato dele ser rico (podre de rico, diga-se de passagem), não o impede de ser um amigo leal e dedicado. E é assim que barreiras começam a ruir e pontes rumo a um futuro cheio de possibilidades surgem na vida de dois opostos extremamente semelhantes.

Eu estou completamente apaixonada por esse livro, ouso dizer que dentre os livros do gênero que li ele é um dos poucos que beira a perfeição. Existem elementos narrativos e estruturais que tornam essa obra de leitura ágil e viciante uma das melhores que já li. Exemplo disso são os capítulos super curtos, quando o leitor se dá conta já leu dez ou mais, os diálogos (e olha que tem bastante) são interessantes e divertidos, recheados de sarcasmo e bom humor, a evolução da história ocorre em um ritmo agradável, nada de correrias ou cenas se arrastando pelo infinito, os personagens são bem construídos de forma geral, possuem personalidades e histórias de vida bem definidas e são extremamente cativantes, as reviravoltas por vezes previsíveis ocorrem de forma a espetaculares, mudando os rumos de todo o enredo e enchendo o leitor de adrenalina. Mas como em toda história "quase" perfeita, essa também possui nem que seja um ponto fora da curva a ser considerado.

O livro é curto demais, não apenas porque eu fiquei viciada e quero mais umas mil páginas dessa história (isso também, é claro), mas porque pontos importantes deixaram de ser trabalhados, o principal deles é a relação de Caymen com o pai ausente, - principalmente por que esse foi um assunto recorrente durante toda a narrativa - ela sabe quem ele é e sabe como encontrá-lo, e eu fiquei o tempo todo esperando quando essa decisão seria tomada, sei que a personagem poderia optar por continuar longe do homem que a abandou e respeito isso, mas não foi o que aconteceu, na verdade ficou aquela questão em suspenso de "talvez eu faça isso amanhã ou depois", sem falar em outros pontos que não ouso citar pois considero spoilers importantes. O fato é que assim como em Namorado de Aluguel, neste também ficaram pontas soltas. Sinceramente não sei se a autora pretende trabalhar essas histórias no futuro (procurei informações sobre prováveis sequências, mas não encontrei nada) ou se ela tem prazer em torturar os leitores que assim como eu necessitam de um desfecho onde tudo se encaixa.

A distância que nos separa é uma história apaixonante que gruda igual chiclete no asfalto quente, uma trama leve e divertida, que contém sua dose de drama familiar, mas nada muito pesado. Não nego que seja clichê, mas quem não ama um bom clichê, não é mesmo? Esse é aquele tipo de trama que envolve e encanta, que arranca sorrisos involuntários e inesperados e que trás leveza a vida de quem lê. Ver a evolução dos personagens é um espetáculo a parte, bem como o desenvolvimento do romance que ocorre de forma sutil e te faz suspirar a cada virar de página. Enquanto Xander e Caymen se descobrem o leitor vislumbra uma relação baseada em empatia e reconhecimento sendo construída pouco a pouco e é completamente impossível não torcer por esses dois. Eu sei que nem preciso dizer, mas vou fazer mesmo assim, super recomendo essa história e dessa vez não vou especificar um público, se você se interessou por algo do que eu disse aqui, então leia. 

11 comentários

  1. Olá
    Adorei poder conferir suas impressões a respeito desse livro, que para mim é muito bem desenvolvido, APAIXONANTE mesmo, e eu adorei todas as características apresentadas. Como já deu para perceber, eu também já fiz essa leitura e particularmente adorei a narrativa e os elementos inseridos. Foi uma boa surpresa e recomendo bastante a leitura, é muito envolvente e carismático né?!. Suas impressões refletem bem as minhas próprias e que bom que curtiu a leitura! Impossível não recomendar mesmo ♥
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fê,
      você não sabe o quanto eu fiquei feliz em ler seu comentário, é maravilhoso encontrar leitores que compartilham da nossa opinião. Quanto ao livro, acredito que esse amor despertado em mim e em você será quase que unânime entre os leitores do livro, eu pelo menos ainda não li uma resenha negativa sequer, só torço para que mais livro da autora cheguem ao Brasil o mais breve possível.

      Beijos!
      Obrigada por comentar.

      Excluir
  2. Olá, tudo bom?

    Ainda não li os livros da autora mas quero muito ler, principalmente Namorado de Aluguel, que me lembrou muito Procura-se Um Marido da Carina Rissi que adoro. Sobre esse livro achei a premissa bem legal, fiquei com muita vontade de ler, ainda mais por saber que a história é apaixonante, deve ser daqueles livros que quando você termina de ler até suspira de tão fofa que é a história hahaha.

    Beijos:*

    ResponderExcluir
  3. Olá! Parece que o livro te fisgou, ein?! :)
    Eu não curti muito o termo "preconceito reverso", acho que assim como você já começaria com o pé trás. Já de cara gostei da Caymem, ela parece ser uma ótima personagem e curti também que ela conhecer o Xander desconstruiu essa visão que ela tinha. Eu adoro tramas com diálogos (muitos) e capítulos curtos, juntos então, é difícil errar! Pena que ela deixa essas pontas soltas, que pelo visto vem sendo característico dela. Nunca tinha tido vontade de ler algo da autora, até agora. Já quero. rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Li "Namorado de Aluguel" e assim como você fiquei encantada com a escrita da autora, leve e divertida, foi minha "introdução" aos livros jovens adultos e desde então me apaixonei por livros desse tipo.

    Achei a capa bem legal e sua resenha me deixou com muita vontade de ler esse também, ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre esse e a sua foi uma grata surpresa, preciso, necessito dele! kkk urgente!

    Arrasou na resenha! a autora tem a mania de deixar a gente com gostinho de quero mais mesmo, tenho certeza que com esse não vai ser diferente.

    Beijos
    Jess

    ResponderExcluir
  5. Oie amore,

    Já vi algumas resenhas desse livro e curti e até anotei a dica já.
    Fiquei mais curiosa ainda pelo fato de você mencionar que beira a perfeição... e ver que você gostou e muito do livro...
    Curiosa demais por aqui!

    Beijoka!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu ainda não tive a oportunidade de ler nada da autora, mas eu estou super curiosa principalmente por esse volume, que eu tenho certeza que vou amar. Adoro livros com capítulos curtos, e isso foi uma das coisas que mais me chamou a atenção, já que realmente lemos sem perceber as páginas. Dica super anotada!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oie!
    Essa autora é ótima!
    O livro anterior da autora foi uma leitura viciante, e acredito que vou ficar viciada nessa história também. Impossível não ficar ansiosa para conferir a leitura, pois já todos os livros publicados da autora aqui no Brasil.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Olá! Tudo bem?

    Primeiramente adorei o post, a resenha ficou completa e maravilhosa.
    Nunca li nada da autora, acredita? Sempre tive vontade de ler "Namorado de Aluguel", não sei porque ainda não realizei essa leitura. Vi que você disse que a historia de "A distância que nos separa" é apaixonante, e deve ser mesmo. Adorei a capa.

    Parabéns pelo blog. Beijão! ♥

    ResponderExcluir
  10. Eu adorei Namorado de Aluguel e quando vi o lançamento desse livro fiquei na dúvida se iria ou não querer ler. Na verdade, a falta de aprofundamento em algumas questões e as pontas soltas no outro livro me deixaram com a pulga atrás da orelha e com a sensação de que com esse o mesmo iria acontecer.
    Pela sua resenha, parece que é uma característica da autora, deixar coisas em aberto. Mesmo assim, mesmo me irritando um pouco (ou muito) com isso, outra coisa que me parece o estilo da autora é conseguir entregar histórias fofas e que deixam a gente apaixonada e sem ligar para os pequenos defeitos... Quero ler, mas já vou com a certeza de que nem tudo será respondido...
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir