[Resenha] A transformação de Raven - Sylvain Reynard

segunda-feira, setembro 05, 2016

Oieee! Essa foi uma resenha extremamente difícil de se escrever. Primeiro não sabia por onde começar e quando finalmente o fiz, não conseguia controlar minha euforia em estar falando de uma leitura que gostei tanto e sempre acabava revelando demais, o que me levou a digitar e apagar esse post incontáveis vezes, nada parecia bom o suficiente e quando começava a ficar legal percebia que havia liberado spoilers importantes, então depois de horas tentando fazer uma resenha limpa e coerente, mas que transmitisse todo meu amor e admiração, cheguei a um resultado aceitável, mas bem pouco satisfatório (pelo menos pra mim), então desde já peço desculpas caso tenha deixado a desejar. 


Confesso que já havia me esquecido como é boa a sensação de se jogar em uma história do Sylvain, recentemente li o conto O príncipe das sombras que funciona como uma obra introdutória para essa nova série, mas que não foi capaz de me preparar para o que estava por vir. Quem leu minha resenha do livro anterior sabe bem o quanto fiquei frustrada com esse universo sobrenatural que baseia a série, e mesmo agora não posso dizer que houve alguma evolução nesse sentido. Mas em contrapartida comecei a enxergar o príncipe de Florença com outros olhos, o ser sombrio que exala ódio e poder, também possui outras faces que começam a se revelar.

Mas antes vamos falar da Raven. Não existe outra palavra para descrever a Raven que não seja “surpresa”, me surpreendi imensamente com essa personagem. Primeiro, com sua aparência física, que vai contra todos os padrões exaustivos que estamos acostumados a ler e segundo por sua bondade e anseio por proteger os outros, mesmo que ela mal consiga garantir sua própria proteção. Raven possui uma deficiência bem perceptível em sua perna direita, além de estar acima do peso. Devido sua condição física Raven está acostumada a mal ser notada pelo sexo masculino e quando isso ocorre ela se vê relegada a friendzone. Mas ela não é o tipo de mulher que se lamenta e chora pelos cantos pelas intempéries da vida, muito pelo contrário, ela está ciente da sua condição e a aceita com resignação, mesmo que no fundo sinta uma certa melancolia e solidão.

Após sofrer um ataque covarde que a deixou a beira da morte e acordar quase uma semana depois completamente transformada e sem se lembrar do que aconteceu nesse tempo, Raven se vê perseguida por criaturas sombrias e encurralada pela polícia que desconfia de que ela esteja envolvida no roubo da galeria onde trabalha, não demora muito para que ela perceba que se tornar uma mulher deslumbrante de uma hora para outra é o menor de seus problemas. Raven então, não encontra outra opção senão aceitar a ajuda e a proteção do estranho que invadiu sua vida.  E é a partir dai que tudo começa a ganhar forma. Somos apresentados a personalidade forte e presenteados com um Willian (príncipe de Florença) se debatendo em um conflito deveras perigoso para o seu principado. Ao decidir salvar a jovem restauradora, ao invés de deixá-la morrer ele pôs em risco sua imagem imponente de ser sombrio desprovido de sentimentos. Enquanto tenta manter Raven afastada do submundo florentino, Willian inconscientemente a deixa entrar em sua vida. Aos poucos a teimosia de Raven vai vencendo a escuridão que domina os dias do príncipe, tal aproximação deixa ambos vulneráveis aos mais diversos riscos.

Dois seres completamente diferentes em todos os sentidos possíveis, que encontram um no outro, a possibilidade de viver um amor épico. Gente, vocês não tem noção do quanto a mensagem passada por esse livro é intensa. Raven está acostumada com suas imperfeições e aos olhares de pena e repúdio que todos ao seu redor lhe dirigem, mas como lidar com William, um ser sobrenatural aparentemente perfeito (lindo de morrer), além de extremamente poderoso, olhando em sua direção? Ou melhor, como lidar com alguém assim, lhe respeitando, elogiando e admirando? Pode parecer algo simples, afinal, todos merecem ser amados e respeitados pelo que são, mas sejamos realistas, no mundo em que vivemos isso está ficando a cada dia mais difícil, não sou hipócrita e por isso admito que sim, é bem mais fácil desenvolver empatia quando o indivíduo trata-se de um semelhante e é claro que a cada dia que passa os padrões de beleza vem se afunilando e quem não se encaixa, acaba sendo discriminado e muitas vezes isolado do meio social, muitas vezes não de forma direta, mas quase sempre o preconceito está lá, os olhares condescendentes, as críticas não verbalizadas... Enfim, esse negócio de "ser diferente é normal", não funciona muito bem na prática. No mundo real, ser diferente, é estranho e quase sempre inaceitável.

Por isso, não consegui evitar o estado de encantamento que me dominou quando eu finalmente enxerguei a Raven através dos olhos de Willian, ele que vive a séculos, tem preservados em si os costumes do século XIII, quando ainda era humano. Um apreciador das artes renascentistas que despreza futilidades, e preza a bondade e a benevolência. E assim como Raven valoriza a atenção de alguém tão "perfeito" como Willian, ele reverencia a atenção de alguém tão puro e bondoso como Raven. Ele não se importa com o fato dela ser deficiente, não tem pena de sua condição, muito pelo contrário, ele a respeita e a admira, por ser quem ela é, por sua dedicação e cuidado com o próximo, por sua inteligência e sagacidade. Ele não a vê como alguém fora dos padrões, mas sim, como uma mulher linda e completa, que com sua força de espírito é capaz de se sacrificar em prol daqueles que ama. E através dessa perspectiva além de ver Raven além da fachada, eu pude enxergar o William por trás do príncipe das sombras, o homem escondido atrás do monstro.

Mais uma vez eu me vi arrebatada pela escrita do Sylvain, que além de direcionar minha atenção para a era renascentista, me fez questionar meus princípios sociais. Em Inferno de Gabriel, o autor nos instiga a querer saber mais sobre a divina comédia e em Noites em Florença somos direcionados para a Primavera de Boticelli, que passei a admirar imensamente. Sério pessoal, sempre fui uma completa ignorante quando o assunto é arte renascentista (ou qualquer outro tipo de arte), isso é vergonhoso, eu sei. Mas felizmente, o autor conseguiu me contagiar com sua paixão e hoje consigo ver tais obras com um olhar mais brando e interessado. E só por isso, já amo loucamente esse homem e suas obras. Apesar disso, compreendo que em sua grande maioria as teorias e explicações são ficcionais, mas o que importa mesmo é que o desejo de estudar a respeito está crescendo dentro de mim.

A transformação de Raven, nos apresenta uma trama extremamente atraente, recheada de suspense, ação e muito, mas muito romance. Possui um teor sobrenatural que apesar de bem demarcado, é facilmente ofuscado pelos dilemas dos protagonistas, sejam eles amorosos ou de personalidade. Considero esse um fato positivo, já que não me identifiquei muito com o lado sangrento da história. Além disso, temos um vislumbre (embora breve), da atual situação do casal Emerson, que apesar de abalados com o roubo das ilustrações, vão muito bem. O desfecho ocorreu de forma lacradora, já imaginava que algo do tipo iria ocorrer e já faço uma leve ideia do que está por vir no próximo volume que aparentemente será lançado aqui no Brasil mês que vem (oremos), apesar das minhas desconfianças, mal consigo controlar a ansiedade e não vejo a hora de poder ler a sequência dessa história apaixonante que já me ganhou por completo.

Noites em Florença #01
Publicação: Arqueiro
ISBN: 9788580413861 | Skoob
Gênero: Ficção
Ano: 2015
Páginas: 448
Minha avaliação: ★★★★★

Confira Também

12 comentários

  1. Parece ser muito bom e a capa chama bastante atenção rsrs

    Beijinhos,
    Blog Resenhas da Pam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina...
      É maravilhosos, e pra completar não consigo tirar as cenas da cabeça, volta e meia me pego pensando nos diálogos e nas reviravoltas que aconteceram. Eu realmente amei esse livro.

      Excluir
  2. Já digo de cara que amei a sua resenha e menina eu quando terminei esse livro eu pensei "meu Deus, cadê a continuação?!" e ainda estou esperando por ela. Eu confesso que quando li o príncipe das sombras não fui muito com a cara do William, mas quando li Raven aí sim as coisas mudaram. E quanto a Raven eu adorei o fato de a personagem fugir dos padrões que normalmente vemos nos livros.
    E mais uma vez parabéns pela resenha! bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own... Obrigada Leila.
      Eu também fiquei louca pela continuação, mas fico feliz de ter lido agora, pelo menos a sequência está prestes a sair. Eu também não gostei do Willian em o príncipe das sombras e quase desisti da série por isso, mas resolvi ouvir seus conselhos e insisti na leitura e só me arrependo de não ter lido antes. Já o fato da Raven fugir dos padrões me deixou com um pé atrás no início, mas com o desenrolar da trama senti minha visão sendo mudada através das palavras e convicções de Willian. E isso é uma das coisas que mais amei no livro.

      Excluir
    2. De nada :) e agora é só esperar mais um pouquinho e nos esbaldar com A Sombra do Passado.

      Excluir
  3. Interessantíssimo! Eu adoro livros com uma atmosfera assim, e com referência a grandes obras. Aqui, pelo que vc destacou temos Dante e Botticelli. OMG! Sensacional! Eu cursei faculdade de Artes Visuais e a minha quedinha sempre foi pela arte Renascentista, então tudo que faz referência a ela eu adoro. Eu já disse que tuas resenhas só aumentam minha meta de leituras, né? Mulher, socorro! Mas apesar de ter gostado muito dessa, não vou add esse livro AINDA. Já adicionei Herdeira da Morte e tô fugindo de séries por enquanto. Mas vai ficar na minha lembrança!

    Bjão, Del :*

    Jessica Ferreira
    www.literalivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jéssica,
      Nossa que tudo esse curso que você fez, eu estou muito mas muito interessada mesmo nesse universo renascentista, e devo isso exclusivamente as descrições apaixonadas do autor, como você já curte a temática acredito que irá gostar bastante dos livros dele. A cada livro que leio me apaixono mais e mais. HAHAHA A herdeira da morte é magnífico, você não vai se arrepender, eu também estou tentando fugir das séries, mas não tenho tata determinação e não é preciso muito para que eu abandone minha frágil convicção e me jogue em uma nova série kkkkk

      Excluir
  4. Oi Delamara,
    Você demorou pra resolver como escrever essa resenha e eu demorei pra escrever o comentário, porque eu tô pensando até agora o porque desse livro não estar na minha lista de livros que quero ler rsrs. Eu gostei muito da sinopse, da capa e da resenha, que não entregou nada da história e me deixou com gostinho de "quero ler", como já vão lançar a continuação (dedos cruzados), já inclui nos livros que quero ler e assim que tiver a oportunidade o farei. ;)

    ResponderExcluir
  5. Primeiramente eu amei a resenha, e te entendo nessa parte, também acho difícil falar sobre livros que adoro, sendo que a todo momento queremos expressar bem esse amor. Amei a personalidade de Raven e o enredo, que envolve um universo sombrio que eu com certeza irei adorar me aventurar nele. Alem achei interessante a mensagem que o livro passa e fico imaginando a reação da personagem com tantos elogios, o que não era acostumada. Também não presto muita atenção na arte renascentista, acho que o livro despertaria esse gosto.

    ResponderExcluir
  6. Oi Delmara!
    Sua resenha está linda, muito bem elaborada e transmite o quanto você gostou da leitura. Já havia lido a respeito da série, mas não me chamava a atenção. Agora, após ler sua bela resenha, fiquei mais motivada a fazer a leitura desses livros e me envolver nesse enredo, cheio de mistérios e personagens cativantes. Um ótima dica, com certeza. Já adicionado a minha lista. Obrigada. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Hmmm, confesso que terminei de ler a resenha intrigada, se eu leria ou não.
    Pois passei um tempo com medo de ler tramas vampirescas, depois que essas caíram na moda
    e tava surgindo vampiro de tudo quanto era jeito. Mas a sua resenha e ganhou e me fez ficar curiosa, por isso acabei super tentada a me entregar a essa obra, no final das contas acho que leria sim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Amei a resenha, eu tenho o livro e está guardado. Lutei muito de começar ou não a ler mas, eu queria pelo menos o segundo livro, a editora demorou um pouco pra lançar mas, já está na pré-venda yupiii kkkkkkkk só esperar ele chegar e começar a série. Só uma coisa amoo vampiros.

    ResponderExcluir