8 de agosto de 2016

[Resenha] Para sempre minha - Abbi Glines

Oieee!
E mais uma vez, estou aqui para falar de um livro da interminável série Rosemary Beach. Quem me acompanha sabe muito bem o quanto sou refém dos livros da Abbi, e mesmo lendo mais do mesmo, lançamento após lançamento, ainda não consegui me libertar desse povo. Fazer o que, né? Cada um faz o que pode com o que tem. E o que temos pra hoje é mais um new adult clichê. Ah! Antes que eu me esqueça, sou completamente cuidadosa com a liberação de spoilers, porque sei que tem muitos leitores que se incomodam bastante com isso, e até aqui acredito que minhas resenhas não trouxeram nenhum (ou quase nenhum), mas nessa aqui não deu pra evitar, ta pessoal? Por favor, não me odeiem, afinal são nove livros interligados direta e indiretamente e a essa altura do campeonato não tem como falar dos demais personagens sem liberar spoilers dos outros livros, pois os secundários desse, são protagonistas dos outros, mesmo assim tomei muito cuidado e falei muito pouco, mas se não quiser arriscar, basta pular o penúltimo parágrafo.

Título Original: You Were Mine
Série: Rosemary Beach #09
Autor (a): Abbi Glines @AbbiGlines
Publicação: Arqueiro (Acervo pessoal)
ISBN: 9788580415773 | Skoob
Gênero: Romance +18
Ano: 2016
Páginas: 256
Minha avaliação: 2/5★
Alguns dos jovens de Rosemary Beach consideram Tripp Newark um herói. Há oito anos, ele abandonou uma vida meticulosamente planejada pelos pais para conquistar a independência. Pilotando sua Harley, Tripp desapareceu da cidade para viajar pelo mundo. E essa decisão o fez perder muito mais do que os milhões que herdaria. Bethy Lowry está vivendo o pior momento de sua vida. Há um ano e meio, Jace, seu namorado, morreu afogado ao salvá-la de uma forte correnteza. Sofrendo um período turbulento e ainda consumida pela culpa, ela vive sua rotina de maneira automática, com a certeza de que nunca mais voltará a amar. No entanto, sua vida está prestes a mudar. Quando tinha apenas 16 anos, Bethy teve um tórrido romance com Tripp, que é primo de Jace. Esse segredo continuaria enterrado para sempre se não fosse por um detalhe: Tripp Newark está de volta e determinado a reconquistá-la.
Tripp Newark sempre soube o que não queria ser, cansado da vida fútil que levava e decidido a não se render as imposições do pai que queria obrigá-lo a assumir os negócios da família ele traçou um plano, aquele seria seu último verão em Rosemary Beach, uma espécie de despedida da vida que não desejava, e quando o verão chegasse ao fim ele viajaria o mundo sem olhar pra trás. Mas o destino decidiu intervir, e o que já era uma decisão acertada acabou provocando reviravoltas inesperadas. Após cinco anos de andanças sem destino, Tripp está de volta a Rosemary, assim como sua partida, seu retorno tem objetivo certo, ele precisa concertar algo que está quebrado em sua vida, e sua felicidade depende do sucesso dessa nova missão, que ele pretende desempenhar com afinco, leve o tempo que for. Maduro o suficiente para não desejar fugir das dificuldades que se apresentarão Tripp irá reviver dores que marcaram não apenas a sua alma, mas também a da jovem Bethy Lowry, que após ser destroçada por uma perda irreparável será obrigada a encarar de frente os sentimentos controversos do seu passado, que apesar de presos em um coração machucado permanecem vivos e desejosos de liberdade.

Confesso que estava a espera desse livro desde que percebi que havia uma certa tensão entre Tripp e Bethy, se não me engano a uns três ou quatro livro atrás. Conforme novas histórias iam sendo lançadas a ligação dos dois ganhava mais evidência e minha curiosidade aumentava, mesmo já fazendo alguma ideia do que havia rolado (afinal as histórias da Abbi são extremamente previsíveis), queria tomar conhecimento de todos os detalhes e quem sabe me surpreender (o lance da surpresa não rolou). Mas agora que sei todos os detalhes, preciso confessar que estou bem decepcionada com todo o barulho que foi feito em torno de um drama tão básico.

Mais uma vez faltou diálogo entre os protagonistas. Não consigo parar de achar absurdas as relações dos casais de Rosemary Beach. Gente, eles fazem de tudo (na intimidade), mas não tem coragem de sentar e ter uma conversa franca com o "parceiro"? (só lembram de falar o que importa no final de cada livro). Como assim, Tripp conhece a garota, se apaixona, planeja a vida de ambos juntos e vai embora sem dizer nada sobre as decisões que ele tomou e que envolve o futuro dos dois? Será que era pra garota ter uma bola de cristal ou o poder da vidência? Porque só assim pra ela não se imaginar abandonada. Ah! Mas tem aquela velha desculpa clichê, que ambos eram muitos jovens e não pensaram direito em suas decisões (desculpa miga, mas não colou). Soma-se a isso os dramas em excesso, que são superados magicamente por uma paixão irresistível. Más decisões que foram tomadas por ambas as partes e reverberaram de forma negativa na vida de terceiros me deixou ainda mais chateada com esse casal, o fato de Bethy agir durante quase todo o livro como uma criança mimada que bate o pé, grita e faz pirraça também me incomodou bastante, até quando ela mudou a postura (o que ocorreu de forma abrupta demais, a meu ver), não me fez menos insatisfeita com a história.

Tá, então o que eu gostei nesse livro afinal? O de sempre, é resposta?  Vai ter que ser! Porque foi exatamente isso o que eu gostei no livro, a escrita e o ritmo, mesmo não tendo me identificado com os personagens ou me comovido com seus dramas, consegui ler o livro super rápido, o que não é grande coisa, já que ele não possui muitas páginas, mas a narrativa fluída da autora também contribuiu bastante. Além disso, gostei da atitude de Tripp (não a parte que ele rasteja como um verme nos pés da Bethy), o fato dele voltar a Rosemary para corrigir seus maus passos do passado e mesmo tendo dado de cara com uma muralha quase intransponível de dor, raiva e mágoa, e  não ter desistido me deixou levemente orgulhosa, sua determinação e dedicação quase me comoveram e tornaram a trama mais aceitável.

Quanto aos personagens dos outros livros, estão todos lá, Rush, Blare e Nate (já fala e tem dois aninhos, coisa mais fofa da tia :D) formando a família de comercial de margarina, Grant (superou o Rush ao babar a cria), Harllow e Lila Kate são todos Alice (vivem constantemente no mundo das maravilhas), Woods e Della continuam no processo de construção da família perfeita e pela primeira vez não temos sequer um vislumbre da Nan, a ruiva maligna não foi nem citada e confesso que não senti a menor falta, só lembrei dela no instante em que estava digitando esse paragrafo. A participação de todos eles dessa vez teve caráter meramente figurativo, já que Tripp e Bethy resolveram lidar sozinhos com seus fantasmas do passado. Conforme os segredos foram se revelando pouca coisa mudou, já que não havia muito o que ser feito antes que ambos se curassem de suas mágoas e culpas.

Para sempre minha, esclarece muita coisa relacionada a partida de Tripp e trás o porque de Bethy ter se tornado uma mulher tão quebrada, mas também trás a possibilidade de um futuro melhor para ambos, que mesmo tendo compartilhado um passado inicialmente lindo, que se tornou doloroso, e estarem vivendo um presente amargo, ainda não desistiram do felizes para sempre, e alguém duvida que todos nessa cidade praiana encontrará o seu em algum momento? Tenho certeza que o sol irá brilhar para todos em Rosemary Beach e agora que cheguei até aqui pretendo ir até o final, mas será que ainda demora muito gente? Estamos no nono livro e sei de pelo menos mais cinco que estão vindo por ai, só eu que estou achando exagerado? Enfim, recomendo o livro para todos os fãs da série, para os que curtem clichês sensuais (dentre os nove esse é o mais leve nesse quesito), que não se incomodam com drama em excesso e que tem curiosidade de conhecer a série. Aconselho que leiam os livros na ordem de publicação pois facilita a compreensão das histórias paralelas que estão presentes em todos os livros.

14 comentários

  1. Quando lançou o primeiro livro desta série eu fiquei curiosa para ler, porém confesso que com o tempo fui perdendo a vontade.

    ResponderExcluir
  2. Nunca li nada da autora, porém só tenho lido elogios quanto a série> Não sou muito de ler séries, pois sei que depois vou querer ler todos, ai ja viu a falência da pessoa, vou ver se alguém tem pra emprestar

    ResponderExcluir
  3. Oi, Delmara! Essa série de livros é tão bem comentada, né? Infelizmente, o que sempre me afastou deles foram as capas :/ não que isso seja crucial para mim na escolha de um livro, mas quando eu os via na livraria... méh... passava longe rs. Depois, com tanta gente elogiando, me interessei, mas nunca chegue a lê-los pq sempre deixava para depois :/ Tenho o primeiro aqui em e-book e quero ler em breve. É uma pena que você não tenha gostado desse volume - pelo que vi em outras resenhas, vc não é a única rs.

    Bjs,
    Jess | Blog A Rosa do Príncipe
    www.arosadoprincipe.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá.
    Muito boa sua resenha, bem elaborada e sincera. Não conhecia essa série e lendo a premissa desse livro, não me chama a atenção. Com certeza será sucesso entre os fãs da série e dos personagens. Mas não é uma leitura que me atraia. Deixo passar a dica. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Nunca tinha ouvido falar do livro nem da autora, e confesso que não fiquei entusiasmado pelo livro!
    Resenha muito bem escrita!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Sou novo no blog, mas já vi que você ama livros new adult, né? hahaha Adorei saber que o livro flui bem e não é cansativo, o que é bastante ruim para uma leitura. Porém, vi que os personagens também não me agradariam, porque eles aparentam ser bem tolos. Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  7. Estava esperando essa resenha! Admito que é uma vergonha não ter lido nenhum livro dela ainda, mas é que é tanto livro bom que falta tempo para ler! Sempre vejo elogio dos livros da Abbi e com certeza eles estão na minha lista para ler este ano...Adorei esse fato de poder acompanhar os outros casais neste livro.
    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Delmara.
    Eu não tenho interesse em ler essa série. Não sou muito fã dos livros do gênero e acho essa série bem parecida com muitas do gênero. Não vejo nada de novo que me tente a ler os livros. Uma das coisas que você citou é o que me faz não ser fã do gênero. não gosto disso de os protagonistas serem os super atletas do sexo e não terem uma conversa decente.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Bom, eu quero muito iniciar esta série, até tenho um dos livros em casa, mas tenho tantos outros pra ler!
    Mas no ano que vem vou iniciar, sem falta! Mesmo sendo uma série grande, gosto quando as histórias se interligam assim.
    Acho que esse livro não te agradou tanto quanto os outros né? Mas se você pretende continuar, deve valer a leitura!

    ResponderExcluir
  10. Eu não tenho interesse nessa série, mas teria comprado o livro pela capa, o que seria um erro ;-) .
    Não me agrada nenhum pouquinho a premissa do livro :-\ .

    ResponderExcluir
  11. Eu já li e gostei e recomendo muito a série, mas eu achei que faltou alguma coisa, não sei, talvez um epílogo, não foi um dos melhores da série, mas também não foi ruim.

    Bjuss

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Ainda não li nenhum livro da serie série Rosemary Beach mas vejo as pessoas falarem bastante sobre essa serie, mas infelizmente esse livro não me interessou principalmente por temos uma historia previsível e parece que ela acaba não Alcançando as expectativas do leitor e esse não foi um casal que me conquistou !!

    ResponderExcluir
  13. Acompanho alguns blogs de leitores dessa série e que série grande! Deve ser mesmo difícil não falar spoilers sobre a trama anterior. Percebi pela resenha que certamente não é um livro muito indicado para mim, prefiro obras com diálogos e que tenham um grande contato entre o casal, gosto de romances que vão alem de dramas adolescentes e a falta de atitude. Enfim, talvez comece a ler a série, espero sentir essa atração dos dois logo no inicio.

    ResponderExcluir
  14. Nunca li nenhum livro da série ou da autora, mas já ouvi falar alguma vezes, tanto positiva quanto negativamente ... Admito que não tenho interesse. 😟

    ResponderExcluir