Resenha #207 Talvez um dia - Talvez Um Dia

quinta-feira, julho 14, 2016

Oieee!

Sabe quando você está nadando contra a maré, mas nenhum esforço é suficiente pra te levar onde você quer ir? Então, esta sou eu tentando não ler esse livro. Genteee, daqui a pouquinho o ano acaba e eu quase não li nenhum livro da minha minha meta anual, são tantos lançamentos... E esse eu quis ler de imediato, se não bastasse ser uma obra da diva Colleen Hoover, ainda tive que lidar com o bombardeio de críticas positivas e os milhares de elogios, por isso e somente por isso eu sucumbi. Não aguentei mais e li mesmo, agora estou aqui para contar pra vocês o resultado disso. Vamos lá!


Titulo: Talvez Um Dia (Maybe #1)
Autor(a): Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Ano: 2016
N° de páginas: 368
Sydney acabou de completar 22 anos e já fez algo inédito em sua vida: socou a cara da ex- melhor amiga. Até hoje, ela não podia reclamar da vida. Um namorado atencioso, uma melhor amiga com quem dividia o apartamento... Tudo bem, até Sydney descobrir que as duas pessoas em quem mais confiava se pegavam quando ela não estava por perto. Até que foi um soco merecido. Sydney encontra abrigo na casa de Ridge. Um músico cujo talento ela vinha admirando há um tempo. Juntos, os dois descobrem um entrosamento fora do comum para compor e uma atração que só cresce com o tempo. O problema é que Ridge tem uma namorada, e a última coisa que Sydney precisa agora é se transformar numa traidora.

Desde o meu primeiro contato com a escrita da Colleen Hoover soube que leria tudo que essa mulher publicasse, dois anos depois ainda estou bem longe de cumprir com esse desejo, mas estou na luta, quando soube do lançamento de Talvez um dia, admito que me juntei aos fãs da escritora e fui a loucura, estava desesperada para descobrir o que ela havia nos reservado dessa vez. E quando finalmente li o livro me vi dividida, entre o que a autora quis passar e o que eu realmente achei da história, no final das contas decidi ficar com o que eu senti, e é isso que irei contar pra vocês agora.

Após descobrir que seu namorado tem um caso com sua melhor amiga, Sydney abandona o apartamento que divide com a traidora e se muda para o apartamento de Ridge, o cara misterioso que ela conhece a duas semanas e com o qual trocou apenas algumas mensagens de texto. Tendo a paixão pela música como fator comum, Sydney ajuda o rapaz a passar por um bloqueio criativo e juntos trabalham na composição do novo repertório para a banda que Ridge tem com o irmão caçula. Mas conforme se aproximam, uma atração crescente surge entre eles, o que não seria um problema de fato se Ridge não fosse um cara comprometido, mas ele é. Ao tomar conhecimento de que está se apaixonando pelo namorado de outra, Sydney inicia uma enorme batalha contra esse sentimento que poderia levá-la a cometer a mesma traição da qual foi vítima tão recentemente.

O conflito entre Sydney e Ridge é quase palpável, durante toda a trama vemos ambos lutando contra um sentimento arrebatador que se desenvolve facilmente. A lealdade de Ridge a Maggie, sua namorada a cinco anos é admirável. Apesar disso, tenho que deixar registrado que embora a Colleen tenha batido mais de uma vez na tecla de que a paixão que emergia entre Sidney e Ridge era algo inesperado e irrefreável, ficou claro que ambos deram muita corda para o que estava acontecendo. Senti que a atração inicial, foi algo que nenhuma das partes conseguiu prever, mas a transformação dessa faísca em sentimento foi algo que ocorreu lenta e gradativamente e devidamente alimentada pelos dois. Por mais que eles repetissem inúmeras vezes que estavam lutando para se manterem afastados (já que Ridge não pretendia trocar e nem trair Maggie com Sydney) e que desejavam inibir o sentimento que crescia em larga escala, era claro que não havia qualquer empenho de nenhuma das partes para que isso de fato não ocorresse. Gente, não tem ninguém no mundo que vai me convencer que, um ter acesso livre ao quarto do outro (e ficarem por horas trancados lá dentro), mesmo que para "comporem", bem como toques e encaradas entre outras tantas coisas, caracteriza de alguma forma a tentativa de se manter emocionalmente afastado. Eu penso que quando percebe-se a existência de uma atração tão crescente e não se deseja qualquer envolvimento, deve-se impor certos limites.

No decorrer de toda a história temos um Ridge visivelmente dividido entre dois amores, ele sabia que havia encontrado em Maggie a companheira ideal, aquela com quem imaginou viver por toda a sua vida, mas isso não lhe impediu de ver em Sydney alguém que poderia amar igualmente. O fato de Maggie ser uma garota tão divertida e em nenhum momento desconfiar do que estava ocorrendo bem debaixo do seu nariz (confiança demais meus caros, ou talvez ela só não quisesse enxergar o óbvio), só tornou a situação ainda mais incômoda para todos os envolvidos, inclusive essa leitora que vos fala. Confesso que torci para que não surgisse um casal desse triangulo, primeiro porque Maggie era boa demais e não merecia a cachorrada (me desculpem pela expressão) que os dois estavam fazendo com ela. E segundo porque não acho justo e muito menos convincente depois de tudo que li Sydney e Ridge simplesmente ficarem juntos.

Apesar de toda essa minha opinião contrária, tenho que admitir que meio que gostei de acompanhar a aproximação entre Sydney e Ridge (Tá! É muito contraditório, eu sei.), enquanto compunham eles exteriorizavam seus sentimentos de forma tão verdadeira, que era impossível não se comover de alguma forma com o dilema que viviam, além disso a sinceridade com a qual um compartilhava suas dores, medos e anseios, com o outro, é extremamente rara e foi devidamente apreciada. Não me levem a mal, entendo que todos tem o direito de se apaixonar quantas vezes desejarem e for possível, mas não consigo aceitar como tudo se desenrolou, e menos ainda como a autora resolveu concluir a trama, tudo aconteceu tão rápido e tão fácil que até agora não consigo acreditar. Foram tantas páginas de um drama gigantesco, de "eu amo as duas e não sei qual escolher", "não consigo desistir de nenhuma", mas com apenas um conversa (dolorosa, admito) de algumas horas (se tanto) e pronto, tudo estava no lugar, as dúvidas desapareceram e todo mundo estava pronto para o felizes para sempre.

Talvez um dia, me encantou e enraivou ao extremo, amei e odiei os mesmos personagens mais de uma vez e no final das contas mesmo não estando satisfeita com os caminhos escolhidos, consegui aceitar o desfecho. Não foi a leitura mais incrível da minha vida, mas foi uma leitura que me agradou justamente pelos sentimentos dúbios e intensos que despertou em mim. A escrita está impecável e a narrativa extremamente fluída como é comum nas obras da autora, além disso me apresentou a um personagem secundário que já amo mais que chocolate, Warren é o melhor amigo de Ridge e divide o apartamento com ele, Sydney e Bridgette, com esta última ele mantém uma relação conturbada que ganhou um conto de nome Talvez não (em tradução livre), ao qual já quero muitíssimo ler. Por fim, recomendo o livro para o fãs da autora e para os que não se importam com todos os pontos que listei a cima e que de fato me incomodaram.

|| Skoob || Compare e compre: Submarino • SaraivaAmazon || Gênero: Romance, jovem adulto ||

Confira Também

17 comentários

  1. Eu sou apaixonada pela capa deste livro!!Ganhei ele mas ainda não tive a oportunidade de ler e assim como você,sempre ouço e vejo muitos comentários positivos porém,eu estou seguindo uma lista de livros que eu escrevi no início do ano.E agora que eu li a sua resenha fiquei mais curiosa ainda para ler kkk mas tenho certeza de que ainda o lerei esse ano.Ótima resenha,bjss!

    ResponderExcluir
  2. Desde o primeiro livro que li da autora, eu também decidi que leria tudo da autora, e até agora já li quase todos que foram lançados aqui. Comecei a ler esse livro ontem, mas ainda estou bem no começo dele. Estou gostando bastante da história e dos personagens, mas também acho que eles não se esforçam muito para se manterem afastados. E também acho a Maggie muito legal (até onde eu li pelo menos), e não acho que ela merece sofrer. Estou curiosa para saber como o livro vai acabar, mas é uma pena que você não ficou totalmente satisfeita =/
    Já estou doida pra ler esse conto com o Warren <3
    Amei a resenha =)

    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  3. Delmara, eu adorei a resenha, me fez ter certeza que não estou cometendo um erro ao não ler esse livro. Triângulo amorosos é o que menos gosto em livros.
    Bjs!
    Andreza Felix

    ResponderExcluir
  4. Oi Delmara! Só li um livro dessa autora, Métrica, e achei os personagens bem intensos. Acabei não gostando tanto de Métrica, e pela sua resenha, acho que não iria gostar muito de Talvez um dia. Apesar disso, parece um livro interessante pra refletir sobre traição, mesmo sendo uma história conflitante pra quem lê. Espero dar uma chance a outros livros da Colleen Hoover, sempre vejo muitos comentários positivos. Gostei muito da sua resenha! :*

    ResponderExcluir
  5. Realmente, os dias de hoje está marcado pelo "eu", ou seja, somos individualistas, ambiciosos,e por isso, que não pensamos que o jogo pode virar, e foi o que aconteceu com esse livro, sei que ela precisava de um abrigo porém, saber que já foi vítima de uma traição de seu namorado com sua melhor amiga e estar em um precipício para passar pela mesma história porém agora como agente causador, é desconfortável!

    ResponderExcluir
  6. Oi! Olha, eu acho que lendo esse livro, eu teria essa mesma sensação contraditória. E também - assim como vc - pensasse "que cachorrada!" rsrs. Não sou fã de 1 pessoa e 2 amores, e infelizmente fiquei sabendo por uma amiga tudo que acontece nessa história. Nunca li nada da Colleen, mas pretendo ler Métrica, dizem que é o mais fofinho dela.

    Beijos e eu amei o blog <3

    Jess, do blog A Rosa do Príncipe
    www.arosadoprincipe.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito da resenha, com certeza esse livro vai entrar pra minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  8. Delmara li Um caso Perdido da autora e amei!! Foquei super empolgada para ler Sem Esperança e me decepcionei, não consegui concluir a leitura... Já tinha ouvido falar bastante sobre esse livro mas não me interessei muito. Não curto muito livros que falam sobre traição. Saber que a mocinha passou por isso e está prestes a cometer o mesmo erro me desanima ainda mais de ler... Até fiquei curiosa em saber como termina a história, mas não o bastante para arriscar a leitura. Bjs!!

    ResponderExcluir
  9. Desde a primeira vez que vi esse livro,me apaixonei... Aí li essa resenha e me apaixonei mais ainda. Estou,ansiosamente, esperando o próximo mês para poder comprar ele.

    ResponderExcluir
  10. A capa deste livro é perfeita!! Ainda não tive a oportunidade de ler ele, mas depois de
    ler sua resenha fiquei ainda mais curiosa. Triângulos amorosos rendem boas histórias!
    Bjinhos. Amei o blog <3

    ResponderExcluir
  11. OI flor, tudo bem???
    Eu adorei a sua resenha e assim como você... sou louca pela escrita de Colleen, embora esteja meio fraca de dinheiro e não podendo comprar todos os lançamentos, sei que vou conseguindo aos poucos... eu curti demais a premissa do livro e principalmente seu ponto de vista sobre a história... entendo o que quis dizer sobre os sentimentos dos personagens e acredito que sim deve haver um limite... mas te conto que mesmo com toda a confiança do mundo em meu namorado, juro que ficaria de orelha em pé... quando ele se trancasse com outra mulher (ainda que seja profissionalmente) para compor.... isso me surgiria já uma desconfiança e manteria meus olhos bem abertos... acho que nunca confiei 100% em alguém... por isso sou extremamente desconfiada haha... mas sendo a escrita de Colleen tá valendo... quero entender o porque de tudo que disse aqui... sei que vou curtir a leitura de qualquer forma... Xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Estou doida pra ler esse livro! Sou apaixonada pelos livros da Colleen Hoover, também estou bem longe de ler todos os livros dela, mas já estão na minha listinha haha
    A história parece ser bem interessante. Só não sou muito fã de triangulo amoroso, ainda mais se eu gosto das três pessoas, e pelo jeito eu vou gostar da Maggie também. Mas mesmo assim quero ler o livro, e espero gostar do final :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Eu gostei bastante da resenha do livro , com certeza eu quero ler ele
    😍

    ResponderExcluir
  14. Livro lindo, amo a relação de Sidney e Ridge, as músicas então, tenho elas como toque do meu celular!

    ResponderExcluir
  15. Amo todos os livros da Colleen Hoover principalmente a trilogia Métrica que são os meus amores <3 , ainda não li esse livro, mas já está na minha lista de leitura desse ano.

    bjuss

    ResponderExcluir
  16. A temática traição en livros é muito dúbia, há os que amam e aqueles que, assim como eu, odeiam!!! Não gosto de livros que enveredam por esse tema mas, já ouvi por pessoas que leram o livro, que as passagens musicais trazidas na obra já valem muito à pena se arriscar na leitura. Apenas por isso me interessei pela leitura. Infelizmente, apesar de gostar da autora, não estou ansiosa em ler esse livro porque acho a traição algo repulsivo!!! "Talvez um dia" o leia... rs!!!

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem?

    Hum, percebi agora, lendo essa resenha, que ainda não li nenhum livro dessa autora! Isso é ridículo!

    E, sendo bem sincera, não sei se me interessaria muito nesse livro... Tanto a temática, como os pontos que você comentou, me deixaram com uma pulga atrás da orelha. Detesto em romances quando: 1) o romance começa instantaneamente, do tipo que cinco minutos depois os personagens já anunciam pra todo mundo que estão "perdidamente apaixonados", e 2) os personagens sabem que estão fazendo tudo errado, o cara fala que tá indeciso entre duas pessoas, como é o caso, e mesmo assim a garota não larga mão. Sério, é muito frustrante, não tenho mais paciência pra essas coisas. kkkk

    Então, se um dia o livro aparecesse na minha frente, posso até começar a ler, mas não é garantia que eu ame ou mesma que eu termina a leitura. Fazer o quê. :(

    Adorei sua forma de escrita, muito boa a resenha, parabéns!

    Abraço, Keli.

    ResponderExcluir