Resenha #16 A culpa é das estrelas - John Green

terça-feira, março 19, 2013

Mais uma resenha difícil de escrever por se tratar de um livro que não só supriu as expectativas que tinha, ele as superou maravilhosamente, intensamente e me emocionou mais do que o esperado.

Titulo: A culpa é das estrelas
Autor(a): John Green
Editora: Intrínseca
N° de páginas: 288
Em A Culpa é das Estrelas, Hazel é uma paciente terminal de 16 anos que tem câncer desde os 13. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

Hazel tem câncer desde os 13 anos, a partir do diagnóstico ela entende que sua vida só está sendo prolongada através de tratamentos e medicamentos. Certo dia, depois de relutar um pouco com sua mãe por não querer ir, ela vai ao Grupo de Apoio a Crianças com Câncer, e lá conhece Augustus Waters. Sim, foi uma reviravolta, não do jeito que todos pensam que é, os dois são muito diferentes mas acabam vivendo o seu infinito limitado romance.

É basicamente isso, o enredo sobre uma menina com câncer desde pequena, hoje com dezesseis anos e sabendo que irá morrer a qualquer momento quando conhece Augustus, o tipo atlético que tinha tudo para ignorá-la mas que se vê fascinado por ela e juntos eles constroem um romance singelo, lindo e tocante. A diferença em John Green é que Hazel não é uma menina com câncer lamentando-se de ter câncer, ela tem consciência da sua doença, tem consciência da morte e o que ela pode estar perdendo; Hazel é diferente, pensa e age diferente. Augustus não é tão inteligente quanto ela, mas é igualmente diferente em como ele lida com um câncer (sim, ele também tem um, que aliás, o amputou de uma perna).
O medo do esquecimento é outra coisa, o medo de não ser capaz de dar a minha vida em troca de nada. Se você não vive uma vida a serviço de um bem maior, precisa pelo menos morrer uma morte a serviço de um bem maior, sabe? E eu tenho medo de não ter nem uma vida nem uma morte que signifique alguma coisa.
Não vou contar mais nada do enredo, nem sei como posso transcrever aqui o que foi a leitura de A culpa é das estrelas. Fiquei com medo de não achar tão bom quanto li em vários outros blogs que o resenharam. Mas sim, o livro é único. A leitura foi rápida, mas ainda estou e vou estar algum tempo, digerindo tudo que li, tudo que aprendi e refleti com ele. Pode não mudar minha vida, mas esse livro com certeza mudou alguma coisa em mim.
A tristeza não nos muda, Hazel. Ela nos revela.
Nunca tinha lido um livro com pessoas com câncer e um romance no meio, mas pelo que li nele, esse romance é diferente, é mais cru, mais real, não traz aquela imagem rotulada e 'santificada' de crianças e adolescentes com câncer, sendo 24h pessoas boas, 'lutadoras' e por sofrerem muito, terem uma conduta perfeita frente ao estado em que se encontram.

A narrativa é feita em primeira pessoa, conhecemos a história através da ótica de Hazel, mas os personagens secundárias não são deixados de lado, não se tornam personagens superficiais. O trabalho da Intrínseca está perfeito, não encontrei erros ortográficos nem nada que atrapalhasse a leitura. E o comentário de Markus Susak, autor de A menina que roubava livros, na capa,  é mesmo perfeito: "Você vai rir, vai chorar e ainda vai querer mais".

No mais, só posso dizer que essa resenha não traz nem terça parte do que foi a leitura de A culpa é das estrelas para mim. Recomendo e muito. O livro se tornou um dos meus favoritos, os personagens ficarão marcados em mim e suspeito que John Green poderá se tornar um dos meus autores favoritos também. 



Confira Também

8 comentários

  1. Quando eu comprar este livro, já vou esperar lágrimas. Rsrsrsrs'
    Parece um livro muito tocante mesmo e bem legal.
    Adorei a resenha. Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As estórias que trazem belíssimas lições de vida são as melhores.

      Excluir
  2. Eu já li esse livro e amei é bom demais!
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Delmara, retribuindo sua visita. Muito lindo seu blog.
    Quanto ao livro, ouço só elogios tanto para o autor quanto para o livro. No começo só tinha amores por ele, mas perdi o interesse, talvez por ter outras prioridades na minha lista GIGANTE de livros para comprar. haha
    Espero um dia ler ele e me emocionar tanto quanto muitos dizem que ele emociona.
    Bjos sua linda! Manu, Blog Cereal Things.
    http://cerealthings.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Mal vejo a hora de ler o livro.
    Parece ser uma leitura bastante agradável.
    Adorei sua resenha e seu blog :)
    Já estou seguindo.

    Beijokas
    http://caroleblablabla.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Acho que fui a única pessoa que não achou esse livro maravilhoso. Não que eu não tenha gostado, a história é linda, mas não achei isso tudo o que todo mundo fala.

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Todo mundo que leu esse livro gostou, mas eu não li ainda >,<, tô muito sentida com isso sabe?? Preciso logo.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Tem COMO ler e NÃO amar? Rsrs
    O livro também se tornou um dos meus favoritos!!!

    ResponderExcluir